Es.Col.A da Fontinha

A história do Espaço Colectivo Autogestionado do Alto da Fontinha, pelos próprios intervenientes. O Rui Rio não gosta.

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Hoje re-encontrei uma amiga professora de germânicas que está em profunda depressão há muito tempo e me contou porquê além de não se sentir capaz de reabilitar apesar de rodeada de carinho familiar – o inferno, não apenas derivados do ministério e nos problemas diabólicos da colocação algures em cada ano e separação familiar, mas acrescido ao que é feito pelas próprias colegas que a acham “incapaz – Pois a mim não me pareceu nada e até me admiro da sua lucidez e capacidade depois de tal “calvário”
    O que ouvi dela hoje todos os “aventares” saberão, creio – Mais um faceta de um país que se afunda e martiriza em vez de se unir mesmo ao nível dos “pares” – Ela até podia ter uma família desfeita, mas vi o carinho com que a envolvem – Maldito país que, de gente, terá cada vez “menos”, restando ainda, e por enquanto, o carinho familiar – quando há – Eu só lhe dei as minhas palavras e carinho que é tudo o que tenho e o ter passado pelo mesmo, embora já nem haja solidadariedade pois que todos se afastam do sofrimento alheio – que também sei o que é – Por autodefesa ou egoísmo ou desumanismo ?? Não sei mas penso nisso – Mas falar de “paris” sem lá ter estado é sempre demasiado curto porque há sempre uma “India” dentro de cada um

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.