A Ler:

notícia de que duas raparigas terão sido espancadas por se recusarem a participar numa praxe em Coimbra indignou muita gente, mas não provocou os efeitos que esperava. O crime terá ocorrido em Outubro e, ao que parece, só agora um tal Conselho de Veteranos – haja paciência! – «abriu um inquérito» para apurar responsabilidades. Ler o resto AQUI

Comments


  1. As noções de gozo, divertimento, entretenimento,etc. têm vindo a deteriorar-se. A brincadeira sã, que estimula a totalidade dos intervenientes na base da igualdade, praticamente desapareceu. Em seu lugar cresce, imparável, a fruição dos imbecis à custa da humilhação, da inferiorização, da violentação dos outros…

    Isto é violência sim, mas violência surda que ninguém parece querer ouvir!

  2. Tito Lívio Santos Mota says:

    a minha geração tinha acabado com esta parvalheira elitista e bacoca.

    O pior é que depois esta gente vai reproduzir este tipo de comportamentos nas empresas e em todos os cargos de chefia que exercer.

    Sem falar já do facto de que as praxes apenas existem para “marcar” a entrada numa “elite” auto-proclamada que se julga tão “exclusiva” que, para lhe pertencer “se tenha que recorrer a ritos iniciáticos”.
    O teor dos tais “ritos” deixa bem à vista o nível da tal elite.

    País de Doutores… onde para se ser ministro se tem que ter canudo, se acha que quem não tem não serve para nada… onde as pessoas se extasiam perante um qualquer sem canudo que tenha um mínimo de cultura (tanto mais que os que têm canudo quase nunca a têm)…
    Sobrevivências dos tempos em que se andava à caça ao “barão” e ao “visconde” para se ser alguém na vida.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.