25 Poemas de Abril (XXIV)


Grândola, Vila Morena

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena

Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade

José Afonso

Comments


  1. Canção imortal…

  2. ó homem o povo só fez revoluções na monarquia says:

    desde que chegou a república ou são marçanos e funcionários na rotunda

    ou são capitães

    como dizia o gomes da costa …e fiz eu uma revolução pra iste
    é uma revolução de classe

    nã há soldados nem sargentos d’abril

    tamém nã há povo d’abril

    há só capitanlistas

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.