Uma Revolução Porreira (Pá)

Desconheço o autor desta fotografia, uma das várias que, para mim, sintetiza o que foi a “revolução” acontecida no dia 25 de Abril de 1974, ‘inda eu não era nascido.
Dizem que o “povo saiu à rua”. E saiu mesmo! – veio o povo apear-se junto aos soldados, eles com armas em punho e o povo com as mãos nos bolsos a ver a banda passar ou a tomar chã na praça. Foi uma revolução de sucessos.
Só foi pena que os vândalos do costume transitassem, imperturbados, do velho regime para o novo regime: um regime porreiro. Só um regime porreiro poderia permitir que um espanca-pretos se tornasse uma importante figura no estado  a que o Estado chegou.
Porreiro!

Comments

  1. Tito Lívio Santos Mota says:

    eu já era espigadote e foi mesmo porreiro pá !

    Mas já tínhamos falado disso 🙂

  2. maria celeste ramos says:

    E eu também já era “gente” e foi mais do que bonito – foi sentir o indizível – foi ter podido crescer até hoje sem mais amarras de arame farpado (apesar de hoje não ser o melhor dos mundos mas …) – foi poder pensar melhor sem ser formatada – foi poder ter “contraditório” – foi de repente ter podido olhar para mim mesma de outra forma – e para os outros com mais limpidez – e para tudo o mais – foi poder decidir da minha vida como sabia – foi ter podido passar a “poder escolher” – foi bonito e mais ainda ver a multidão em alegria e sem mêdo – foi talvez o DIA mais bonito do mundo inteiro pois que nem todos tiveram ainda o seu 25 abril – Mas que já sabem que pode haver e se manifestam, mesmo sem “flores” – E que pela liberdade morrem como na primavera árabe – foi tão bonito o que senti pela 1ª vez na vida – é indizível

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.