O poder dos sem-poder

Gosto de ler as crónicas de Frei Bento Domingues ao domingo no Público.

Hoje, escreveu: “O poder da palavra é o poder dos sem-poder. Daí, o perigo do seu contágio.”

Que bom podermos dizer livremente aquilo em que pensamos.

Comments


  1. É bom, de facto, mas “não há bela sem senão”.
    Admito que fico a ponderar em que sentido irá essa afirmação do Frei; se “o perigo” como algo que pode afectar o real poder das decisões, se “o perigo” que advém do pensamento demagogo e que facilmente se propaga.

    Se for pela última, devo admitir que ao ler a frase fiquei a pensar num bom exemplo: Savonarola.

  2. julia says:

    “Que bom podermos dizer livremente aquilo que pensamos” Acho que hoje, é um direito de pouca utilidade..Na verdade, para que serve que um homem seja LIVRE de pensar se a expressão do seu pensamento, da sua opinião o expõe à reprovação e mesmo à perseguição da sociedade em que vive; para que serve que ele seja livre de discutir a sua condição económica o obriga a sujeitar-se à lei do patrão…para que serve a liberdade de depositar o voto na URNA das eleições, e os media…e os próprios candidatos estão na dependência dos detentores do CAPITAL? O Povo que vota em liberdade tem PODER para abrir a porta “ao relvas” e seus apaniguados?…Respeito e considero o Frei Bento, mas não são afirmações para o Mundo de hoje. Além de o Povo ler pouco, a iliteracia é dominante…
    Até amanhã! Até sempre!
    Júlia Príncipe

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.