Ser cretino é crime?

Tom Daley, atleta britânico a disputar os Jogos Olímpicos, ficou em 4º lugar na competição de saltos para água e um compatriota seu, o usuário @Rileyy_69, que a polícia britânica diz ter 17 anos, reagiu da seguinte forma no Twitter:

“You let your dad down i hope you know that” (“Desiludiste o teu pai espero que saibas isso”).

O pai de Tom Daley morreu com um tumor cerebral em Maio de 2011. O atleta queixou-se, também no twitter, do tom deste comentário. O tal @Rileyy_69 ainda pediu desculpa, mas isso não impediu que fosse detido para interrogatório e que vá agora enfrentar um processo judicial.

Que o Rileyy_69 é um cretino, não tenho dúvidas. Mas eu pensava que a liberdade de expressão contemplasse o direito a ser cretino, e que o castigo fosse a censura pública, a resposta do ofendido e de todos os que se indignam quando nos portamos como idiotas.

É, aliás, a resposta alheia, a reprovação ou o aplauso dos outros, que nos vão ajudando a crescer, a medir o alcance das nossas acções, e os danos que palavras impensadas podem provocar. Não creio que @Rileyy_69 seja um caso de polícia, mas apenas um adolescente imaturo, que nunca deve ter perdido alguém próximo, e que quis fazer um brilharete com um comentário mortífero. As suas palavras foram desajustadas, desrespeitosas e de mau gosto. Mas prendê-lo por isso é passar de buldózer por cima da liberdade de expressão e abrir um precedente perigoso.

É que esse infeliz comentário não correspondia a um acto de difamação ou a um incentivo à violência, em cujo caso seria fácil de entender a intervenção judicial. Faltam-me conhecimentos jurídicos para avaliar se pode ser considerado assédio moral, mas parece-me que esta resposta das autoridades é sobretudo um caso de moralismo fardado, de crescente imposição de uma doutrina que vai restringindo a liberdade individual e entrando em esferas cada vez mais íntimas. Daí até ao “crime de pensamento” não sei que distância irá, mas começo a pensar que já estivemos mais longe.

Comments

  1. Amadeu says:

    Conclusão: Uma grandessíssima cambada de cretinos.

  2. maria celeste ramos says:

    Há limites para a idiotice e liberdade quando se torna ofensiva como foi o caso da destruição por um idiota “designer” das “caricaturas de Maomé” – não há nada que não tenha limites sobretudo da decência senão a liberdade vira “libertinagem” se no mundo vale tudo da linguagem imprópria também se pode alcançar outros tipos de “crime” mesmo que não sejam crimes “de sangue” – os idiotas dos nordicos, repito, e a mutilação das caricaturas de Maomé é impróprio de quem chama PIP aos portugueses – coitados dos PIGs – e cretino é o cretino imbecil e sem limites de linguagem e comportamento- vou ouvir a nova comentadora política Manuela Ferreira Leite – o CDS anda com muitos tachos telelivisivos e se calhar como ministra em 1986 é culpada de muita VENDA patrimonial que agora o seu partido continua acabando com o resto – ela na altura bvendeu as pratas – agora vende-se o OURO a todos os “investidores” – quem serão esses beneméritos ?? vamos ver embora eu não queira mesmo ver + investimento estrangeiro que come 90% dos nosssos recursos e deixa migalhas e trabalho escravo – como nos fez a alemanha – e a frança – e todos os predadores já que Portugal nem sabe – nunca soube – negociar – Há um ditado português que reza assim – Quanto mais se baixa mais o cú se vê – estou farta de CUelhos

    • nightwishpt says:

      A Senhora que me desculpe, mas não precisava de sair do tópico, tem conta para escrever o que quer… E a gente gosta.

  3. edgar says:

    Se começarem por cá a prender quem diz barbaridades semelhantes ainda paralizam o país…!


  4. Bem, não querendo diminuir a repulsa (que eu partilho) por esta tendência de, a propósito de tudo e nada, espezinhar a liberdade de expressão, convém saber que esse não foi o único tweet em questão, nem sequer o principal. O que aparentemente deu origem à acção policial foi este:

    “@TomDaley1994 i’m going to find you and i’m going to drown you in the pool you cocky twat your a nobody people like you make me sick”

    De qualquer forma, parece-me um exagero ridículo. Aparentemente já ninguém sabe distinguir um criminoso de um troll.

    • Carla Romualdo says:

      Não sabia, AF, obrigada pela achega. De facto, é um troll e, como a maioria dos trolls, convencido de que o anonimato permite tudo.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.