Sr. Director de Escola, faça o favor de se chegar à frente

É assim que diz a Lei e só se espera a sua aplicação na íntegra.

Não foi por falta de aviso:

uma vez:

“o respeito pela Lei (nota de curso + tempo de serviço) foi escasso e a norma foi dar a volta à coisa para colocar quem se queria. Nuns casos, por bons motivos. Mas, na maioria simplesmente porque sim. Justificam-se por isso os alertas feitos em tempo útil pela FENPROF, mas, como quase sempre, boa parte dos professores só percebe o incêndio quando o fogo lhes chega ao traseiro”

outra:

Para ajudar à festa, o MEC resolveu obrigar algumas escolas a desenvolverem um concurso interno (ofertas de escola) para os lugares ainda em falta – a confusão estalou

E outras vezes mais!

Parece que afinal havia qualquer coisa de errado e os concursos vão mesmo ser repetidos. Seria EXCELENTE se os Senhores Directores, sempre tão zelosos a dar cabo da vida ao pessoal, tivessem agora que assumir a sua incompetência!

Sr. Ministro Nuno Crato, a minha única exigência é:

– Cumpra a Lei! Faça com que os Senhores Directores paguem as cunhas partidárias, dos amigos, das clientelas…

Comments


  1. Mais importante do que nuno crato cumpreir a lei é antes de mais saber que ela (lei) existe e depois que saiba ler e em 3ª lugar que a saiba interpretar
    esse gajo só sabe engordar e está aom ar nojentamente luzidoio de gordo, como todos – têm gordura MÓRBIDA – TODOS
    Deviam ir fazer parte do concurso da boazona de Bárbara Guima^rães – TOCA A MEXER – concurso de merda como todos

  2. anabela santos says:

    Estou completamente de acordo, eles fazem o que bem lhes apetece….aliás a experiência como docente sem componente letiva a ter que dar apoio ao diretor diz-me mesmo isso, fazem o que lhes apetece..brincam com a vida das pessoas.

  3. Zé dos bonés says:

    “Relativamente aos professores, será acautelada a contagem do tempo de serviço e a remuneração já recebida, devendo estes docentes regressar à reserva de recrutamento caso tenham concorrido ao concurso para a satisfação das necessidades temporárias. Podem ainda, naturalmente, candidatar-se à mesma oferta de escola onde inicialmente tinham sido colocados.”

    Como sempre, beneficia-se o infrator.
    Cada vez mais, o crime compensa.

  4. Joaquim says:

    É pena que a maior parte das pessoas tenha uma visão tão redutora e pense que todos os diretores se arriscariam a colocar professores só por interesse próprio, ou por interesses partidários, ou sejam lá os interesses que forem. É pena que não passe pela cabeça de ninguém que esses mesmos diretores quisessem simplesmente defender bons profissionais que têm dado couro e cabelo em escolas que até aqui ninguém queria…e é pena que tantos professores estejam a crucificar colegas da mesma classe profissional, e mais, a regozijar-se com o facto dessas pessoas irem alargar os números do desemprego. Penso que antes de crucificarmos devemos parar para pensar um pouco no outro lado e medir bem o que dizemos. Não pretendo com isto atacar ninguém…peço apenas que as pessoas vejam bem os dois lados da mesma questão…


    • Meu caro Joaquim, no 1º post sobre este assunto escrevi:
      “Acabaram as Direcções por tentar reconduzir professores através deste processo e para o efeito o respeito pela Lei ficava do lado de fora da Escola: o respeito pela Lei (nota de curso + tempo de serviço) foi escasso e a norma foi dar a volta à coisa para colocar quem se queria. Nuns casos, por bons motivos.”

  5. Agostinho says:

    Parece que conhece o diretor da minha escola… O objetivo é a manutenção do poder pelo poder. Não se vislumbra uma preocupação real pela qualidade do ensino. Interessa-lhe espiar, criar desconfiança entre os professores e controlar os elementos do conselho geral e promover ações de campanha (atividades cujo objetivo principal é aparecer em notícias). Quem desde novo teve formação nas jotas partidárias e percebeu que neste país se sobe na vida não devido à competência e ao esforço, mas sim pela troca de favores com amigos influentes, a escola é uma presa fácil. Quem lá está e se preocupa com o que passa é rapidamente posto fora de serviço, atacado com intrigas, horários impensáveis e afastamento de todo o tipo de cargos. Este regime das escolas em que a figura central é o diretor seria, em princípio, um bom sistema, mas foi pervertido. Se a exigência para ser professor se encontra a um nível muito elevado, o mesmo não acontece relativamente aos candidatos a diretor. Sendo assim, o rigor e exigência relativa à ação destes devia ser muito maior. A demonstração de falta de ética e de respeito pelo serviço que prestam deveria ser razão suficiente para destituição do seu cargo. Mas isso não acontece e assim têm a liberdade de brincarem com a vida dos outros.

  6. Ensino Artístico EVT says:

    Desculpem lá o meu pensamento… Em vez de se atirar as culpas a este e àquele, já pararam para pensar que não são as pessoas que estão mal colocadas? Não será antes todo o sistema? Não será culpa da dita “revisão” curricular? Suspenda-se a “revisão” curricular e tudo será diferente, querem apostar?

Trackbacks


  1. […] Deixa um Comentário As denúncias foram sendo feitas das mais diferentes maneiras e ontem, no Público, foi possível ler que o MEC teria já em curso um processo para resolver a questão das Ofertas de […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.