Não sorria, está a ser filmado

Miguel Macedo admite autorizar filmagens em futuras manifestações. Já terá havido filmagens não autorizadas? Haverá manifestações que não sejam filmadas?

A sustentada procura do poder

Como superar o problema (stress entre classe docente?)

Reduzindo as turmas para um limite de 20 alunos; dando espaço e tempo para os docentes prepararem aulas na escola; dotando as escolas com psicólogos; dando estabilidade aos docentes, pois muitos não sabem se terão emprego no ano seguinte. Os docentes precisam de sentir confiança de quem governa e da sociedade.

Entrevista a João Grancho, então presidente da Associação Nacional de Professores, Correio da Manhã, 22 Abril 2011

Uma citação entre tantas outras possíveis. João Grancho acaba de ser nomeado Secretário de Estado do  Ensino Básico e Secundário. O seu curriculo omite quantos anos esteve destacado na Associação Nacional de Professores, uma micro-organização para-sindical criada, como muitas outras, precisamente para livrar os seus dirigentes do suplício de terem alunos.

O problema do país está em o governo agir

Em caso de uma nova derrapagem orçamental, Governo promete agir. Se, pelo menos, ficasse quieto, já não corria tão mal.

O jornal já está fechado

Paula Sofia Luz*

Faz hoje oito dias. Enquanto a greve dos jornalistas da agência Lusa dominava as conversas na rede, uma cidade portuguesa assistia à morte anunciada do seu (último) jornal. Na quinta-feira, 18 de Outubro, a notícia começou a circular na rua: O Correio de Pombal deixou de se publicar, sem aviso prévio. Não chegou às bancas como era costume, não seguiu pelo correio para casa dos assinantes. O título que José Pimpão dos Santos fez (re)nascer na primavera de 1990 – pois tratava-se de uma reedição de um título com quase 200 anos – deixou de sair para a rua, num dia triste para Pombal, para a imprensa, para o que resta da democracia.

Eram conhecidas as dificuldades (financeiras, editoriais e sobretudo morais) em que o jornal se afundou nos últimos tempos, mesmo quando ficou sozinho num mercado que em tempos dividiu com dois e três títulos. Por isso, deixar de se publicar foi tão só o golpe de misericórdia. A morte do jornal não foi notícia em lado nenhum, à excepção de escritos na blogosfera e no Facebook. E no entanto a ferida continua aberta para os trabalhadores que restavam – e que continuam a apresentar-se todos os dias no local de trabalho. E para os milhares de leitores que o alimentaram por mais de 22 anos, e que de repente estão desnorteados. Os leitores sem notícias, os notários e advogados sem suporte para os anúncios judiciais, os emigrantes que agora não sabem quem morreu na semana passada. [Read more…]

Haja harmonia, por exemplo conjugal

telhados

É tão alto ver o baixo que está abaixo do alto como não ver para cima. Confusos? eu também. [Read more…]

O orçamento de 2013 para Portugal, o povo e os militares

Longe de mim alarmar as pessoas, especialmente aos meus concidadãos. Mas, mal vi esta notícia, lembrei-me do Chile. Os militares estavam descontentes com a legislatura de Allende que governava em nome do povo.

É evidente que a situação é diferente, bem sabemos, mas quando os bolsos das pessoas são tocados, acaba todo por ser um sinistro de grandes proporções. Os soldados de Portugal sempre defenderam o povo e a sua soberania, causaram o 25 de Abril de 1974 que salvou ao país da escravatura do governo da ditadura de longo curso Salazar-Caetano.

[Read more…]

E viva a República

saio exatamente como entrei, com a minha profissão, sem qualquer subsídio e sem qualquer reforma.

Francisco Louçã, 2012.

Diálogo empreendedor vs desempregada

Com acusações de burla à mistura. Um Segmento Azul, aqui no Aventar.

Dias Europeus do Emprego

Este site IEFP talvez interesse a quem procura emprego.

O presidente do Tribunal Constitucional vai acordar assim

«Na Itália existiu uma ditadura dos juízes e agora passaríamos a ter uma ditadura do Tribunal Constitucional»” – queixa-se Ulrich, como a seu tempo se queixaram dessa feroz ditadura outros Padrinhos.

O BPI de Ulrich aumentou os lucros em 15,3% até ao final de Setembro. Pode portanto investir em ofertas irrecusáveis aos juízes do Tribunal Constitucional.

Esta semana, depois do beato Neves, já é o segundo a insinuar que um golpe de estado vinha mesmo a calhar. Como a nossa tropa anda virada mais para Abril que para Novembro, saia uma Bundeswehr para a mesa do canto. Não, não é uma marca de cerveja.

Vida sexual e limites etários

É notícia que em Espanha se discute a idade mínima legal para iniciar a vida sexual. Por cá, seria bom que fosse discutida uma idade máxima para a manter. Não digo em relação a toda a vida sexual. Apenas naquela parte que diz respeito à fornicação a que o Governo sujeita os mais idosos

1820 e o triunfo dos liberais

A influência da Revolução Francesa fez-se sentir um pouco por toda a Europa. Foi o caso cde Portugal, com a sua Revolução Liberal de 1820.

Da série Filmes para o 8.º ano de História
Tema 7 – As transformações do mundo atlântico: Crescimento e rupturas
Unidade 7.2. – O triunfo das Revoluções Liberais

Proporcionalidade

Se cientistas são presos por não adivinharem um sismo, Gaspar pode ser esquartejado por não acertar no défice?

De Má Memória

Francisco José Viegas (2.º a contar da direita), com oito anos, deixa o Pocinho (Linha do Douro) em direcção a Chaves. De comboio, claro.
Anos mais tarde, num livro chamado “Comboios portugueses – um guia sentimental” haveria de dedicar ao avô alguns parágrafos, sobre o Douro, sobre o Vale do Tua, que importaria sempre, sempre preservar. Mais tarde, reforçaria nas páginas da Ler a mesma imperiosa obrigação. A seguir comete “o erro de aceitar um cargo político” e é feito Secretário de Estado da Cultura, pasta esta com responsabilidades indesmentíveis na protecção e classificação do vale e da Linha do Tua como  património nacional. Nada fez, que nada podia fazer. O que tinha a fazer nesse momento, caso fosse um escritor com apreço pela palavra escrita, era única e simplesmente abdicar do cargo por manifesta falta de força política para fazer cumprir.
Para mim, Francisco José Viegas é o pior exemplo do que pode ser feito a homem das Letras.

A indelével marca de Francisco José Viegas na Cultura no momento da saída do Governo


Na sua passagem pelo Governo, que agora termina, Francisco José Viegas tem isto para apresentar: a destruição definitiva do Vale do Tua, das suas paisagens e da sua linha férrea.
É assim que passará à História como Secretário de Estado da Cultura, é dessa forma que todos o lembraremos. Como um terrorista cultural e ambiental do nosso país, a exemplo de Gabriela Canavilhas e de outros que os antecederam.