Greve Geral, Coisa Maravilhosa

GREVE GERAL, OH, COMO ESTOU CONTENTE
Amanhã há greve. Dizem-me que até é geral, como outras que por aí houve e às quais não aderi. Mas desta vez é diferente, não é Nacional, é Internacional.
Esta coisa do que é Nacional é bom, já deu o que tinha a dar. Agora o que é preciso é generalizar e diversificar e internacionalizar.
Uma greve geral implica parar o País. Uma greve geral implica fazer perder dinheiro ao País. Uma greve geral implica empobrecer o País. Mas, que se lixe, é mesmo para isso que aqui estamos, para arrazar e, qual Fénix, ressurgirmos renovados e  felizes.
Estou a ponderar aderir a esta greve.
Afinal ela é muito mais abrangente do que as anteriores que acabaram por ser um fiasco, apesar de, do mesmo modo que esta se propõe, terem empobrecido o Zé Povinho empobrecendo o País. Desta vez propoem-se empobrecer vários países. Coisa fina e de força!
Uma greve, e em especial uma greve geral como esta, é uma coisa boa. Podemos dormir até tarde, não fazer a “ponta de um corno” (na verdade na maior parte do tempo de trabalho muitos fazem precisamente isso), estar em amenas cavaqueiras à volta de uma bejeca ou duas ou mais e uns tremoços com os amigos que raramente vemos porque quando estamos presos nos locais de trabalho eles também estão e quando fazemos greve eles nunca fazem ao mesmo tempo que nós e é uma chatice porque para conversarmos com os colegas de trabalho já o fazemos todos os dias e os amigos é que são as coisas boas que temos nesta vida de muito trabalho muito trabalho muito trabalho, e para além disso também podemos ir passear com as nossas senhoras e os nossos meninos que não têm aulas porque os senhores professores e o pessoal auxiliar também estão a fazer nada e assim podemos estar juntos a passear à tarde nos shoppings ao menos uma vez de vez em quando que nos fins de semana nós temos os jogos de futebol e elas as amigas e os putos os jogos de computador e às vezes nem nos vemos direito que os jantares de sábado à noite acabam muitas vezes com copos a mais e os putos vão prá discoteca, e também é muito bom porque nestes dias de greve às vezes há manifestações contra tudo e contra todos e podemos assim ir em carneirada uns com os outros com cartazes e panos pintados e bandeiras a dizer mal e a berrar e a dizer palavras feias que agora estão na moda e deixaram de ser feias e quem as não diz é um tótó burro e de direita e fascista e amigo do patronato e a favor dos burros do governo que só nos querem mal e nos roubam os gatunos salafrários e a atirar uns calhaus à polícia de preferência nessas alturas com a cara tapada porque nunca se sabe o que aí vem e eles têm maneira de nos identificar e depois levamos por tabela, que eles não são boas rêses, e ainda nos podem prejudicar mas mesmo assim a gente vai, que eles merecem ouvir tudo e mais alguma coisa, que eu não gosto deles e os meus amigos também não e até é feio gostar e olham de lado para nós se não fizermos isto tudo como se tivessemos peçonha e eu gosto que gostem de mim que um amigo que eu tinha era amigo do Gaspar e do Coelho mesmo sem os conhecer e agora ninguém lhe fala e mesmo quando ele vai às manifestações põem-no de lado e escondido e eu não quero isso para mim.
Por isso estou a pensar em ir, e estou contente com a minha decisão.
Viva a greve geral!

Comments

  1. Miguel says:

    😀 O que me ri com este post. Vou tb fazer greve.


  2. Percebo. O empobrecimento da Sra Jonet é necessário, porque combate o desperdício. O da troika é bem vindo, porque vivemos acima das nossas possibilidades. Mas o alegado empobrecimento de uma greve que se impõe precisamente para lutar contra esse empobrecimento generalizado é diabólico. Lógica da batata… Ou do patrão.

  3. Helder says:

    Eu nunca aderi a greves mas também não critiquei quem tem aderido, desta vez vou fazer greve mas decidi não criticar quem não o fizer … estranho eu certo? Tenho a mania que respeito a liberdade dos outros … muita inveja de si Sr. José Magalhães, realmente desta vez vou ser mau e vou por um dia contribuir para a pobreza e desgraça do país mas … se eu prejudico um dia e sou mau que nome se dá a quem andar a prejudicar há mais de 30 anos?!

  4. nightwishpt says:

    “Uma greve geral implica fazer perder dinheiro ao País. Uma greve geral implica empobrecer o País.”

    E a troika, o governo e o memorando, podem fazê-lo sem levar igual discurso sarcástico? Ou se forem só os trabalhadores a empobrecer não conta?


  5. As greves empobrecem os países! Por isso é que nas ditaduras se acumula muita riqueza e os povos vivem felizes e abastados!
    Não fossem as greves (e o sofrimento) de outras gentes de outros tempos, e o sr. José Magalhães hoje não poderia expressar-se assim, publicamente e com tanta ironia, pois tinha que “meter a viola no saco”!

  6. Carlos de Sá says:

    Não sei o que é que faz, José. Mas será com certeza um trabalho gratificante, sob todos os pontos de vista. Não sei de onde vem, mas dá a entender que nasceu bem, teve uma adolescência despreocupada. Eu trabalho desde os 12 anos; portanto não pude brincar assim muito tempo; e estudar, fora a primária, só à noite, depois de 8 duras horas de trabalho penoso. De modo que julgo ter angariado algum crédito moral para lhe dizer que o seu texto tresanda a betinho mimado. Fico-me por aqui,

  7. pra puta que te pariu says:

    pra puta que te pariu

  8. maria celeste d'oliveira ramos says:

    nÃO É POSSÍVEL PRANÃO PERDER O DIA DE tRABALHO IR PARA O LUGAR DE TRABALHO E PANHARMOS TODOS UMA GRANDE DOR DE BARRIGA E FICAR SENTADOS NA CADEIRA ?? <TEM DE SE INVERTAR OUTRA FORMA OU ESTOU A SER PARVALHONA ?
    PERDEMOS SEMPRE PORQUÊ E AINDA HÁ QUEM SE RIA ?? NUNCA GOSTEI DE SER GOZADA'

Trackbacks


  1. […] qualquer modo, não posso dizer que esteja exactamente entre o João Paulo e o José Magalhães, porque, como o primeiro, vejo muitas razões para protestar, mesmo recusando-me a fazer greves que […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.