Vila Nova de Gaia é um excelente exemplo

De como se trabalham as notícias! Existe um Programa de Apoio à Economia Local (PAEL) para salvar municípios que estão com as contas no vermelho. Há umas piores que outras, mas não é um programa de boas festas.

Vamos imaginar, caro leitor que os seus rendimentos são de 1oo euros mensais.

Imagine agora que a sua dívida são 400 euros. Em Portugal  estamos com a TROIKA e a dívida vai nuns míseros 120%. Isso mesmo – em Gaia está na casa dos 400%.

Com o pagamento dessa dívida tem um compromisso mensal que lhe levam 30 euros. Outros 30 vão para as despesas com pessoal, de que não pode abdicar. Ou seja, 60 euros já eram. A página 10 das opções municipais para 2012 são um bom exemplo do que é uma gestão autárquica suportada por uma equipa de futebol de assessores de imprensa.

Continuo, como cidadão de Gaia, completamente surpreendido com o favorecimento do sr. Candidato ao Porto na Comunicação Social.

Dirão os seus defensores que fez coisas boas e bem feitas – claro que sim. E também me serve de pouco comparar com o outro lado do rio: os dois juntos não fazem um. As contas provam que o dinheiro não está a ser usado para obra (e não falo apenas de obras!). É mais uma das mentiras da Comunicação Social.

A questão central é que Gaia, há muito tempo, deixou de ser uma prioridade para o seu Presidente – talvez desde o momento em que sonhou ser Primeiro-Ministro.

Nunca mais chegamos a Outubro!

Comments

  1. maria celeste d'oliveira ramos says:

    Lá está os que gastam acima das possibilidades

  2. Somos Menezes says:

    O que escreve não é verdade.
    Consulte o site da Direção Geral das Autarquias Locais e verá que a dívida é de 158 milhões de euros.
    Se lesse a notícia convenientemente veria que Gaia não se enquadra nos municípios que estão desequilibrados financeiramente.
    Acresce que se fizer o simples cálculo de dividir a dívida pelo número de habitantes, verá que Gaia está no meio da tabela (no total dos 306 municípios) com 524€ por habitante.
    Convirá lembrar, mas para isso sugerimos que consulte o INE, que em 1997, em Gaia, apenas 10% das habitações tinham saneamento. Em 2011, apenas têm 99,77%. Ainda faltam 0,03%…
    No saneamento e no fornecimento de água foram gastos mais de duzentos milhões de euros.
    Na habitação social foram gastos mais de 180 milhões de euros.
    Em equipamentos desportivos e culturais foram gastos mais duzentos milhões de euros.
    Podíamos continuar, mas repare-se… diz para irmos ver o orçamento da câmara dizendo que os compromissos financeiros e as despesas de pessoal levam 60% (30%+30%), quando na realidade representam 6,9% e 14,3%.
    Os seus pais não lhe ensinaram que mentir é feio?
    A ver vamos se este comentário é censurado.

    • João Paulo says:

      Meu caro anónimo, obviamente o comentário é para manter aqui, na boa. Não tenho necessidade de seguir práticas tão usadas por outros. Fica até o registo do apreço pela presença. E fico curioso apenas com uma coisa: se financeiramente está tudo assim tão perfeito, a medida de hoje… Só para a gente perceber… Quanto aos números de que falam, são isso mesmo, números. Quanto aos juízos de valor, assinados, teriam resposta, anónimos, ficam para si. JP

  3. luis says:

    O Menezes é um populista que só segue politicas do betão. E o desemprego em Gaia, não interessa ao sôr presidente? E as freguesais do interior de Gaia não têm investimento porquê? Eu vivo numa dessas freguesias (Serzedo) e as únicas obras que a câmara fez foi no campo da bola e na construção de bairros sociais. O Menezes gasta ao desbarato e quem vier atrás que pague as contas. Só investe na frente ribeirinha e marítima para os turistas.

  4. palavrossavrvs says:

    Eu gosto de Menezes e aposto nele por uma razão muito simples, JP: em poucos anos, a orla costeira de mar e a marginal de rio foram organizadas e tornadas atractivas para o lazer dos munícipes e para os negócios. Impensável não antecipar ampla receita à conta do movimento avassalador ao longo das praias de Gaia. Conceber o número de turistas que todos os dias visitam Porto-Gaia sem os espaços imaculados e ordenamento seria impossível, pelo que os consulados de Menezes foram apostas ganhas no sentido de potenciar o Turismo, os Negócios, o Lazer. Receita gera receita. Muito poucos fizeram tanto, em tão pouco tempo e tão bem quanto Menezes.

    Isto é inatacável. Seja o Porto o próximo a merecer o devido e adiado upgrade em renovação e ousadia.

    • João Paulo says:

      ” Muito poucos fizeram tanto, em tão pouco tempo”??? E isso a troco de ser o Concelho do país com mais desempregados? Não parece contraditório? Não teria sido melhor apostar no comércio e nas ruas locais em vez de investir no arrábida, no gaia, no… Não sei…

    • nightwishpt says:

      Tanto se insurge contra a negociata socialista e os boys e nada fala da família alargada de Menezes e apoia o desperdício em Gaia.
      A sua cor política só não vê quem não quer.

  5. Zé Carioca says:

    Ah! Eu adoro Gaia, adoro mesmo, sabem porquê? Porque consigo ver o Porto, e os turistas também. Quanto às obras, acho fantástico, então quando é com o dinheiro dos outros, e se todo o País tivesse seguido o “exemplo” desse município Portugal não precisaria de uma tróika…precisaria de 3 ou 4. Um País que elege atrasados mentais, corruptos, imbecis e acima de tudo incompetentes, durante décadas, merece bem uma ditadura, venha ela.

Trackbacks


  1. […] Vila Nova de Gaia é de facto exemplar no que a opções políticas diz respeito – só que não se pode quer, ao mesmo tempo, 1 e -1! Decidam-se apoiantes. […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.