Isabel Moreira, mais uma vez, exemplar

Isabel Moreira acaba de publicar dois documentos que merecem a nossa atenção e o meu aplauso:

– No seu perfil do Face, um nota sobre o voto favorável à excelente proposta do BE de fornecer o pequeno almoço nas escolas – ironia das ironias, o debate foi feito com João Grancho:

A maioria parlamentar chumbou a proposta do Bloco de Esquerda (BE) para que as crianças de famílias em dificuldades possam aceder ao pequeno-almoço escolar. A deputada Isabel Moreira, do PS, votou a favor, acabando por ir contra a orientação do próprio partido.

A votação da proposta do Bloco de Esquerda foi alvo de acesa discussão com as bancadas da maioria e o secretário de Estado do Ensino Básico, João Grancho. No final, a medida acabou por ser chumbada com os votos contra do PSD e CDS-PP e a abstenção do PS.

Ana Drago, do BE, defendeu as premissas da proposta. “Permitam às famílias que inscrevam os seus filhos de acordo com o que é o entendimento das suas próprias dificuldades. Criem recursos que envolvam as famílias. Se tal não for feito, o programa vai continuar a falhar”, afirmou a deputada.
No aspirinaB, um apontamento temporal ao marido da Maria e à maioria que já não o suporta.

Comments

  1. maria celeste d'oliveira ramos says:

    Estamos no Bangladesh

  2. André Melo says:

    Quem é que aceita aumentarem os impostos que lhe são cobrado para pagar essa despesa? Alguém está disposto a pagar a factura?

    • Zé Maria says:

      Merecias um hematoma em cada olho cobrado sem despesas de morgue na tromba. Mas são sempre de desconfiar as aptidões fisicas de comentadeiros desta estirpe perante as faturas que um punho cerrado apresenta. Podre!

      • Hugo Almeida says:

        Então uma pergunta sobre quem se responsabiliza por pagar uma factura recebe como resposta um conjunto de ameaças de agressões. Por muito que batam e por muitos hematomas que se criem, a factura continua por pagar, e as medidas continuam a precisar de dinheiro para serem implementadas. A realidade não muda, por muitas ameaças que façam e por muitos actos violentos que cometam. Ou será que muda?

        Verdades inconvenientes.

        • luis says:

          Quem paga? Pagamos todos com os nossos impostos, sem ser preciso aumentá-los. Basta reduzir por exemplo a frota automóvel dos grupos parlamentares, ou então cortar nos subsídios e ajudas de custo que os deputados têm, ou ainda diminuir o número de assessores e boys. Poderia também (e deve-se) realizar uma auditoria à dívida e definir que parte é legítima (é capaz de ser 0%). O que não falta é onde cortar para pagar esta ajuda alimentar. Revolta-me muito que no meu país existam pessoas que pensam que a fome e a miséria são inevitáveis. Não apelo à violência, mas também me apetece dar-lhe dois socos.

          • Hugo Almeida says:

            O luis já reparou que neste momento as contas do estado para 2013, no melhor das hipóteses, terá um défice a rondar os 5%? Ou seja, o nosso estado, no melhor das hipóteses, tem de pedir emprestado 5% a alguém para pagar as despesas que o governo não conseguiu evitar.

            E para reduzir o défice a 5%, foi preciso cortar 2 ordenados a todos os trabalhadores, despedir funcionários públicos, cortar todas as obras públicas, e impor o maior aumento de impostos da história de Portugal.

            E agora querem aumentar ainda mais a despesa? Com que dinheiro? Não sabem. O estado que pague.

            Falar em outras despesas é irrelevante. Não estão a falar em cortar dum sitio para cobrir outras despesas. Estão apenas a apelar a que gastem e gastem e gastem, sem fazer a mínima ideia donde vem o dinheiro. E enquanto exigem mais e mais despesa, acham mal terem de pagar tantos impostos e de terem sido cortados ja 2 ordenados, e isto para ter o estado a gastar pelo menos 5% mais do que aquilo que o Luis paga de impostos.

            Será assim tão difícil de perceber que o estado português está falido, e que o dinheiro não cai do céu? Ele já está em falta, e ele tem de vir de algum lado. E donde virá? Está o luis disposto a pagar ainda mais esta factura?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.