Uma Geração Equivocada

praxa-academica

Ainda há poucos meses alguns “estudantes” se manifestavam e indignavam porque a Reitoria da UM proibira certas praxes dentro do campus de Gualtar. E nos fora da especialidade, os adolescentes mostravam-se muito descontentes. E insultavam quem deles discordava.
Perguntei se se manifestariam quando, lá para fevereiro, houvesse colegas a desistir das aulas pelo não pagamento atempado das bolsas de estudo.
Não me responderam. E ainda não me convidaram para uma manif solidária
Geração na merda!

Comments

  1. Luís says:

    Há anos que assisto ao espectáculo dos desfiles, (entre a marcha militar e o passeio das crianças da creche que de mão dada vão passear com as professoras), protoganizados por estudantes da UM.
    Andam pelo centro da cidade a cantar canções infantis ou canções do Quim Barreiros, militarmente organizados por alguns/algumas fantasiadas de corvo, que lhes gritam ordens, os põem a rastejar ou a fazer flexões enquanto cantam “as pombinhas da catrina”.
    Tudo isto perante o olhar constrangido de alguns, o ar pasmado de outros, (principalmente turistas) e a chatice de todos por terem de assistir obrigatoriamente ao carnaval eterno de uma militarização infantil de matulões/as que vão exibindo alarvemente o seu sentido de “humor”.
    Esperar solidariedade de gente tão “engraçada” é exigir demais, amigo Dario!

  2. Ajom Moguro says:

    “Muitos futuros governates, os Relvas de amanhã, andam por aí a engrossar a gritaria. É desta massa que eles se fazem e o algodão da tradição não engana.”

  3. Miguel says:

    Sim esta geração está na merda. Mas foi alguém que nos pos lá. Palhaços.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.