Carta aberta à Segurança Social e à Cruz Vermelha Porto

Img0366_2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Exmos. Senhores,

Tenho duas filhas, desde há dois anos, a frequentar o CIV – Centro Infantil de Valbom.
A situação que hoje trago ao Vosso conhecimento já foi relatada à Directora da referida instituição e, por nada ter sido feito, já foi plasmada no respectivo Livro de Reclamações.
Trata-se de uma situação que envolve um enorme risco para todas as crianças que frequentam o CIV e que a qualquer momento pode transformar-se numa tragédia que, a acontecer, terá de ser assumida por todos os que tiveram conhecimento desta situação e nada fizeram para a resolver.
O facto de a Segurança Social ter privatizado o CIV não a iliba de quaisquer responsabilidades nesta matéria.
Refiro-me ao cadeado em ferro que impede a entrada de veículos na zona fronteira ao edifício do CIV e que separa essa zona do parque de estacionamento. Desde sempre, com a gestão da Segurança Social, que esse cadeado esteve fechado e não me lembro, em dois anos, de algum dia ter estado aberto.
Desde que a Cruz Vermelha assumiu a gestão do CIV, esse cadeado está aberto diariamente, sendo muitíssimo frequente ver automóveis estacionados em frente à porta do CIV, transitando por entre as crianças e colocando-as num perigo tremendo. Num desses dias, já tive de agarrar a minha filha mais nova para evitar que fosse atropelada.
O cadeado existe para separar a entrada do CIV do seu parque de estacionamento. Existe para proteger as crianças. Por isso deve estar fechado.
Avisei a Educadora de uma das minhas filhas, avisei a Directora do CIV e fiz uma reclamação por escrito. Nada foi feito, mesmo depois da reclamação escrita.
Pergunto-me se estão à espera que morra uma criança atropelada à porta do CIV. No espaço que devia ser por excelência o espaço de maior protecção das nossas crianças.
Se um dia isso acontecer, espero que todos saibam arcar com as respectivas responsabilidades.
Denunciarei esta situação, a partir de hoje, por todos os meios ao meu alcance.
Não é uma situação banal. Não é.
Melhores cumprimentos.

P. S. – Enviado por mail para Manuel Sampaio Pimentel, director do Centro Distrital do Porto da Segurança Social, e para a Cruz Vermelha – Delegação do Porto/Matosinhos.

Comments

  1. Paulo Sarnada says:

    Pela imagem até parece ser uma “coisa” fácil de resolver e de uma importância extrema para a segurança das crinaças.
    Não disse qual foi a receptividade da Sra. Directora em termos de prazo ou grau de aceitação da reclamação-alteração da situação.
    Há algum impediemnto técnico à sua “preocupação” com a segurança da crianças?
    Em Portugal para mudar coisas bem simples e que não têm grandes custos é um sarilho, mas para gastar dinheiro em banquetes e carros e “negócios” é um ver se te avias.
    Desejo que resolvam a situação em prol das crianças.

  2. Ricardo Santos Pinto says:

    Prontificou-se a resolver de imediato o problema. Há alguns meses atrás.

  3. Maquiavel says:

    A CVP deve andar com falta de clientes para as ambulâncias… só pode!

Trackbacks


  1. […] a propósito deste post. Não gosto deste Governo, abomino a sua política, mas a verdade, quando existe, também é para […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.