Cavaco e o Partido dos Mal-Fodidos

partido socialistaOntem, rubros como o sangue que Soares fantasia manar de algum orifício depois do tiro-ao-cavaco, resvalaram alguns cravos defronte a Cavaco na tribuna de honra da AR, enquanto discursava. Depois de a bandeira ter feito o pino, há um ano, mais um filão simbólico para a SIC explorar. Triste País. Deprimentes media. Ainda mais triste Regime. Após a homilia do Presidente de todos os portugueses, menos dos Socialistas e da Ganadaria de Esquerda, levantou-se um coro de ginchos e de uivos, primeiro de uma certa deputação bem nutrida inimiga da Direita, mormente dos chorões impostores do PS, e depois daquela comentadoria agregada ao Regime e dependente do seu favor que vai ruminar aquilo que já todos sabemos que vai dizer nas TV e nas Rádios.

Fica-se de imediato ciente, ao ouvi-los, de que esta democracia só é democrática e aturável quando é o PS a desgovernar. Mais ninguém pode desgovernar. Só eles. Fora o caso, frequente e natural, de estar o PS na ingovernação nacional, não há lugar para mais nada em alternativa, para nenhum outro tentar uma perninha bem intencionada. Se não for o PS e só o PS ali, naquela competência excelsa inigualável, Soares amua, a Esquerda Parlamentarizada e Aburguesada tem um ataque de constitucionalismo anafilático, espuma e espoja-se no chão com vários aqui d’el-Rei muito compungidos. Quando ninguém está a ver, levanta-se e vai jantar aonde o Luís M. Jorge recomenda se jante com luxo, vinhos caros e boas entradas. Andar a exigir a queda antecipada e imediata dos Governos e a recusar integrar um desde pelo menos há 39 anos dá imensa fome.

Temos, portanto, uma democracia comutativa como os interruptores da luz: liga-se e desliga-se, consoante seja o PS ou não a exercer o múnus da desgraça vagamente coincidente com cuidar com zelo do presente e do futuro da Nação. Não é o PS? Não se pode mexer. Não há dinheiro? Não há alternativas ao dictat externo? Pois, mas não se pode mexer.

Lamento, mas apesar da maré negra de comentadores que aqui me vêm dizer que nunca mais me vão ler ou que me deveriam proibir de escrever herege ou heterodoxamente ou me apodam de uma das bestas da Direita, um reaccionário, Pró-Passos, aliás o assessor que Passos não contratou e aspira a ser contratado, um canalha e um caralho montado num porco a pedalar o triciclo da austeridade, apesar disso, terei de continuar a escrever conforme me dita a consciência e me parece o caminho isolado e raro da isenção longe da manada do Regime. Por isso, tenho para mim ter sido o discurso de ontem, o de Cavaco, um dos melhores e mais lúcidos de sempre: o consenso a que hoje o Governo-Troyka apela será tão útil à governabilidade de agora como àquela de que o PS poderá necessitar amanhã. Não se pode ser hipócrita. Nem oportunista. Nem mentiroso. Nem fazer como Passos: mentir na campanha eleitoral, ganhar eleições e depois vir fazer exactamente a mesma austeridade ou pior que esta, aquela que nem Hollande, herói antecipado do crescimento e do emprego europeus, deixou de fazer.

Não sei se temos um Povo tão imbecil e ludibriável que volte a conceder votos a um PS que, no Governo, não teve zelo, mas desmazelo, ao proceder à gestão danosa de quase quase tudo e muito mais, se se provar que esta merda escandalosa dos “swaps” nas empresas públicas constitui ruína maior que um BPP ou várias PPP. Católicos, socialistas e benfiquistas, não há mal que nos não dure. Graças a Deus sou só católico. Sina do Regime.

Insisto: a Revolução de Abril, além da corrente de ar fresco da Liberdade, abriu as portas de par em par a este cortejo-ventania interminável de crimes sem castigo, tão criminosos no seu dolo que seriam precisas duas ou três Esquerdas Radicais para, na habitual caganeira-maratona protestatória, e por dez anos, ir para as praças e avenidas berrar por eleições antecipadas todos os dias. O Lixo do Regime nunca mais acaba e a falta de vergonha também não.

Cavaco, que tem muitos defeitos mas não os suficientes para ter feito o que Sócrates nos fez, também pode ter razão. E tem. É normal. Não é preciso ficar melindrado, frequentadores monopensantes dos Fora Radiofónicos em Portugal! O PS dos Mal-Fodidos não gostou do que Cavaco disse? Temos pena. Os donos morais do Regime têm de aprender a encaixar algumas verdades amargas. Agora em Congresso preferem encharcar o ambiente com a lama da demagogia e a banha da cobra do crescimento e do emprego, como se, à conta de parecerem bonzinhos [sim, Lello é bonzinho!] e muito sensíveis [ó, sim, ASS é sensibilíssimo!], e à conta de instarem muito prementemente a que é preciso eleições antecipadas, isso mudasse uma vírgula que fosse à Política de ‘Washington’, isto é, de Berlim. A formiga não faz trepidar a montanha. E não imagino Seguro a agarrar Merkel pelos colarinhos e a dizer-lhe: «Ouve lá, ó minha puta, em Portugal vamos para eleições antecipadas, depois de raptarmos e torturarmos o Presidente Cavaco para que no-las agende. Percebes?! O PS dos PEC I, II, III e IV, voltou. Voltará a ser Governo com 28%-30% dos votos ou menos. Limpinho. Paras com a austeridade ou não?!»

E Merkel, depois de encolher os ombros ao Seguro que lhe puxava os colarinhos e depois de sacudi-los, haveria de mandar-nos foder, a nós, eleitorado, por termos dado mais uma oportunidade a um partido que nos mandou para o caralho da Troyka. Depois, poderíamos escorregar para trás mil anos com socialismo sem austeridade, socialismo sem dinheiro, socialismo sem petróleo offshore, socialismo sem vícios, cheios de estradas vazias, felizes com a melhor Constituição do Mundo para Tesos, com a Fundação Soares a imprimir furiosamente à mão NeoEscudos muito parecidos com Euros, mas valendo menos de metade, notas de quinhentos, duzentos, cem e cinquenta NeoEscudos, visitaríamos museus onde se poderiam contemplar Magalhães Avariados, esquiços da Parque Escolar, o guardanapo sujo de um pequeno-amoço com o Figo da TagusPark, um powerpoint a explicar os swaps, algumas escavações arqueológicas com vestígios de crescimento e emprego, e a história das PPP socratistas em banda desenhada.

Cada vez me inclino a que é mais ou menos isto que está para acontecer a Portugal outra vez. Depois das maravilhas de 74. Preparem-se.

Comments

  1. Amadeu says:

    Só podes ter uma epilepsia mental grave a inflamar-te as meninges.
    Vê lá se isto te faz bem :

    http://youtu.be/0eoVLfPszeQ

  2. Zé Carioca says:

    Força palavrossa e que nunca te doam os dedos!

  3. Luis says:

    Nein, nein, nein, nein….
    Das ist unmoglich!
    Oh, mein Gott, nein
    Das gefallt mir nicht
    Das ist furchterlich
    Das ist unmoglich!

  4. Dora says:

    ” CDS é o segundo partido da oposição ( WTF???) que mais reforça a sua posição eleitoral”

    hehehhhh…..

  5. Bufarinheiro says:

    Pronto, pá.
    Já te disse que na próxima em vez que for para falar o Cavaco em vez dele, falas tu.
    Agora vai lá dar banho ao cão e de beber à burra.
    E não te ponhas a dizer coisas do PS que já toda a gente sabe que também não presta.

  6. fernando says:

    consciência, ah consciência…de merda!!!

    este não faz parte da ganadaria, faz parte da pocilga da direita.

    tem tino meu…


  7. Ganadaria de esquerda e pocilga de direita e vice versa são todos a
    mesma porcaria , a mesnm a sujeira incluindo Cavaco, que infeliz-mente fui talvez , o ex-militante do PSD , que mais o apoiou e por
    causa desses gajos estou na MISÉRIA .
    Há mais de 20 anos que não voto porque deixei de acreditar na Po-lítica e nos Políticos , são todos tendenciosos , que se esquecem
    que todos nós somos Seres-Humanos .
    Está tudo à vista , só não vê quem não quer . São todos culpados ,
    assim como todos nõs , que permitimos esta bagunça e roubalheira .
    O maior é atacarmo-nos uns aos outros , em vez de estarmos unidos
    mesmo aue havendo diferenças de ideais
    Os esquerdistas como os direitistas só matam a fome se consegui-rem alimentação , cuja base é igual para todos , magros e gordos ,
    inteligentes ou estúpidos .

  8. Joao says:

    Uma leitura provável do discurso do PR de ontem…

  9. António Fernando Nabais says:

    Ó Joaquim, chama-me portista, chama-me defensor do acordo ortográfico, o que tu quiseres, mas, pela tua saúde, não faças de mim um sebastianista a uivar regresso do PS ao governo! Se, algum dia, leres algum elogio meu a Sócrates e derivados, peço-te o favor de marcares um encontro comigo só para me dares uma carga de porrada, o que te agradecerei. Antes isso que incluíres um “link” para um texto meu, dentro de um discurso, ainda que imaginário, dessa coisa gelatinosa a quem desejo muitos sucessos na vida pessoal e sexual, desde que isso não inclua ter a responsabilidade de dirigir este meu país, até porque não se ia dar pela troca. Recebe o meu abraço sinceramente apertado.

    • palavrossavrvs says:

      Grande abraço, meu querido amigo. Foi só um link de cortesia ao teu contraponto e sem intuitos polémicos a propósito de parar: «águas paradas» / «Paras com…». Connosco, discordar não é, nunca será discórdia, somente a liberdade para caminhos possíveis e leituras possíveis, preservando sempre o maior respeito e o maior afecto que há no mundo.

      • António Fernando Nabais says:

        E que tivesse intuitos polémicos, ora essa! É que fiquei preocupado, a pensar que poderia ter dado a impressão de que alguma vez tinha defendido os sócrates, as milus e outros seres rastejantes. Irra! É que ia já comprar um cilício e bater com a cabeça na parede. De resto, é como dizes: discordância, nunca discórdia.

  10. Ausente Irreverente says:

    Está tudo à vista , só não vê quem não quer. São todos culpados (politicos), assim como todos nós que permitimos esta bagunça e roubalheira.
    Mas que grande verdade que o Fernando Cardoso escreveu.
    Ha boa maneira portuguesa, o melhor e’ culpar os OUTROS.
    Aqui no Aventar não funciona os pontos de avaliação, por que se eu os possuísse classificava-o com 10!

  11. jorge (fliscorno) says:

    O PS está a fazer o mesmo caminho, pedra por pedra, que fez o PSD quando era oposição: prometer aquilo que o eleitorado quer ouvir. E depois mandará as promessas eleitorais às malvas, tal como têm feito todos os governos até aqui. Não vê quem não quer.

    • palavrossavrvs says:

      Exactamente, Jorge. Os partidos que apresentam o caminho da miragem podem ganhar eleições, mas perdem o País, pedaço a pedaço. É a política em estado uganda-rwanda-sudão.

  12. omaudafita says:

    Sabes…esse símbolo é parecido com o do Partido Socialista, mas essa mão, não haja dúvida nenhuma, é a do teu querido paços fedelho. (e com a devida autorização do gaspar)

  13. omaudafita says:

    Palavrossaurus… o dom da palavra no cérebro de um dinossauro….

  14. edgar says:

    Consenso popular largamente maioritário é que não falta contra as políticas das troikas, da estrangeira e da interna; muitos ainda não conseguirão dar nome aos bois (nem aos boys), que a falar não são gagos, mas já faltou mais tempo…

  15. Ricardo Santos Pinto says:

    Cada vez que escreves estas coisas, dá-me a impressão de que te atiras ao PS como forma de desculpar o actual PSD. Foram 20 anos de Cavaco que nos trouxeram onde estamos hoje. E 14 anos de Guterres + Sócrates. Quase 20 anos de PSD e quase outros tantos do PS. Uns não podem falar dos outros.
    Quanto à Esquerda a sério, a que não tem nada a ver com isto, concordo contigo. Para serem coerentes, não deviam ir a bons restaurantes. Deviam passar fome. Serem uma espécie de Madre Teresa de Calcutá. A tal que defendia o sofrimento máximo dos pobres como forma de chegar a Cristo, nos hospícios que montou em Calcutá com o dinheiro dos Duvalier deste mundo, enquanto se ia tratar nas clínicas de luxo da Califórnia.

    • palavrossavrvs says:

      Essa Esquerda a Sério, hás-de concordar mesmo comigo, já deveria há muito ter tido uma participação governativa. Só assim teria moral para uma retórica criticista e condenatória que nunca concede tréguas à Devastação que temos tido, mas é só o lado imediato e fácil da retórica.

      Os Governos e as Políticas que tivemos sempre foram de Direita, de Ganância Corporativa e de Caos, mesmo que lá tivessem chegado com baboseiras de Esquerda. Resumindo, o Sistema Político-Partidário é um cancro ou porque só falam, falam, ou porque só embolsam e comprometem o País. Não absolvo ninguém, Ricardo.

      É fácil bater no PS. Bato porque é fácil e nunca é de mais. O PS é o pato sentado à espera do tiro mortífero: poderiam ter feito a diferença, mas excederam-se na gula e no apetite comissionista, amiguista, favoritista e exclusivista dos últimos dias de Pompeia. A voracidade da fauna socratista e dos outros cúmplices raia o absurdo. A actual Caixa de Pandora escancarada foi aberta por eles porque a prudência foi nula e a morigeração dos apetites e das oportunidades de comissões não teve limites.

      Foi com esses paus que se fez a cabana nacional. Até ver, manda quem pode, quem tem dinheiro, quem pode emprestá-lo e dita absolutamente as regras do Euro. Se Grécia tivesse ganho a sua chantagem engonhacionista, teríamos aqui outra conversa. Perdeu. Engonhar e trair o acordado é comprometer e piorar o nosso futuro. Por isso e só por isso é que não dou para o peditório de tornar tudo ainda mais pesado, difícil, mortífero para a esmagadora maioria.

      De resto, catarse. A catarse das ruas, a catarse de Portas a bater punho no Conselho de Ministros, do que precisamos é de vastas e frequentes situações de catarse. Todos os paliativos são bem-vindos, menos o paleio-morfina do PS.

      • makarana says:

        Ok.Mas será que isso está a resultar? Por outras palavras: o défice está melhor? a economia está melhor? Este governo é mais competente que o outro ou não? Não é.Em muitos aspectos tem sido pior que o anterior.E tenho a sensação que o Joaquim tem sido nos ultimos anos a peneira de um “sol” chamado direita nacional oportunista

      • Paulo Lopes says:

        Falando de paleios, rabo preso e catarse não se dão bem.
        A não ser para produzir a triste fragância a esterco que nos invade cada vez que o Sr.Dr. Cavaco (o “não presidente”) abre a boca para falar.
        Será o hálito de quem está num beco sem saída:
        – pressente que explodirá pelas omissões (“não-paleio-coca da Colômbia)… mas cada vez que fala arrisca-se a morrer de overdose odorífera. é O NACRO-PALEIO
        As moscas continuam à volta dele, cada vez mais saudáveis e fortes, sucedendo-se como Fénix renascida:
        – P S ( D ) C D S.
        Nunca um presidente me fez rir tanto como este:
        – “… depois não digam que não avisei, (…) palavra por palavra…” eheheh 🙂 :(ridículo!!!)
        Parem de chamar CRISE ao CAPITALPOLITISMO mafioso!


  16. Um dos artigos mais geniais que li nos últimos tempos. Parabéns ao escriba!

  17. joao riqueto says:

    Cavaco tem pinta de eucalipto, seca tudo à sua volta!

  18. murphy says:

    Muito bom. Fossem mais os portugueses a falar / escrever assim – claro – e o País não teria chegado a esta miséria..

    http://jornalismoassim.blogspot.pt/2013/04/portugal-e-isto.html

Trackbacks


  1. […] vergonha e sinto-me afrontado e gozado por este Partido Socialista. CRÉDITOS DA IMAGEM EM CIMA: Aventar.eu * * * Ver […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.