Foi há 20 anos, recordam-se?…

Nas eleições legislativas de 1991, o PSD obteve mais de 50% dos votos, contra 29% do PS, que lhe permitiram governar confortavelmente até 1995. Nas europeias de 1994, sentia-se no ar o fim do cavaquismo, o PS liderado por António Guterres que sucedera a Vítor Constâncio, capitalizava a esperança dos descontentes, não faltando então quem lhe exigisse uma vitória clara, capaz de catapultar o partido para a vitória nas legislativas em 1995. O PS elegeu então 10 deputados, conquistando 34,87% dos votos, contra os 9 deputados eleitos pelo PSD com 34,39%. Convém relembrar que na altura Portugal elegia 25 eurodeputados, os restantes 6 ficaram equitativamente distribuídos entre CDS/PP e PCP/PEV, o primeiro acima dos 12%, o PCP acima dos 11%.Vitória de Pirro, o PSD seria capaz de dar a volta à situação recorrendo a políticas mais ou menos eleitoralistas, etc… À época também se exigiu a demissão de Guterres, com ele o PS não ía lá. Acabou a vencer de forma clara em 1995 e quase conseguia uma maioria em 1999. Depois veio o pântano numa noite de hecatombe autárquica, mas isso é outra história e todos os ciclos políticos têm o seu final. Ao contrário de alguns autores aqui do blogue, eu não apressaria já o enterro político de António José Seguro.

Trackbacks

  1. […] legítima que a do governo continuar em funções até às próximas legislativas. Como referi aqui, a vitória escassa do PS não fazia prever a tempestade que se levantou, mas o líder da […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.