Um criminoso na PSP

Este homem não pode usar uma arma. Que tenha sido insultado, admita-se, mas quem não se sabe controlar, não pode estar numa polícia. E espancar um pai sem mais nem menos, à frente dos filhos, é de quem não se controla. Ou nunca teve pai, e fico-me por aqui  nas curtas considerações que isto inspira a qualquer humano.

Comments


  1. E todos os outros pides que caíram em cima do pai? O pai se falou mal só tem de ser chamado à atenção, ser advertido, ou se for algo mais grave, ser imobilizado e preso. O que fizeram foi fazer do homem um saco de porrada. O que tendo em conta a situação política fascista que vivemos começa a ser mais do que habitual. O que não devia acontecer óbviamente.

  2. Nightwish says:

    Quando os gunas usam uniforme não deixam de ser gunas.


  3. Reblogged this on O Retiro do Sossego.

  4. anon says:

    Quem nos protege dos nossos protetores ?

    Cump

    Rui silva

  5. AntónioF says:

    Caro JJ Cardoso,
    permita-me a observação inversa:
    um pai na presença de um filho tem que ter preocupações de cidadania acrescidas, que. presumo, pela análise crua das imagens, não tenha sido este o caso.
    Um filho serve de escudo?
    Recordo o exemplo do militar da GNR condenado por ter disparado contra uma carrinha envolvida num assalto e, acidentalmente, ter atingido uma criança que o pai levou para o referido assalto.
    Aí, como aqui, o energumeno é, obviamente, o pai desta criança!
    A cor clubistica não pode, igualmente, servir de desculpa!


    • Serve de escudo? ele claramente tenta é afastar o filho.
      E quem tem de ter preocupações de cidadania é em primeiro lugar um responsável da PSP, que seja-lhe dito o que for tem de agir com contenção: detém, identifica, segue para tribunal.
      Quanto ao criminoso da GNR, o caso é realmente o mesmo: uso indevido de força. Ou você sonha com o Texas, e acha que um polícia pode disparar não estando a vida de alguém em jogo? foi condenado, e muito bem. Quem condena são os tribunais, é essa a base de um estado de direito.

      • Maquiavel says:

        Se ele “claramente” tenta é afastar o filho, só se o fez ao pontapé.
        Que clareza de palhaço!


    • E quanto a essa da cor clubística, acertou na água. Sou tudo menos benfiquista. Sei é distinguir as barbaridades de alguns adeptos desta situação.

      • AntónioF says:

        O adepto desta situação terá elogiado, nos momentos iniciais do video, o bom trabalho da polícia, por isso é que o agente teve esta resposta. Não gosta de ser elogiado!
        Obviamente então, rua com ele!

      • Maquiavel says:

        Já estou à espera da defesa, então, dos grunhos dos No Names que estragaram a festa no Marquês, e que tiveram de ser “aconchegados” pela bófia de choque.


    • E o senhor por ventura já pensou que a culpa pode não ser do pai. Estão todos com a puta da mania que a culpa é dele, mas só porque é civil é? E o pide fica sempre impune porque tem uma farda, é isso? Se por acaso tiverem facebook abram este endereço que foi quem filmou o vídeo, em princípio ainda estará o texto que escreveu ontem https://www.facebook.com/dipil.nathalal?fref=nf&hc_location=ufi

      • AntónioF says:

        O pide?
        Pela utilização desse linguajar nota-se que pretende ver neste episódio a reposição de um outro «Muhammad al-Durrah». Só falta dizer que são forças de ocupação!
        Em meu entender o comportamento do pai, para além do que já disse no meu primeiro comentário, é insano, pois em momento algum pensa no filho que tem junto a si e no avô da criança que o acompanha.
        Não, não é culpado por ser civil, é, possivelmente, culpado pelos insultos que terá proferido, e a recção no contexto daquele dia é expectável!
        P.S.: Para que conste, eu também sou civil, como igualmente o é qualquer agente da P.S.P. (que eu não sou), só os G.N.R.’s é que são militares!


        • Lamento que ainda não tenha descoberto o princípio da separação de poderes, e defenda a punição por via policial,
          para lá de repetir mentiras (o testemunho do miúdo após os acontecimentos chorando “o meu pai não fez nada” só deixa dúvidas a um idiota), porque a autoridade tem sempre razão.
          Mentalidade pidesca, precisamente.
          Assim sendo, não seja piegas, emigre para um país onde a polícia espanca e mata legalmente. A Coreia do Norte ou Israel servem-lhe perfeitamente.

          • AntónioF says:

            Caro JJ Cardoso,
            obrigado pela recomendação, até parece vinda de um qualquer «insurgente»! Reitero o que já afirmei, «e a reacção [do agente] no contexto daquele dia é expectável»
            Quanto às afirmações da criança… esperaria ouvir (ler) outras?
            Mentalidade pidesca!?!? Caro senhor… estamos em 2015!


          • Você é um pobre bufo que mesmo com a verdade descarada contínua a defender o seu salazar. Mas deixe-me dizer-lhe que está a tomar uma disparatada atitude por estar contra os outros cidadãos. Já foi dito que estava a auxiliar o filho, mas para si isso não interessa para nada, o que interessa é que pelo facto de o cidadão ter respondido já por si só basta para ser espancado. Tomo essa lógica com a lógica norte-americana primeiro mata-se e depois pergunta-se. Este é o seu sonho, pode custar um bocadinho para ir para aquele país mais nojento do mundo, mas faça o esforço e vai ver que se vai sentir mais feliz. E não sei porque fala em 2015 se a sua mentalidade é dum agente da pide ou das ss. Portanto não lhe vale de nada falar em 2015 se a sua mente não evoluiu…

        • Nascimento says:

          Éxpecável né?Por isso é que o velhote levou dois socos na cara. Há com cada f.d. p. que até dá nojo… pidesco, este bufo rançoso.

    • Pedro says:

      António F, está a aí a fazer aguma confusão. A policia não tem entre as suas competências dar lições de cidadania. Ainda para mais à bastonada, que me parece um método pedagógico discutível. Nem a si lhe compete, já agora, dar lições de cidadania àquele pai. Voltando à policia, esta trata da ordem pública e, (tenha atenção, porque pode ser-lhe útil) apenas bate em legitima defesa ou para defesa de outrem e, mesmo assim, com muita contenção, priveligiando técnicas de imobilização. Não reage a bocas, nunca, em nenhuma circunstância, nem que o cidadão lhe ofenda o pai e a mãe. É dificil? Paciência, é para isso é que são formados e se distinguem, por exemplo, do António ou de mim.

      • Hélder P. says:

        Ora nem mais. E é esta distinção essencial no que compete à Polícia e no que compete à Justiça que distingue os países que são Estados de Direito dos Estados policiais O binómio “Law & Order” para quem apreciar a série de televisão.

        Quem não entende isto, como no caso do agente da PSP de Guimarães, não o pode ser, e no caso dos comentadores que aí aparecem a defendê-lo, tampouco estão preparados para serem cidadãos de um Estado de Direito. Ainda há quem tenha a mentalidade do fascismo latente no subconsciente, é a triste realidade. E por muito defeitos que se lhe aponte, a República Portuguesa ainda é um Estado de Direito e devemos pugnar para que o continue a ser.

        • Pedro says:

          Helder, é de facto espantoso que haja ainda atualmente quem aceite isto como natural. É aquela visão paternalista, tão portuguesinha, tão atávica, do papel do Estado. se o Estado bate, lá terá as suas razões…
          Alguns têm o que merecem e esses não merecem sequer ser chamados de “cidadãos”; não me metam é nesse triste papel.

      • AntónioF says:

        Caro Pedro,
        venho aqui, com aquele espirito de quem acertou no totoloto à segunda-feira e dar-lhe parcialmente razão!
        Tenho para mim, e quero acreditar que assim seja, uma Policia amiga e protectora do cidadão, pelo que, dar-lhe epitetos, como aqui foi referido, de pidesca, fascista e SS é manifestamente exagerada e, provavelmente, vinda de alguém, para quem o conceito de liberdade e democracia é algo que desconhecem. Mas, para isso, existem dicionários, mesmo os básicos onde podem ver a definição!
        Repito mais uma vez, querendo com isso reforçar e sublinhar a frase, com aquele espirito de quem acertou o totoloto à segunda-feira, dou-lhe parcialmente razão, e, nesse sentido, permita-me que lhe deixe um pequeno texto de Saramago:

        «Da democracia e da cultura
        o diário, 5 de Abril de 1985

        Um homem deita palavras ao ar como se lançasse barcos de papel à corrente: tanto podem elas dispersar-se como serem eles tragados no próximo remoínho, e isto é o mais comum. Mas também acontece navegarem os barcos até um bom porto de abrigo e terem as palavras ouvidos que as ouçam e bocas que lhes respondam. A estes acasos felizes se chama encontro e se chama diálogo. Porque, enfim, por muito que custe reconhecê-lo, não é encontro todo o ajuntamento nem é diálogo qualquer som de vozes alteradas.»
        In: SARAMAGO, José – Folhas políticas : 1976-1998. Lisboa : Caminho, 1999. p. 143

        Quanto ao senhor Pedro Marques e em relação ao que me dirigiu, permita-me que lhe diga que só me insulta quem eu deixo e não é nenhum qualquer Pedro Marques (ia escrever bardamerda mas não vale a pena) que o faz, provavelmente por não saber o que escreve!

        Dou por finda a minha discussão neste assunto.

    • Manuela Cunha says:

      A este pai dever-se-iam tirar os filhos porque não exerceu uma das suas funções principais que é a de protegê-los, zelar pela sua segurança. Um pai que põe daquela forma a vida dos seus filhos em perigo por si só basta para ir preso. É preciso acrescentar mais alguma coisa?


      • Eu acrescento: amanhã não se esqueça de tomar as gotas. Olhe que falhar muitas vezes a medicação pode ser perigoso.


      • Se você é mãe vá urgentemente levar os seus filhos para a adopção, entregue-os imediatamente que você não pode ter filhos é completamente doida varrida. Alguma vez o pai imaginava que tinha 5 pides cá fora desertinhos para dar porrada nele e no seu pai e muita sorte tiveram os putos de não levarem porrada, isto porque como são pessoas e os pides têm aversão à raça humana tudo o que for da raça humana é para limpar. Mas você está no seu direito de meter um alvo no peito do cidadão e chegar com uma espingarda e matá-lo só porque o homem acudiu os seus filhos por se terem sentido mal. Aproveite e ponha gelo nos pides que eles ficaram muito mal tratados, coitadinhos. Ficaram muito feridos na alma por verem ali cidadãos a socorrerem crianças.

  6. Carlos says:

    Execrável. Rua, com este bandalho fardado. O Estado não pode alimentar, com salário, tais animalescos. R U A !

    • Rui Silva says:

      Não pode. É proibido despedir na função pública.
      No máximo , um processo disciplinar que vai ter a oposição do “sindicato” e fica tudo na mesma.

      cumps

      Rui Silva


      • Mentir é feio, Rui Silva. Mas vindo de si já estamos habituados.


      • Rui, que disparate. Este não seria o primeiro policia a ser despedido.

        • Rui Silva says:

          Então está tudo bem, não é preciso tanta indignação. Tudo vai correr pelo melhor.

          cumps

          Rui Silva

          • ZE LOPES says:

            Ó Silva: ponha cumprimentos, em vez de cumps! Se um tipo tiver de ler em voz alta vão sair uma data de perdigotos…que podem cair em cima de um polícia e desencadear uma cena de bastonadas. E você arrisca-se a ter de ir a tribunal e tudo!

  7. J.V. says:

    Ponham os dislikes que quiserem neste comentário, mas é-me incompreensível como é que aquele pai e aquele avô, tendo alguma preocupação pelo bem estar dos miúdos, os não retiraram imediatamente daquele ambiente, para outro mais seguro. Para mais, se os polícias são tão ruins quanto dizem, então porquê deixar as crianças perto deles?


    • Foi exactamente o que eles estavam a fazer: tiraram os miúdos de dentro do estádio com a compreensão de 4 agentes (sim, na PSP há profissionais) e estavam a dar-lhes água, já que o mais novo se sentia mal.

      • J.V. says:

        Então se era uma situação em que estavam a ser auxiliados pela própria polícia, não se percebe o sucedido. Porque é que o pai dirige palavras acaloradas ao polícia, e porque é que o polícia o agride de volta, se estava ali para dar-lhe apoio. Não faz sentido.

        • Nascimento says:

          Pois é. Realmente “não faz qualquer sentido”E o pai? E o policia?. E tu? E eu?E deves andar nas nuvens, né? E será que a terra é redonda?E o meu zézinho é um assobio?…lol,tuga.


  8. Talvez isto o ajude a compreender:

    “Um outro caso que aqui relembro foi de uma criança de 12 anos que, num parque para crianças, brandia uma arma de plástico que parecia verdadeira. A polícia chegou rapidamente e disparou, matando a criança.

    Um terceiro caso, mais recente, ocorreu em Charleston na Carolina do Sul, onde um polícia disparou 8 vezes, acertando 5 dos tiros e matando um homem de 53 anos que fugia e tinha as costas viradas para o polícia. O homem tinha sido parado num controlo de tráfego, por ter um farol partido. Um vídeo de um telemóvel capturou o momento em que o polícia mata o homem e depois ainda lhe coloca as algemas.”

  9. omaudafita says:

    E que tal os agentes da autoridade começarem a fardar um traje de palhaço? Se não servem para serem respeitados sempre divertiam o pessoal… Isto é um ciclo vicioso, quanto menos autoridade a polícia tem menos é respeitada, quanto menos respeitada é maior é a propensão para reagir com violência; usam da violência e perdem o respeito, repete-se o ciclo…
    Quanto menos autoridade tiverem as forças de segurança pior ficam os que agora se viram contra eles: os ricos não precisam deles (segurança privada, vilas de luxo), os gatunos, assassinos, vigaristas, agradecem, e os mexilhões…

    • Nascimento says:

      Conheço alguns aqui na margem sul, que têm muiiita “autoridade”.! E NÃO SE VESTEM DE PALHAÇOS….
      São os “ninjas”! Andam todos Eem motos de fuças tapadas. E é verdade, adoram mostrar autoridade com os “mexilhôes” …bem, certos “mexilhões”, mais, digamos assim ,” isoladaos”! Tópas?
      Ele há coisas do caraçes,mas, há uns “mexilhôes” que nunca são “incomodados ” pelos “ninjas”; ( não que me importe, mas ,não deixo de reparar), uns mexilhões” de uma certa étnia. Será por racismo que os “ninjas” até aceleram a fundo quando os vêm?Só pode… olha,vou fazer queixa ao departamento para a igualdade racial e etnica! Não tá certo ….

  10. João Soares says:

    Frame 1- O polícia aparenta estar calmo no início .
    Frame 2-O adepto benfiquista tenta oferecer ao bófia um ramo
    de orquídeas.
    Frame 3- O bófia reage mal ao salamaleque e prega-lhe uma
    “Vergalhada”
    Conclusão : O bófia exagerou na reacção como é hábito.
    O adepto do benfica vai ser proposto pelo
    sr.cardeal patriarca de Lisboa para imediata
    beatificação e posterior canonização.

    PS. Vi muito menos indignação quando a GNR pregou um arraial de porrada nos trabalhadores (homens e mulheres, velhos e novos ) de uma fábrica de calçado de Guimarães quando reclamavam apenas salários em atraso.

    • Maquiavel says:

      Pois, essa é que é essa!

      Há ente que veste o manto sagrado e depois se comporta como andrade. De mim só levam eu tirar-lhes a camisola!

    • Nascimento says:

      És giro.Como tu são ás pazadas. Frame 3: o bófia dá dois socos na face de um idoso.Não vistes meu asno?Realmente a tua indignação em defesa dos trabalhadores deixa qualquer um mais “descansado”…


  11. Policia asesina.

  12. sergio jose says:

    lema da psp: na rua bastão erguido, em casa pau encolhido

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.