Bilhete do Canadá: Perguntar não ofende

Quando foi anunciado que do actual governo faziam parte um homem de ascendência cigana, uma senhora cega e uma senhora negra, um tipo tido por católico, apostólico, romano, pôs a circular entre os amigos, via on line, esta bestialidade: “o cigano roubou a bengala da cega e deu um ensaio de porrada na preta”.

Que se faz a um aleijado de carácter como este? Dá-se-lhe um par de estaladas? Ou dá-se uma condecoração?

Haja quem saiba responder.  Entretanto, tudo quanto era saudoso do salazarismo, delirou com o vómito.  Que a terra lhes seja leve.

Comments

  1. Anasir says:

    É uma vergonha para um país que atrasados mentais deste calibre tenham apoio … Só demonstra o nosso atraso cultural… 🙁

    • j. manuel cordeiro says:

      O deles, neste caso 😉

    • Maria João says:

      Demonstra, infelizmente, mais do que isso… Costuma dizer-se, do ponto de vista da saúde de cada um de nós, que somos o que comemos. Dos portugueses, relativamente à passividade com que aceitamos com estes tristes exemplos, bem pode dizer-se que somos aquilo que toleramos…

  2. José Peralta says:

    fleitão

    Presumo que não o saiba, mas foi pena não vir a público o nome de tamanho vómito, diria mesmo um “volvo”, católico, apostólico, romano”. Ele merecia essa distinção…

    Ainda procurei na Net, tendo as tentativas saído goradas !

    Mas, na mesma linha de “pensamento”, encontrei no “correio da manha” de 28 de Novembro de 2015, esta “manchete” carregada de mal disfarçados racismo e xenofobia : “Costa chama cega e cigano para o governo”, da autoria do “jornalista” josé rodrigues.

    Perante a onda de indignação e repúdio (175 queixas) lá veio, o director daquela “folha de couve”, octávio ribeiro, de esfregona, lixívia e balde em punho, tentando limpar a sujidade e o lixo, com o editorial “Cego, negra e cigano – O pior cego é o que não quer ler”, tentando de forma canhestra, atabalhoada, apagar o escândalo, e escrevendo :

    “O pior cego é o que não quer ler. Vai uma enorme polémica e uma ainda maior onda de indignação nas redes sociais por o CM ter dito que uma cega é cega e que um cigano é cigano”.

    E, visívelmente não sabendo como sair do imbróglio, o “sôr” octávio ribeiro perde-se, depois em elogios tão bacocos, quanto tardios, como :- “Sofia Antunes-tenacidade e inteligência ” – “Carlos Miguel-perfeita integração na etnia cigana “, etc. etc.,
    acrescentando esta “pérola” do jornalismo português, a “armar ao pingarelho” : – ” Aos cegos e ciganos portugueses, a nossa saudação fraterna” (!!!!!)

    E termina, o “sôr” ribeiro com um ataque cerrado à “multidão sem neurónios que nas redes sociais se comporta qual matilha, ora latindo, ora rosnando, ora mordendo, é uma cáfila que lamentamos, mas não tememos.

    A tal “multidão sem neurónios”, por acaso, é aquela em que me incluo, a qual reivindica o direito de não concordar com as suas “manchetes” para melhor vender papel, e tem, por muito que isso lhe custe, a mesma liberdade de expressão que o “sôr ” ribeiro tanto defende para o pasquim que dirige…

    Portanto, tome lá com o efeito “boomerang”, que o atinge a si e à sua “distinta redacção”! E, salvo as honrosas excepções, se as houver…uma cáfila que lamento, mas que não temo !

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.