Aumentos de 150% na ANAC: mais uma obscenidade com a chancela PSD/CDS-PP

ANAC

Sobre a polémica dos aumentos na casa dos 150% para membros da direcção da ANAC, em cima das Legislativas, a melhor desculpa que os partidos que suportavam o anterior governo teve até ao momento foi afirmar que o PS participou na aprovação da lei que permitiu este abuso, algo que me indigna mas não me surpreende.

Mas hoje ficamos a conhecer um pouco mais sobre esta história de excepção e privilégio. Segundo o Expresso, dois dos três elementos que integram a comissão que decidiu sobre estes aumentos obscenos foram nomeados, imaginem lá, por Pires de Lima e Maria Luís Albuquerque. Em declarações à TSF, Hélder Amaral (CDS-PP), um dos deputados que participou na elaboração da lei-quadro das entidades reguladoras, afirmou que  se tentou “que a massa salarial fosse menor” mas que tal não foi possível. Que grande azar! Elaboraram uma lei que permitiu estes aumentos imorais e, no decurso desse trabalho, não conseguiram evitar que o presidente da ANAC aufira hoje quase o triplo do salário do primeiro-ministro. Chega a dar pena…

Foto: Pedro Nunes/Lusa@Expresso

«Nunca me engano e raramente tenho dúvidas»

bola de fogo

© Rogério Pacheco (http://bit.ly/20mxHxw)

Nonetheless, it seems to me doubtful as a way to proceed in the present situation for the following reason. I said above that the essence of consciousness was subjectivity. There is a certain subjective qualitative feel to every conscious state. One aspect of this subjectivity, and it is a necessary aspect, is that conscious states always come to us in a unified form. We do not perceive just the color or the shape, or the sound, of an object, we perceive all of these at once simultaneously in a unified conscious experience. The subjectivity of consciousness implies unity. They are not two separate features, but two aspects of the same feature.

— John Searle, Philosophy In a New Century

***

Hoje, ao passar os olhos pelo sítio do costume, lembrei-me quer deste parágrafo escrito por Searle, quer daquela frase que Cavaco Silva não disse. A Câmara Municipal de Ovar, à qual dediquei meio parágrafo na quinta-feira, estará provavelmente a preparar, neste exacto momento, uma nova declaração de rectificação.

DRE 222016 ovar

Houve discernimento [Read more…]

Eleição na terra dos gringos…

Dia 8 de Novembro os americanos irão eleger um novo presidente. Até lá um longo e interessante caminho terá de ser percorrido pelos candidatos de ambos os partidos, em caucus ou primárias, culminando na nomeação em convenção durante o mês de Julho, em Cleveland, Ohio para os Republicanos e Philadelphia, Pennsylvania para os Democratas.

Mas se o caminho para chegar à Casa Branca é feito de espectáculo e emoção, os candidatos pouco têm de espectacular e interessante. Nos Democratas Bernie Sanders ameaça importar o socialismo para a América, disputando à toda favorita Hillary Clinton a nomeação, quem sabe um remake de 2008 quando Obama também partindo como underdog surpreendeu. Uma vitória democrática significará a continuidade do big government, impostos elevados, descontrolo orçamental, défice elevado. Não custa adivinhar que Sanders entusiasmará muita gente em Portugal, principalmente os apoiantes e aliados do actual (des)governo, se exceptuarmos é claro posições como a defesa da 2ª emenda… [Read more…]

MAClata: a falta de vergonha de Marco António Costa

macNão é fácil encontrar palavras para descrever o que se sente em Gaia, de cada vez que Marco António deixa o cativeiro e aparece perante o país, como se fosse o mais puro dos anjos à superfície do planeta.

Vamos lá ver se conseguimos explicar, de forma breve, o cenário a sul do Douro, nomeadamente à nova (velha?) liderança laranja que, pelos vistos, à falta de melhor, vai buscar inspiração ao que de pior a política tem: Marco António Costa.

Este senhor, a quem não se conhece profissão, continua a ter um currículo onde Vila Nova de Gaia não existe. Mas, apesar da vergonha manifestada pela sua passagem por cá, sentimento generalizado a quase todos os gaienses, a verdade é que esteve cá. E as contas por pagar são disso prova.

Quando o povo os derrotou nas urnas, a bola da dívida bateu na trave dos 300 milhões. Ao nível da gestão autárquica, os últimos dois anos e meio, em Gaia, foram uma aventura, quer pelos sucessivos buracos (crateras!) encontrados, quer pela necessidade de associar rigor e criatividade, num processo destinado a personagens nada terrenas, como Lara Croft.

Mas, a realidade é o que é e ninguém fugiu às responsabilidades. O anuário dos Municípios Portugueses não podia ter sido mais claro: [Read more…]

O Pivot

miguel_relvas-_assuntos_parlamentares14823fe2_400x225

Passos Coelho vende BPN ao BIC por 40 M€. Estado aumenta o capital do Efisa, banco de investimento do universo SLN/BPN, em 90M€. Efisa é vendido por 38,5 M€ à Pivot SGPS, uma sociedade de capitais portugueses e angolanos da qual faz parte o ex-ministro do PSD Miguel Relvas.

Professores: aí está a segunda proposta do ME

Relativamente aos concursos.

Aumentos de 150% na direcção da ANAC? Eram as Legislativas, estúpido!

eleitoralismo

Anda por aí muita gente surpreendida e indignada com os aumentos salariais acima das possibilidades do país que o governo anterior proporcionou  a três elementos da direcção da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC), um aumento superior a 150%. Junto-me a esse coro de indignação mas devo dizer que não estou minimamente surpreendido. Só quem não esteve atento aos últimos esforços eleitorais da coligação PSD/CDS-PP a poucos dias das Legislativas é que pode estar. Ou será que já ninguém se lembra dos vários aumentos salariais proporcionados pela equipa de Pedro Passos Coelho na semana das eleições? Só no ministério da Saúde foram 11 mil enfermeiros de uma assentada. E se esses aumentos não me causaram indignação pelo aumento em si mas pelo timing, no caso da direcção da ANAC estamos perante um verdadeiro insulto à população portuguesa. Pelo aumento estratosférico, pelo timing e por ter sido uma decisão dos mesmos que agora se indignam diariamente contra qualquer minúsculo aumento do salário mínimo. E a melhor desculpa desta direita moralista, até ao momento, é acusar o PS de ter participado na aprovação da lei que permitiu este abuso. Genial!