Bihete do Canadá: Ser português

dale brazao HORA DOS PORTUGUESES é um  programa da RTP-Internacional dedicado aos emigrantes espalhados pelo mundo. Há dias passou um esboço biográfico do jornalista Dale Brazão, há mais de 40 anos fazendo jornalismo de investigação no Toronto Star e um dos jornalistas mais premiados do Canadá. Vou contar um episódio passado com este algarvio que tanto honra Portugal no estrangeiro.

[Read more…]

Ventos de Liberdade sopram na América latina…

Os Kirchner apeados do poder na Argentina, Maduro cada vez mais acossado no parlamento venezuelano após uma colossal derrota nas legislativas, agora é Morales que vê frustrada a tentativa de se perpetuar no poder…

Boeing

Quando se fala na Boeing pensa-se em viagens e aviões. Raramente que se trata do segundo maior fabricante de armamento militar do mundo.

Alívio moral

A primeira qualidade do Orçamento 2016 é o alívio moral que permite ao país, posto num caco anímico por mais de quatro anos de governação insalubre.

ÀS ARMAS!

waffen

A Ásia e o Médio Oriente lideram o crescimento das importações de armas, enquanto os Estados Unidos e a Rússia se mantêm como os maiores exportadores – revela o Relatório do Stockholm International Peace Research Institute (SIPRI).

Se usarmos o aumento das exportações de armamento como indicador, o mundo está a tornar-se um lugar cada vez mais perigoso. Nos últimos 4 anos, o volume global de exportação de armas aumentou em 14%, por comparação com o correspondente período anterior. Com 33%, os EUA continuam a ser os campeões das exportações de armamento – tendo vendido ou distribuído (!) armas a 96 países -, seguidos da Rússia com 25%; ou seja, estes dois países são responsáveis por mais de metade das exportações mundiais de armamento. A China com 5,9%, a França e a Alemanha ocupam os lugares seguintes.

Já no lado da importação, os campeões mundiais são a Índia e a Arábia Saudita.

Face a esta evolução, diria que é necessária uma grande capacidade de abstracção, para colocarmos crianças no mundo….

O Poder da Narrativa

macrorregiao_portugal

António Alves

Esta imagem representa a intensidade de comunicações móveis e os movimentos pendulares dos utilizadores de telemóveis em Portugal. Quanto mais clara a cor das ligações maior a sua intensidade. O estudo que lhe dá origem [1] é um dos componentes utilizados para determinar a geografia das duas Macrorregiões funcionais portuguesas: Noroeste e Lisboa [2][3].
[Read more…]

A Guerra Financeira 

Sobre o cavalo de Troika apenas a dizer que a inspiração vem certa. Antes eram cavalos, depois exércitos, depois ameaças de holocausto. Agora: agências de notação financeira. 

Sem corpos. A guerra do futuro. 

Eco gigante

umberto_eco_ Tullio Pericoli

© Tullio Pericoli  

Marco Faria

Depois dos padres morrerem, todos vão à missa. E agora todos vão dizer que Umberto Eco era o maior. Claro que era, e ainda antes de escrever o seu “best seller” de 1980, “O nome da Rosa”. Sempre temi que Eco morresse sem receber o Prémio Nobel da Literatura. Não é que precisasse de um reconhecimento de dinamite de Oslo/Estocolmo, mas já que o Nobel elege os melhores entre os melhores, então deveria tê-lo recebido. Agora, já não interessa nada esse “deveria-ser”. Os melhores textos pensados sobre a Europa contemporânea são de Eco. As melhores opiniões sobre o nosso tempo são de Eco. Era uma delícia ouvi-lo ou lê-lo. Eco perdera com o tempo a fé no divino, mas possivelmente nunca nos homens, de quem ironizava nas entrevistas ou nos romances. Agora dizem que a Cultura está de luto, e não será assim. A Cultura só tem de sentir-se honrada, porque um dos seus maiores continuará presente: nas estantes privadas, nas bibliotecas públicas, nas salas de aula, até no lixo omnipresente da Internet, de onde será possível extrair um farol para guiarmo-nos num mundo “desbussolado”. Morto o filósofo, o pensador, o semiólogo, o escritor, o crítico, o professor, resta a obra gigante daquele que se insurgiu contra a vulgaridade de espírito e a escravidão da norma(lidade) intelectual. Foi um homem livre.

Parque Expo, CDS-PP e o branqueamento do compadrio

NGPMS

Sobre o caso dos ajustes directos da Parque Expo a altos dignatários do CDS-PP, cometi um erro ao afirmar, numa publicação da passada Quinta-feira, que o ex-ministro Mota Soares seria um dos proprietários do escritório Nobre Guedes, Mota Soares, Sociedade de Advogados, RL, isto apesar Pedro Mota Soares integrar, tal como outros destacados militantes do CDS-PP, os quadros do referido escritório.

Mas já que volto a este assunto, e porque a rede de amigos e convivas politico-partidários que mediatizou este caso não deixou de existir, não posso deixar de comentar o direito de resposta enviado pelo escritório Nobre Guedes, Mota Soares, Sociedade de Advogados, RL para o Observador, que procura branquear a ligação do ex-ministro de Passos Coelho àquele escritório, afirmando, no ponto 4, que Pedro Mota Soares “não é, nem nunca foi, sócio da sociedade de advogados Nobre Guedes Mota Soares e Associados“. Quem lá isto por alto pensa que foi aqui cometida uma grande injustiça mas não foi. Pedro Mota Soares não é sócio mas é associado, logo integra os quadros do escritório e o conflito de interesses não se dissipa. [Read more…]

Mandou votar contra

Li isto e quase que não acredito:
“O maior partido da oposição vai empenhar-se no debate do OE2016 e, consequentemente, organizou a sua bancada parlamentar para analisar o documento do Governo e fazer propostas nas várias áreas. O maior partido da oposição promete um trabalho duro de oposição, mostrando que uma alternativa é possível e desejável para Portugal. O líder do partido liderará pessoalmente este esforço de trabalho de todos os deputados eleitos, e já fez saber a todos que a posição final do partido na votação do OE depende dos resultados obtidos com este esforço. Está por isso nas mãos do Governo, na sua capacidade de diálogo e compromisso, o sentido de voto do maior partido da oposição relativamente ao OE deste ano”, afirmou hoje em conferência de imprensa o líder do maior partido da oposição. [Read more…]

Cavalo de Troika

A Alemanha concebeu a “Austeridade” como estratégia de guerra e de conquista da Europa. É um Cavalo de Troika.