GOOOOOOOOOOOLO!

Em suma, é isto.

JONAS

Armando Franca/AP (http://bit.ly/1QHcZOh)

TAP, passa-te ao caralho!

Quem é que precisa da TAP para o que quer que seja?

Os cães ladram e as panelas da família Soares passam

JS

A panela obtida pelo filho de João Soares na CM da Lisboa é duplamente interessante. É interessante, por um lado, porque demonstra que o clientelismo está vivo e de boa saúde no seio do PS. Nada de novo. Interessante também é verificar o regresso da máquina de propaganda da direita a estes temas, depois de um silêncio ensurdecedor de quatro anos. Já tínhamos saudades deles. [Read more…]

Bilhete do Canadá: Prós e contras

Segunda-feira discutiu-se a Eutanásia.

Qual não foi o espanto, aquém e além mar, do lado Contras estavam as mesmas damas que se bateram contra o Aborto. Usaram a mesma argumentação e o mesmo discurso. Não sei se os cabelos são pintados. Só sei que são loiras.

A Direita não aprende nada. E depois, queixa-se. Haja pachorra, Fátinha, haja pachorra.

Orçamentos movediços

cameloMarco Faria

Como diria Abud Aba, o maior vendedor de pneus de bicicleta de Marraquexe, os portugueses têm muito amor e pouco dinheiro… Com que então o Orçamento do Estado para 2016 já mereceu 46 páginas de correções? O mais interessante é que o Orçamento prevê a “manutenção da carga fiscal em 2016” (ou uma subida, se acrescentarmos as contribuições sociais, corrigiu o economista e deputado independente eleito pelo PS, Paulo Trigo Pereira).
O Orçamento será outra vez corrigido no dia em que o ministro Mário Centeno nos tirar um subsídio lá para o Verão… Mas o prémio BAFTA vai para o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, que aprovou uma portaria ainda antes de o galo começar a cantar, e assim os combustíveis conhecem o maior aumento de impostos desde o ano do “bug” informático, 2000.
É justo o BAFTA para Rocha Andrade, quando as suas palavras são corroboradas pelo “draft” do Orçamento, que aponta para um novo futuro aumento de 4 a 5 cêntimos por litro. Tudo isto, dizia há dias o primeiro-ministro que foi ao Festival Berlim, se justifica em nome do princípio da neutralidade fiscal. Eu gosto muito dos princípios invocados por homens que optam por esvaziarem-nos os bolsos. Abud Aba é um marroquino sensato: os portugueses têm muito amor e pouco dinheiro… E Habib Selam, o ajudante de Abud Aba, diz que os orçamentos portugueses são como os desertos africanos: quanto mais se mexe, mais se asfixia o contribuinte, que cai desesperadamente nas areias movediças. Não há camelos que nos lhe valham desta aflição fiscal.

Marcelo Rebelo de Sousa: Isto, sim, é começar em grande

No dia seguinte ao da eleição, conduziu sem cinto e estacionou num lugar reservado a deficientes. Podem achar uma coisa menor, para mim não é. Diz muito da personagem.
Num dia destes, esteve em Braga. Recebeu um prémio das mãos de António Salvador. Presidente do Braga, dono da Britalar e uma pessoa acima de toda a suspeita. Numa cerimónia em que, recorde-se, foi evocado Marcelo Caetano e o Cónego Melo (Padre Max,lembram-se?)
Para quem ainda nem sequer tomou posse, não está mau…

Placard: coração ou razão

Para logo? 2,04 no coração ou 3,24 na razão?

Teoria económica vs ciência política

Portugal tem coisas fantásticas

Capture

Portugal tem coisas fantásticas, e quando quer, isto é, quando se organiza, quando investe nas capacidades técnicas, científicas e humanas que foi capaz de desenvolver, quando olha para o exterior e aceita desafios de competitividade, revela desempenhos muito meritórios. Um desses exemplos é a florescente indústria metalúrgica, metalomecânica, de construção de máquinas e afins. Poucos sabem, mas Portugal é um grande fabricante de máquinas que são muito valorizadas por esse mundo fora. Esse é um reflexo da qualidade da nossa engenharia dando corpo a um setor industrial que, em muito, contribui para imagem de um Portugal moderno, com futuro e capaz de realizações fantásticas.

[Read more…]

Crato foi um zero

Meu Caro Paulo,

Tenho da vida uma visão muito humilde e procuro, em cada momento, pensar sobre a informação que me vai chegando. Obviamente, li os teus textos e, claro, condiciono a minha escrita à tua posição, na medida em que a considero. Mas, considerar, não significa concordar. E, pelo que já percebi discordo e muito sobre a tua defesa (posso também usar a palavra branqueamento?) da legislatura de Nuno Crato.

Eu, pelo contrário, não tenho dúvidas. Aliás, nunca tive.

crato3

crato2crato1

Obviamente, Maria de Lurdes Rodrigues chegou antes de Nuno Crato e isso é um facto histórico e indesmentível (digo eu, que percebo muito pouco disto): naquele tempo, o PS tinha condições para fazer o que fez porque tinha a concordância da direita, isto é, nunca o PSD poderia ter feito o que fez MLR porque o PS estaria contra. Lembro que em 2005 o PS só via “apoio” quando se virava para a direita, ou seja, o ataque de MLR à profissão foi do agrado do PSD e por isso foi possível de concretizar. E, quanto ao ataque de MLR aos Professores, já escrevi no post anterior.

Mas, se me permites, vou buscar alguns dos teus argumentos para subscrever a minha tese de que, para a Escola Pública, Nuno Crato teve uma prática muito menos progressista e onde o investimento na escola pública não existiu, antes pelo contrário. Ou seja, MLR teve uma prática diversa da minha (MUITO!), mas investiu na Escola Pública. NC tem uma prática oposta à minha (TOTALMENTE!) e desinvestiu na Escola Pública. Vamos aos factos: [Read more…]

Braga numa palavra?

braga_futebol_igreja

Se um amigo de longe me pedisse para condensar a bimilenar cidade de Braga num parágrafo ou num única palavra, eu não teria nem palavras nem parágrafos para tal. Mas teria este excerto da imprensa local. Braga numa palavra é: isto.

Filho de João Soares contratado em Janeiro pela Câmara de Lisboa

É comovente ver um filho seguir as pisadas do pai. 2800 a 3500 euros mais IVA por toda esta experiência.

A lascívia. A luxúria. O deboche.

Cartas de amor de João Paulo II a uma mulher casada

OE 2016, Carga Fiscal (4/5)

Gráfico_OE2016-04

Luz e sombra (6)

paulo abrantes

Fotografia: Paulo Abrantes

Depois dele virá quem das clientelas tratará

PPC

Pedro Passos Coelho discursou ontem em Paredes, terra do autarca que tentou fazer frente ao regime do seu brother in arms Marco António Costa, acabando por perder as eleições para a distrital do PSD Porto contra Virgílio Macedo, com a candidatura de Celso Ferreira a levantar suspeições de fraude eleitoral. Nada de novo na corte do imperador Marco António. Claro que, prostrado perante o poder do aparelho, o autarca de Paredes entregou a chave da cidade ao chefe, que convidou a inaugurar uma escola aberta desde o ano lectivo de 2013/2014. Noblesse oblige. [Read more…]