Como uma tola em cima da ponte


ACristas

Convenhamos que, gostemos ou não do indivíduo, suceder a Paulo Portas-Engil no CDS-PP não será pêra doce. Até porque, por mais desprezível e reles que o possamos achar, Paulo Portas não é burro nenhum. Não é o típico produto martelado de uma jota, ainda que por lá tenha andado. Não é um dos tais quadros muito muito medíocres de que falava noutros tempos. Não, Portas é um tipo inteligente, sagaz. Não é qualquer palerma que tem habilidade suficiente para chegar a vice-primeiro-ministro com 650 mil votos.

Já Assunção Cristas é uma sombra mal-amanhada da sombra de Portas. Repete os mesmos chavões, usa os mesmos soundbites, mete frequentemente os pés pelas mãos, prima por um discurso no mínimo infantil e é muito, muito chata. O oposto de Portas, que nunca despiu a pele de entertainer. Uma tola em cima da ponte que não sabe o que quer ou para onde vai.

Veja-se, a este propósito, o caso ilustrado em cima. Em Maio, Cristas pedia ao governo “voz grossa” junto da Comissão Europeia, de modo a evitar as sanções pelo défice excessivo que o governo do qual fez parte nos deixou a todos de herança. Uma fina ironia vinda de uma ex-ministra do governo mais submisso a Bruxelas de que há memória. Dois meses volvidos, a herdeira do Irrevogável surge indignadíssima, acusando o governo a quem dois meses antes tinha pedido “voz grossa” de estar a “brincar com o fogo” em Bruxelas, por bater o pé e se recusar a aceitar, de ânimo leve, a submissão exigida por aqueles que comandam a União.

É possível que se trate de uma perturbação mental momentânea. As saudades do Querido Líder, as trapalhadas por resolver no Parque Expo, a perda da confiança dos portugueses que remeteram o seu partido para o fundo da tabela parlamentar e a amargura causada pelo catástrofe financeira que tarda são motivos mais que suficientes para provocar danos significativos na moleirinha da senhora. Mas sempre vai dando para nos rirmos um bocado. Para o fartote ser completo, o ideal seria que o PSD engolisse definitivamente o CDS-PP (existem por aí uns quantos académicos da coisa que falam num processo de fusão que mais não será do que uma reconfiguração do PSD e a total extinção do CDS–PP) e era vê-los, Passos e Cristas, quais Jim Carrey e Jeff Daniels, a fazer a versão portuguesa e não-encenada do Dumb & Dumber. De mãos dadas pela ponte fora.

Fotomontagem e fontes via Uma Página Numa Rede Social

Comments

  1. Thief says:

    Parafraseando o segmento de outro blog, a Assunção Cristas é “uma verdadeira artista”.

    • anónimo says:

      Assunção Cristas é a loira escolhida para servir de fachada ao CDS, enquanto o Paulo Portas fizer a “travessia do deserto”.
      Para essa missão precisavam de uma marioneta dócil, com boa imagem à direita, dentes brancos, etc.
      Quando chegar a altura da associação de gatunos voltar ao poder, a saCrista vai sair pela porta de serviço, para o lixo.
      Entretanto fazem terrorismo; fazem a sabotagem do trabalho do governo que os portugueses elegeram; espalham a mentira e a calúnia nos media nacionais, corporação criminosa que o Paulo Portas controla e dirige, contra Portugal.
      A estratégia é derrubar o governo, mesmo que governe bem, e abreviar a travessia do deserto.
      Estes parasitas são de muito alimento, e só se satisfazem se tiverem um país a trabalhar para lhes alimentar a ganancia.

      • Thief says:

        O CDS neste momento é um partido de meia dúzia de pessoas, espero que tão depressa (o melhor seria nunca) estas criaturas não voltem a ser ministros do quer que seja.

  2. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Não partilho dessa visão caro João Mendes.
    Paulo Portas não é inteligente. É apenas um ser que se serve de uma situação que o protege para fazer coisas que, provavelmente, com outros, seria condenável, ara ser meigo. Isso não é inteligência. É ser-se oportunista e nesse campo,estou de acordo, não há muitos como ele.
    Oportunista é diferente de oportuno. Uma pessoa oportuna é inteligente, porque mede timings de entrada e de saída. Portas não mede nada, porque não tem nada a medir, nem necessidade de medir. É, apenas, um oportunista que aproveita uma conjuntura política para fazer de tudo, até irrevogabilidades e passar como se nada fosse. Tem lata que é diferente também de ter personalidade ou presença.
    E tem outra característica: faz de quem o ouve, estúpido, embora aí seja um apanágio desta extrema direita.
    Idem relativamente aos votos. Cavaco teve quatro maiorias absolutas, mas tal como na eleição de Portas, isso só diz mal de quem vota. A maioria dos votantes em Portugal, não prima pela consciência. Metade, abstém-se sistematicamente e metade da restante metade, infelizmente, está mal informada por um lado e por outro para além da bola, poucos mais centros de interesse tem.
    Cristas é, tão só como a define. Aí subscrevo.

    • anónimo says:

      Os predadores são inteligentes.
      As ervas daninhas são inteligentes.
      Os cucos são inteligentes.
      Os parasitas são inteligentes.
      Os animais que comem os da própria espécie são antropófagos, ou canibais.
      Paulo Portas é isso tudo, e muito mais, e pior.
      É inteligente, ou é uma grande besta?

    • Que triste colecção de palermices.
      Pelo que tenho lido de há uns tempos para cá, o comentador Ribeiro tem muitas dessas características portianas. Vê a realidade de um modo muito distorcido. Serão feitios…

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        Senhor jmc
        Uma das características que o comentador Ribeiro tem é não estar aqui para agradar a personagens independentemente das palermices mais ou menos agudas que se pronunciem. E só lhe respondo, porque se dirige a mim e foca o meu nome na pretensa resposta que me envia, não primando nem pela elegância, nem pela objectividade e muito menos pela educação que é mesmo rasteira.
        Não o acuso, como faz de ver as coisas distorcidas. Direi que o Sr. jmc terá uma opinião e uma visão (não sei qual é, mas não o acuso de dizer palermices) e eu terei uma outra que, para aqueles que gostam de viver em democracia deveriam admitir e não catalogar com adjectivos pouco próprios.
        Se o Sr. jmc quiser entrar num diálogo objectivo e ser objectivo, terei todo o gosto em conversar, consigo ou quem qualquer outra pessoa. Mas tem que dizer ao que vem e não demonstrar o comportamento de “suporter” de uma mera claque de futebol que manda uns foguetes para a multidão.
        Não queira é juntar às palermices dos outros, as suas próprias.
        Tente ser diferente e sobretudo, mais educado.
        Sobre as características portianas de que me acusa, uma vez mais, não as enuncia, mas ainda bem para si, porque poderia ter uma resposta ao seu nível.
        Em todo o caso terminarei dizendo que o Sr. não diz nada e acusa-me de dizer palermices. Se reparar no número de polegares para cima e para baixo relativos às coisas que escrevi, perceberá rapidamente quem é que anda a escrever palermices. Ponha lá o polegar para baixo e diga de uma vez o que pretende.
        Sobre o seu feitio … passo.

  3. Pablo says:

    Deixem lá estar a senhora na sua inocência .

    Quanto ao Paulo não confundir demagogia e populismo com inteligência

  4. carlota says:

    Depois das trapalhadas que fez como ministra, rodeada de boys incompetentes…no seu melhor. “A ministra da Agricultura explica que não hesitou em seguir o exemplo de Jesus Cristo, “que nunca teve medo de se meter com gente pouco recomendável”, para ingressar na política. As palavras pertencem à ministra da Agricultura, Assunção Cristas, que na terça-feira participou na segunda sessão das Conversa sobre Deus – uma iniciativa da Capela do Rato, com o patrocínio da Rádio Renascença.”
    http://observador.pt/2015/10/30/assuncao-cristas-politica-inspirei-me-jesus/
    Não faço ideia se a Cristas anda na erva ou no ácido, mas a realidade é que ela continua uma santinha passada.

  5. António Melo says:

    Parafraseando Mark Twain, a notícia da inteligência de Paulo Portas é manifestamente exagerada. A encenação, o dedinho em riste, o “sentido de Estado” (que ridículo !!), a manha florentina, a capacidade de manipular e de se aliviar de frases sonantes, o extremo gosto pela vida luxuosa, a pantominice permanente, isso sim, fazem parte irrevogável da sua natureza. Esta tontinha que, como ministra foi um desastre ambulante, um desastre daninho e perverso, é só um interlúdio para o paulinho tratar da vida (ele e as negociatas sempre forem “best friends forever”) e voltar um dia, de sorriso alvar e muita farronca, ao assalto ao pote. Que nojo !

Trackbacks

  1. […] que parece inacreditável senhora deputada, é esse hábito que a senhora deputada tem de não saber a quantas anda. Não tem por aí um assessor que lhe explique estas coisas? Era suposto que essas pessoas a […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s