Mais um embaraço na CGD

adomigues

A fonte citada pelo Expresso é o Correio da Manhã, pelo que todo o cuidado é pouco. Porém, a confirmar-se, este dado leva toda a situação em torno da polémica contratação de António Domingues para outro nível. Como pode um gestor de um banco privado encomendar um estudo através de um banco público com o qual não tem qualquer vínculo? Se o estudo foi encomendado em Fevereiro, e Domingues só renunciou ao cargo no BPI em Junho, como se justifica que tenha imputado um custo de 3 milhões de euros ao Estado português?

Foto: José Caria@Expresso

Comments

  1. …não gosto nada desta estória toda….nem da cara dele

  2. Hélder P. says:

    Honestamente, perdi a paciência. Já não bastava os ordenados chorudos, agora é o topete de querer ocupar um cargo público da importância da administração da CGD em total opacidade, passando por cima da lei. Que esconde esta gente?
    António Domingues e seus muchachos tem de ser postos a andar depressa, a Caixa precisa de gente séria e gente séria não foge ás exigências de transparência, sem a qual as instituições públicas perdem a credibilidade. Se querem trabalhar no escuro, vão para os privados.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.