Andas com pouco sentido de humor, comentador do Aventar


Como sabes, comentador do Aventar, eu sou de Esquerda. Mas de Esquerda mesmo Esquerda. Não deste PS travestido de Esquerda que hoje governa o país com o apoio da Esquerda mesmo Esquerda. Eu é mais PCP ou Bloco.
Mas desde que deixei de ser um aspirante a betinho do Pinheiro Manso sem qualquer consciência política, nunca mudei.
No blogue, também não. Bati sem descanso em José Sócrates e dei descanso à Direita. Bati como se não houvesse amanhã em Pedro Passos Coelho e esqueci os ontens de José Sócrates. E agora, para dizer a verdade, comentador do Aventar, não quero saber de Pedro Passos Coelho para nada e interessa-me é o que está este Governo a fazer. E sempre que estiver a fazer mal, António Costa há-de levar como levaram os outros. Isto porque tenho uma ideologia, mas não tenho grandes ilusões acerca do ser humano.
Sabes, vou dizer-te um segredo: o meu maior sonho era ver um Governo de Esquerda mesmo Esquerda a governar Portugal. Um Governo do PCP e do Bloco! Mas nesse mesmo dia, estaria na linha da frente para lhe bater sempre que fosse preciso.
Eu não mudei, pois. Mas algo mudou.
É que a certa altura, comentador do Aventar, vinhas para cá fiado de que ias ler coisas de Esquerda. E ultimamente – e como rejubilo! – a Direita voltou finalmente à luta e agora volta a haver um certo equilíbrio.
Isso não deve tirar-te o sentido de humor. Por exemplo: O post do Carlos Garcez Osório, mesmo concordando zero com ele, tem muita piada, é provavelmente um dos melhores dos últimos tempos. Mas recebeste-o com insultos, comentador do Aventar. Como, de resto, tens recebido nos últimos tempos todos os posts de Direita, sobretudo os do António Almeida. Ao ponto de já teres pedido a expulsão dele. E até os meus, comentador do Aventar: já me chamaste passista ou PAFista por mais de uma vez por ter criticado o Governo. Passista, eu! Como diriam os meus alunos em linguagem falada, Lol. Lol mesmo!
Se quiseres substituir sentido de humor por tolerância, pluralismo, democracia, podes fazê-lo. Vai dar ao mesmo. Deixa é de insultar quem pensa diferente de ti, comentador do Aventar. Afinal, só andamos aqui para nos divertirmos, não para nos zangarmos. E ninguém nos diz que a nossa forma de ver as coisas é mais correcta do que a dos outros.

Comments

  1. Fernando says:

    O Ricardo Ferreira Pinto está apaixonado por si mesmo. Eu, eu eu… Que bonito! Quando é o casamento?

    • Ricardo Ferreira Pinto says:

      Eu?
      Engraçado. Pensei que o tempo predominante do post era o tu.

      • José Peralta says:

        Ricardo Ferreira Pinto

        Se tem lido os meus posts, sabe que, no que concerne ao pluralismo do AVENTAR, à liberdade de expressão, ao respeito pelo outro e pela diferença, eu partilho integralmente da sua opinião !
        E eu também “não mudei, pois ! Mas algo “mudou”…

        E parafraseio-o :
        “É que a certa altura, comentador do Aventar, vinhas para cá fiado de que ias ler coisas de Esquerda. E ultimamente – e como rejubilo! – a Direita voltou finalmente à luta e agora volta a haver um certo equilíbrio.
        Isso não deve tirar-te o sentido de humor. Por exemplo: O post do Carlos Garcez Osório, mesmo concordando zero com ele, tem muita piada, é provavelmente um dos melhores dos últimos tempos”…

        Não, Ricardo Ferreira Pinto, não “GENERALIZEMOS” ! Eu não defendo a censura ao António de Almeida, nem pedi a sua expulsão, ou a de qualquer Carlos Garcez Osório, e apesar de não lhe achar “a piada” que diz “achar”, não “rejubilo por a direita voltar novamente à luta e agora voltar a haver equilíbrio”…

        Uma direita galopante na Europa e no Mundo, a mim parece-me não causar jubilo a Democratas amantes da Liberdade !

        E quando, na minha caixa de Correio recebo de um fôlego 27 (vinte sete) comentários de rajada do tal Osório, eu pergunto-lhe se o AVENTAR “retomou o equilíbrio”, ou…FOI TOMADO DE ASSALTO ?

        E este post de JOÃO JOSÉ CARDOSO : “Gostei muito deste bocadinho ! – A experiência de participar no Aventar, um bom esforço para tentar criar um blogue de topo a partir das caixas de comentários, e uma melhor tentativa de inventar blogues políticos plurais, foi gratificante, palavra a usar sempre nestas ocasiões.

        Agradeço ao Ricardo o convite e aos aventadores a diversão conjunta enquanto a houve ” ?.

        “Diversão conjunta enquanto a houve” ?

        Posso estar enganado, e atrevo-me a especular : Se não é uma “despedida”, uma lamentável baixa no elenco de titulares do AVENTAR, pelo menos parece…

        E então, curiosamente, logo agora, que o “júbilo e o equilíbrio” invadiram o blogue !!!!

        • Ricardo Ferreira Pinto says:

          Não generalizo. Mas houve quem o insultasse e quem pedisse a expulsão dele.
          Rejubilo porque, se eu tivesse querido criar um blogue só de Esquerda, tinha-o feito.
          Quanto aos comentários, foi um erro informático. São comentários antigos a posts antigos, não há lá um único comentário actual. E o post do João José Cardoso é de 2010. O homem já morreu há 2 anos.

          • Helder says:

            🙂 Erro informático, tanto serve para justificar aqui isto, como serve para justificar 10.000 milhões em off-shore. Bolas, que sina a minha ser informático de profissão, levo sempre por todos os lados… Tristeza de não saberem assumir erros próprios…

  2. Sr Ricardo saudo a sua posição, mas pelo que vejo os trolls que vejo aqui gostam é de abrantes, camoes, peixotos, mendes e galambices identicas. As ideias e factos não lhes afagam os egos. Mas parabens por o defender. Não percebo como se consegue defender ideais de esquerda esquerda (mas gosto que vexa a defenda claro) e tento perceber que 100 anos depois do 1917, o descalabro que foi e são, todas as sociedades que enveredaram por esse sistema.
    O sofrimento a que foram sujeitas todas as populações desses países. a fuga em massa logo que abriram as fronteiras, de cá -dos exploradores capitalistas para lá . os paraiso da igualdade socialista, não ensinou nada ?
    Mas defenderei com o vigor máximo o seu direito e respeito que defenda o que defende; tento perceber mas ainda não consigo

    • Ricardo Ferreira Pinto says:

      Não defendo a maior parte dos regimes de Esquerda que foram implementados no mundo. Nunca me verão a defender Ditaduras.
      Defender uma ideologia de Esquerda não significa apoiar muitos desses regimes ditos de Esquerda. Mas significa que ainda não perdi a esperança de que possa ser possível implementar com sucesso uma solução dessas.

  3. Konigvs says:

    Caro Blogue,
    Às vezes o problema é completamente Teu. É quereres ser carne mas também peixe ao mesmo tempo. Ou visto de outra forma, é não quereres dar a entender que só és carne, deus-nos-livre de tal coisa! pois há que parecer que se é carne mas sem deixar de ser peixe ao mesmo tempo, para dar aquela imagem de divergência e de independência.

  4. José Meireles Graça says:

    Ah ah, bater num governo de coligação PCP/BE, onde é que já se viu isso? Primeiro, tal governo não descansaria enquanto não arrumasse com os fascistas (que são todos os que não são comunistas), o grande capital, e depois o médio e depois o pequeno; a seguir, iam os betinhos do BE, por desvio de direita; e durante não haveria críticos, por serem aliados objectivos da reacção, a soldo do imperialismo e da CIA. Lol.

    • Ricardo Ferreira Pinto says:

      Não acredito que acontecesse isso. Sabes que não aconteceria. Se acontecesse, seria mais uma desilusão.
      Estás bom, José Meireles Graça?

      • José Meireles Graça says:

        Estou bom, estou, obrigado. Mas não estaria sob a vigência de um tal governo, nem aliás tu: os desiludidos tendem a ser críticos por lhe matarem o sonho; e os críticos só não acabam na cadeia se mudos.

  5. Paulo Marques says:

    É natural, é raiva contra quem defende o indefensável de tudo para o capital e nada para os trabalhadores. Isto não quer dizer que não pode haver uma direita diferente, mas ninguém a tem visto, só a que desculpa as burlas do capital com a existência do estado. Lamento, mas não quero o século XIX de volta nem deitar fora todo o sangue, suor e lágrimas perdido para os cidadãos não se preocuparem todos os dias com a sua próxima refeição e serem condenados à indigência quando adoecem ou têm um acidente de trabalho. Mas há sempre quem não aprenda com a história, e é por isso que ela se repete tanto.

  6. Rui Naldinho says:

    O que é um ambiente digital tóxico?

    É aquele no qual os poucos comentários lúcidos e articulados são sufocados por dezenas de outros agressivos, erráticos, ansiosos, histéricos e auto-centrados.
    Esses contextos diminuem a probabilidade de comentários saudáveis surgirem, mesmo que por vezes irónicos e sarcásticos, afundando cada vez mais a conversa num ciclo de negativismo e agressões. Logo, todos os intervenientes acabarão por se afastar, sem que haja qualquer troca significativa de ideias e pontos de vista. No final perdem todos. Com a exceção de alguns egos que se sentirão “vingados”.
    Uma agressão feita nos comentários costuma ser dirigida a uma única pessoa, mas afeta várias dentro da rede. Há dezenas ou centenas de “espectadores” que vão lendo esses comentários.
    As que concordam com a agressão, sentem-se validadas e estimuladas a manter seu posicionamento, afastando-se de um olhar mais racional, sereno e aberto à critica.
    A pessoa atacada poderá sentir-se humilhada e sofrer psicologicamente, sentindo-se diminuída. São conhecidos vários relatos de bullying digital. Algumas delas, podem tornar-se também elas agressivas como o seu agressor. Outras podem acabar silenciadas, não retomando a conversa, e ficando bastante ressentidas.
    As que não concordam com a agressão tendem a tomar para si as sensações de incomodidade da outra parte agredida. Daí a para a frente, já nem vale a pena falarmos mais, pois o caos está instalado

  7. atento às cenas says:

    não vi insultos por aqui, “100 anos sobre a barbárie vermelha…” teve sempre comentários a condizer com o espírito da coisa. a meu ver muito indulgentes. experimentem agora “o holodomor!” ou “os protocolos dos sábios do sião” só para ver o resultado

  8. Atento/Sempre says:

    Escrevi este pequeno artigo, e foi de imediato “fuzilado” não sei se por fascista ou por social-fascistas:
    Hipocrisia!
    “Eu sei que a maioria da comunicação social, e alguns dos seus jornalistas e comentadores não gostam de falar sobre a miséria, pobreza, fome e o desemprego. E quem esta no poder (os sucessivos governos), esses ainda muito menos. O PS do costa (apoiado com as suas muletas), não é mais que um partido pequeno burguês, e no seu seio alguma gente com tiques neoliberais. Mas o que me assusta é ver, e tanta gente a chorar lágrimas de crocodilo, e nunca fizeram nada por resolver (Lutar) para resolver estes, e outro tipo de problemas graves, para o futuro nossos filhos e netos do nosso país e no Mundo… Como tenho defendido: Os povos (os explorados e oprimidos) têm que se unir para combaterem o capitalismo (imperialismo e social imperialismo) (Portugal é um país imperialista, os académicos deveriam estudar este novo fenómeno. Porquê? Porque neste momento já dispomos de tropas mercenárias, em outros países, a defender interesses, que até não são os nossos). Por fim: Também sei, que ainda não estão criadas as condições para o fazer. Esse dia vira, espero, e será decerto o desejo de muitos democratas e patriotas de lutar contra essa canalha que nos explora todos aos segundos. E mais não digo, porque posso ser multado, ou preso como foi o caso da investigadora e bolsista Maria de Lurdes”.

  9. Ricardo Ferreira Pinto says:

    Sim, erro informático. Se eu faço uma alteração num post publicado há 7 anos e o WordPress publica-o como sendo um post novo, não me parece que seja erro humano.

  10. Atento/Sempre says:

    Deixem.se hipocrisias:
    Depois de nos últimos quatro anos termos sofrido uma enorme e brutal exploração e empobrecimento – que não foram interrompidos com o imediato derrube do governo de traição nacional Coelho/Portas – são os mesmos partidos que sabotaram esse objectivo que agora voltam a criar ilusões num governo de direita do PS, como suas muletas.

  11. ….realmente o Aventar era ( ainda é ? ) para mim um blog interessante “obrigatório” aonde vinha com gosto diariamente, pelos diversos conteúdos dos seus autores, aonde tomei consciência da importância de questões importantes apesar de pontos de vista diferentes, de onde dei comigo reflectindo mais seriamente ou aonde me diverti até com certo humor crítico/sarcástico mas inteligente, apesar de não ter participado senão em alguns comentários pela positiva.
    Quero pois confessar-vos que sinto que ultimamente algo mudou no Aventar realmente, sendo que o meu interesse de vir aqui se alterou e diminuiu, não sei bem explicar o porquê.
    ….até o futebol, que abunda nas Tvs quase até à náusea, invadiu demasiado este espaço.
    Desculpem, companheiros, é um desabafo de um certo desencanto acontecido talvez até por defeito meu, em que a preocupação da seriedade da realidade actual nos chama a uma tomada de consciência para acções de cidadania necessárias a nível local e global.
    …a fasquia tem que se manter alta, como já tem acontecido aqui e não só.
    Obrigada, saudações democráticas, sempre !

    • Atento/Sempre says:

      Tema alguma razão no que diz Isabel… pode ter existido um “milagre” quem sabe….
      Saudações democratas e patriotas!

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s