O plano C de Pedro Passos Coelho


Após várias tentativas falhadas, Pedro Passos Coelho lá terá que recorrer ao seu núcleo duro para a corrida autárquica à capital. A escolha de Teresa Leal Coelho não foi ainda oficializada, é certo, mas como onde há fumo costuma haver fogo, a decisão do líder do partido, que fez ouvidos de mercador à concelhia lisboeta, é já encarada como dado adquirido pela esmagadora maioria da imprensa nacional. 

Da vida interna do PSD saberá o próprio partido e os seus dirigentes. Contudo, é interessante verificar que Teresa Leal Coelho, que acumula as funções parlamentares com as de vereadora da CM de Lisboa, raramente dá o ar da sua graça nas reuniões entre os vereadores da autarquia. Segundo o blogue Observador, Leal Coelho terá faltado a 91 das 153 reuniões registadas desde o início do mandato. A revista Visão acrescenta que, no ano passado, após pedido da deputada para que as reuniões privadas do executivo passassem de Quarta para Quinta-feira, de forma a não comprometer a sua actividade parlamentar, a assiduidade média de Teresa Leal Coelho piorou: em 27 reuniões, participou em apenas cinco.

Leal Coelho argumentou, em resposta ao Observador, que se terá feito representar nas reuniões em que esteve ausente, o que de resto é uma opção absolutamente legítima. Igualmente legítimo é afirmar que, na ordem de prioridades da deputada-vereadora, a CM de Lisboa tem menor relevância que as suas funções partidárias e parlamentares. É a própria quem o afirma:

Estou desde 2011 na política. Em todos os papéis que tive não deixei de ter uma posição absolutamente determinada. Obviamente que estando em simultâneo no parlamento, como vice-presidente do partido e na câmara, tive de estabelecer prioridades.

Se assim é, e se a CM de Lisboa não é uma prioridade para Leal Coelho, a sua candidatura faz pouco sentido. Fazendo uso do slogan com que o PSD enche chouriços de propaganda, Teresa Leal Coelho não leva as funções na autarquia lisboeta a sério. Apesar de ter sido a nº 2 de Fernando Seara nas Autárquicas de 2013. Fica o aviso para os eleitores alfacinhas: caso perca as eleições, cenário altamente provável, é melhor não contar com Teresa Leal Coelho. Ela tem mais que fazer no Parlamento e na São Caetano à Lapa.

Foto: José Carlos Carvalho@Visão

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    O afunilamento do PSD é de tal ordem que cada vez mais o partido se resume a Passos Coelho e ao seu núcleo duro. Estes bajulá-lo-áo até ao dia em que perceberem que ele está definitivamente morto.
    A grande vantagem desta escolha, a par de Assunção Cristas, pelo CDS, é ver qual delas se sai pior.
    O que ficará depois das eleições é a velha guerra de palavras, com ambos os partidos a acusarem-se de falta de lealdade.

  2. ZE LOPES says:

    Parece-me que há aqui algum exagero. Esta senhora tem currículo. Foi professora na Universidade Lusíada e gestora da SAD do Benfica no luminoso mandato de Vale e Azevedo. Só esta última função já lhe dá uma experiência e autoridade dificilmente ultrapassáveis por qualquer outro candidato.
    De lembrar que também é a autora de vasta teoria em matéria de de Direito Constitucional, das quais avulta a do uso do camartelo para meter na ordem os juízes do Tribunal Constitucional quando as decisões não estejam de acordo com o esperado.

    • Rui Naldinho says:

      Ela está ali para safar a face de Passos Coelho dentro do Partido e do seu eleitorado mais tradicional. A chamada aficion. Ela não vem para ganhar nada. Caso contrário, o Pedrinho não tinha andado à caça de “estrelas” até a propor como candidata do PSD à autarquia Lisboeta.
      Mas gabo-lhe o espírito de serviço. Até porque ela como vereadora da CML tem tido uma presença “empenhada e assídua”

    • martinhopm says:

      Sim, quanto a currículo, neste país à beira-mar plantado, ninguém lhe leva a palma. O currículo da srª. Coelho (Irra! Mais um?!) é extensíssimo e de subido valor, aqui e além-mar. Até eu, se votasse em Lisboa, ficaria indeciso entre as duas: qual a maior betinha?

    • Um portento, portanto.

  3. José Peralta says:

    D. teresa leal coelho : a “escolhida” pelo pedrocas, o aldrabão-mór, para ser “sacrificada no altar autártico” !

    Pensa ele, o aldrabão, que assim, desvia de si “as atenções” de quatro anos e meio de mentira e destruição !

    Se é assim, tão perversa e levianamente que ele pensa, haja alguém lá no partido que lhe enfie a camisa de forças e o mande para onde ele deve estar : num manicómio !

Trackbacks

  1. […] caso para dizer que humildade não lhe falta. O que de resto é de uma coragem que impressiona, vinda da protagonista do plano de recurso do PSD para a CM de Lisboa, que como sabemos agradou bastante à concelhia […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s