PSD, PS e CDS na rota da espionagem russa

Depois do escândalo em Setúbal, que ocupou o espaço mediático e os feeds das redes sociais durante todo o dia de ontem, pouco se falou sobre as exactas mesmas suspeitas em torno das autarquias de Albufeira, Aveiro e Gondomar. O facto de serem governadas por PSD, PSD/CDS e PS, respectivamente, não terá sido motivo de interesse, como se verificou no caso de Setúbal. E isto diz-nos muito sobre a agenda que norteia este debate, que parece ter mais a ver com a necessidade de manter o cerco ao PCP do que com o apuramento daquilo que realmente se passou ou com o perigo que tal representa para os refugiados ucranianos. Business as usual.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Ainda não está tudo no Tarrafal? Que treta de justiça.

  2. POIS! says:

    Já no “post” anterior tinha falado sobre isto. Não me apercebi, na altura, que a Câmara de Aveiro também estava em causa, daí estarem a entrevistar o Ribau Esteves.

    Que desmentiu categoricamente um tal Pavlo Sadhoka, da Associação de Ucranianos, que tinha divulgado uma conversa com ele que, segundo Ribau Esteves, nunca aconteceu. E que nem a personagem conhecia.

    Isto só prova que estamos, mais uma vez, a ser bombardeados por propagandeiros a quem tanto faz, como diz o Mendes, o apuramento daquilo que realmente se passou.

  3. Gonçalo Calatrava says:

    Espiões, proto-espiões e espiões que ainda não sabem que o são…

    Está tudo louco. Esta é uma guerra antiga entre o pavlo sadohka da associação dos ucranianos em Portugal e outras associações de apoio à ucranianos.

    Este pavlo acusa de pró-russos ou pró-putin todas e quaisquer associações e ucranianos que não partilhem os seus ideais ultranacionalistas. Isto é muito anterior a Fevereiro deste ano.

    O caso de Gondomar, por exemplo, tem a ver com o facto da associação receber e apoiar não só ucranianos, como o também moldavo e russos. Algo imperdoável para o xenófobo do Pavlo.

    Aliás, é interessante verificar o que este Pavlo dizia do zelensky e da embaixadora em 2019/2020

  4. JgMenos says:

    Tudo aparece como muito complicado num Estado gigantesco onde todos têm a ver com tudo.
    Qual é a porra do problema de o SEF recolher dados dos refugiados a quem dá um documento numerado que o habilita a residir em Portugal, com as pessoas que tenha a cargo?
    Se quiser fazer o favor à embaixada da Ucrânia pode recolher outros dados pessoais, contactos na Ucrânia ou algo assim.
    A partir daí o documento de residência é tudo que interessa ao resto das entidades envolvidas… talvez falte uma fotografia, que ao SEF falta-lhe a maquina? Mostra o passaporte para autenticar o documento e é tudo.
    A partir daí a embaixada que qualifique quem entenda representá-la.

    • Paulo Marques says:

      Não tem nada a ver com o tamanho do estado, tem a ver com disparar antes de pesquisar. Algo no qual o Menos tem muita experiência, ainda para mais na imigração.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.