Lava a cela Zé!

Prisioneiro nº 44 do Estabelecimento Prisional de Évora atacado por contingente de pulgas. Uma das pernas do recluso terá sido ocupada pelas forças rebeldes.

Site do PSD novamente atacado

O Site do PSD – Lisboa foi novamente atacado – podemos ler a frase ” A verdade é uma merda” e ver um vídeo de Nel Monteiro.

Facebook atacado por pornografia e violência

Parece que está a decorrer hoje um ataque ao Facebook, aparecendo imagens de “sexo explícito” e violência no mural de pacifistas que só praticam sexo implícito.

Vai aparecendo alguma especulação sobre a sua origem, como não podia deixar de ser.

Ainda não vi nada, mas fontes muito bem informadas asseguraram-me que esta imagem de extrema violência não faz parte deste ataque, embora possa surgir numa segunda vaga do assalto:

Terrorismo Islâmico em Moscovo

Trés dezenas de mortos e centenas de feridos em mais um ataque suícida em Moscovo. Em plena hora de ponta com o metro cheio de gente, cujo o único crime que comete é ir para o trabalho todos os dias, duas mulheres com cintos explosivos fizeram-se explodir.

Segundo a polícia e as autoridades de Moscovo trata-se de mais uma manifestação dos movimentos independentistas de Regiões que reinvindicam a independência face a Moscovo.

O Presidente Russo aponta como objectivo do ataque desestabilizar a paz que se vive no país e criou uma célula para gerir a crise. Um minuto de silêncio foi guardado em memória das vítimas.  As autoridades tentam passar a ideia que estes movimentos são já muito residuais.

Ataque de pânico no Aventar

Um ataque de pânico é uma coisa lixada, ia dizer reles, porque um gajo não tem nada e parece que tem tudo que vai morrer.

Aconteceu comigo há anos, tinha um médico que trabalhava comigo só para eu olhar para ele e aguentar o ataque. Dizia, porra, este gajo não me deixa morrer, sabe as técnicas da reanimação, se for preciso está aqui ao pé. Isto dava-me uma segurança tremenda, embora nunca tivesse necessitado dos seus serviços. Trabalhava no piso de baixo, mas enquanto não o vi no gabinete ao lado não descansei. Havia também lá uma médica, que era um borracho de todo o tamanho mas nas condições em que eu andava, olhem, é caso para dizer que se o “casting” que a Carla Romualdo sugere para os actores fosse admitido eu nunca entraria em filme algum, mas ela ( a médica) entraria nos filmes todos. Injustiças!

Isto tudo para dizer que a tecnologia de informação, imagem, transmissão de dados e tudo o mais não substitui o olhar, o conhecer as pessoas,  o “falar” do corpo, tudo isso nos pode levar a conclusões e a ideias que, não sendo erradas são, no mínimo, precipitadas. O Aventar teve um ataque de pânico e logo uns procuraram causas, outros médicos e outros ainda desataram a distribuir “malha”. A verdade é que eu fui, em pessoa, falar com os profissionais da Esotérica, e o ataque de pânico acabou aí. Foi possível falar como pessoas crescidas e encontrar uma solução de compromisso.

Eu por mim já dispensei o médico!

Ataque ao Aventar

Após o primeiro ataque ao Aventar a partir da Índia, tivemos um segundo ataque, agora a partir de Portugal pelo que teve  consequências bem menores, mas nem por isso, menos significativas.

Na quinta- feira o meu computador estava desligado e fiquei dia e meio sem poder aceder ao Aventar. Procedi de imediato a uma investigação tipo CSI e comecei, como mandam as regras científicas investigatórias, pelas pessoas com acesso físico ao meu escritório.

Após estudos ADN, descobri que o ataque tinha partido da D. Emília, a senhora que vem fazer a limpeza cá a casa. Ofereci-lhe um cafezinho, e calmamente perguntei-lhe se tinha sido abordada por alguem e se lhe tinham falado no Aventar. Então como explicava ela que o computador estavesse desligado, quando naquela manhã só ela e eu tínhamos entrado no escritório?

Após várias tentativas de explicação, ela confessou que quando chegou ao escritório estava cansada e que apressou o trabalho do aspirador, tendo tocado várias vezes no equipamento. Acalmei-a, explicando que num caso destes a discrição era muito importante e que não dissesse nada a ninguem, se fosse preciso mentisse, pois a responsabilidade é muita.

Respondeu-me que é Testemunha de Jeová e que por isso não pode mentir. Perante este facto, combinamos que só pode aspirar acerca de um metro do equipamento e que o resto deixa comigo. Fartou-se de chorar porque diz ela que eu nunca limpo nada e que  perdi a confiança nela.

E pronto, agora ando a recuperar psicologicamente a D. Emília !