Para sempre Capitães de Abril

Morreu Salgueiro Maia, o mais genuíno “Capitão de Abril”. Até a morte precoce sublinha esse despojamento de comendas e glórias materiais.
Morreu Melo Antunes, o mais político dos “Capitães de Abril”. Um homem íntegro, culto, que nunca teve a mais pequena dúvida de que quem não dormiu na madrugada libertadora, seria devorado pela “escumalha” que se escondia e que não tardou a aparecer.
É preciso dizer que a Pátria está em dívida com estes homens. Com a sua memória que “foi da lei da morte se libertando..” como diz o grande Camões.
Outros há, felizmente ainda vivos, que tudo deram e nada pediram para si mesmos. Todos eles são hoje o que seriam se não tivessem libertado do jugo fascista todo um povo! Nada ganharam com a Democracia a não ser o que a população dos campos, das fábricas, dos escritórios, das escolas tiveram também para si. A liberdade!
Bem pelo contrário, muitos deles vêm levantar-se obstáculos artificiais, com origem nos que tudo lhes devem!
São estes homens que muitas vezes se tenta dividir. Os do “25 de Abril” e os do “25 de “Novembro”. É preciso dizer que, no essencial, quem fez o “25 de Abril” tambem fez o “25 de Novembro”! Quem teve a coragem de enfrentar a fera fascista tambem se ergueu perante os que quiseram desvirtuar o objectivo político do movimento dos Capitães! Por uma e outra razão criaram inimigos,hoje poderosos, porque tudo lhes vieram comer à mão!
Quando se aproxima mais um aniversário do dia glorioso, é conhecida a intenção das mais altas figuras do Estado e das Forças Armadas em promover a General um dos “Capitães do 25 de Novembro”! Atente-se que é em 25 de Abril que se premeia quem é (e não é pouco) figura do 25 de Novembro. Por razões de índole pessoal? Há quem defenda essa hipótese. Mas não se pode deixar passar mais esta tentativa de divisionismo que em nada contribui para a pacificação de quem tudo deu sem nada receber em troca!

Deixar uma resposta