Empresas do Regime

Cito de cor. Empresas que não têm qualquer rasto naquela actividade empresarial, de um momento para o outro arranjam um grande contrato com o Estado. Sem concurso público, sem nenhuma das habilitações que as outras empresas só acumulam ao fim de muitos anos de trabalho. Basta ter lá alguem que foi ministro ou algo assim! É o caso do Terminal de Contentores em Alcântara.
Henrique Neto é um socialista conhecido. Já exerceu elevadas funções no âmbito partidário. Mas é tambem, e fundamentalmente, um empresário. Um homem habituado a operar em mercados muito exigentes e altamente competitivos. Não precisa do PS para nada e muito menos do governo. É dos poucos homens livres deste país.
E contínua. É dificil perceber como é possível que Sócrates, há 5/6 anos ministro e secretário de Estado do Ambiente, se mostre agora enquanto Primeiro Ministro, tão permissivo em matérias ambientais. Entre a linha férrea e o rio, para os lados de Vila Franca de Xira, vai ser construída uma Plataforma Logística em área protegida. Tal como o Freeport é uma decisão incompreensível.
Este empresário que dirige os seus produtos para a exportação, que tem como clientes grandes empresas internacionais, há muito que clama no deserto contra esta cumplicidade entre o Estado e os grandes Grupos económicos nacionais. O tráfego de pessoas entre os governos e estas empresas dão nos exemplos que são conhecidos. A Lusoponte, PT
BPN, BCP, construtoras e suas empresas satélites, assessores, gabinetes de advogados…
Henrique Neto merece que as suas palavras sejam repetidas. Disse isto tudo em entrevista colectiva na SICN, perante o silêncio dos seus colegas de entrevista.
É uma forma de corrupção como outra qualquer, terminou corajosamente!

Deixar uma resposta