Convém não esquecer…

A iniciativa do Aventar é, logicamente, louvável e apreciável.
O lançamento de um livro é sempre um acontecimento relevante. A sua pré-publicação na blogosfera é, a todos os títulos, valiosa e para o blogue em um grande momento. Por isso o divulguei, também, no meu.
Porém, isso não invalida alguns considerandos. Não tanto sobre a obra mas antes sobre a sua personagem: Vasco Lourenço. Com a qual não simpatizo minimamente. Talvez por isso, ao ver o seu nome, rapidamente me veio à memória outra figura revolucionária: Vladimir Ilitch Lenine e o seu discurso de 1917 aos bolcheviques,
“Todo o poder aos sovietes pressupõe a completa transferência da administração e do controlo económico do país para as mãos dos operários e dos camponeses, a quem ninguém se atreverá a resistir e que, através da prática e através da sua própria experiência, depressa aprenderão a redistribuir adequadamente a terra, os produtos e os cerrais”.
Como se sabe, o que foi distribuído com afinco foi a pobreza e a fome. O nosso revolucionário de trazer por casa queria fazer o mesmo com especial denodo. Felizmente, tivemos todos muita sorte. O que convém não esquecer. Não apagar da memória. Pessoal e colectiva.

Comments


  1. Goste-se ou não, não se pode deixar de reconhecer a importância que as duas personagens tiveram na história. Cada um à sua dimensão, claro. Quanto ao livro, pode ajudar a trazer mais alguns elementos e estórias à nossa história.

  2. Luis Moreira says:

    Fernando, eu sou amigo de infância de Vasco Lourenço por isso o meu testemunho tem esse handicap.Mas a verdade está acima de tudo.E a verdade é que foi graças ao grupo dos nove, de que Vasco Lourenço sempre fez parte, que há democracia em Portugal.Foi sempre dos que lutou por uma democracia parlamentar e por uma economia de mercado.Tal como Melo Antunes, Vitor Alves,Pezarat Correia e outros.No 25 de Abril e no 25 de Novembro.Aliás, é a primeira vez que ouço alguem dizer que Vasco Lourenço não é um democrata!

  3. Luis Moreira says:

    E então compará-lo a aos sovietes ?? Você não está a confundi-lo com o Otelo?Não !!! Você está aconfundi-lo com o Vasco Gonçalves.Não é esse , homem de Deus!


  4. Não, não estou a confundir. É a minha opinião e vale o que vale…

  5. Luis Moreira says:

    fernando, está a confundir.O vasco Lourenço nunca teve nada a ver com os sovietes nem com a extrema esquerda militar.Então o grupo dos nove, com Vasco Lourenço, Melo Antunes, Vitor Alves..foram quem implantou a democracia.Nunca ouvi tal opinião acerca do Vasco Lourenço!


  6. “Cada um à sua dimensão, claro”. Absolutamente de acordo, claro está.Não o confundo com Otelo (um criminoso, na minha opinião, claro está) nem tão pouco com Vasco G. (um perigoso lunático, idem, idem).A posição que tomou, recentemente, no caso do Coronel Jaime Neves reforça a minha opinião pessoal. Até por nunca aceitar a eterna divisão e visão “de um lado estão os bons e do outro os maus”.


  7. Sou da geração que nasceu nos anos setenta, que vê no 25 de Abril a vitória da Liberdade. O 25/4/74 representa muito para todos aqueles que querem continuar a viver com liberdade de expressão. Mas isso não significa, ou não pode significar, que a crítica a alguns dos principais protagonistas sja vedada a quem quer que seja. É a minha opinião, expressa de forma exagerada na comparação. Coisas dos blogues…

  8. Luis Moreira says:

    permita-me que lhe pergunte.Quem foram os militares que encabeçaram o 25 de Abril e o 25 de Novembro? Na sua opinião,evidentemente.

Deixar uma resposta