A minha conversa com a candidata à Junta de Freguesia de Fânzeres

DSC05392
Ontem tive de vir ao Porto, e ficar todo o dia em casa, naquela que foi uma breve interrupção das minhas férias.
A meio da manhã, estava muito descansado a ler o jornal na esplanada de um café daqui da beira (sim, em Rio Tinto há esplanadas), quando se abeira de mim uma simpática senhora com um magote de folhetos amarelos. Era a candidata à Junta de Freguesia de Fânzeres pelo Partido Socialista, Fernanda Vieira. Abordou-me e apelou ao voto na sua candidatura.
Perante tanta simpatia, senti-me desconfortável por ter de lhe dar duas tristes notícias: em primeiro lugar, que não voto em Gondomar mas sim no Porto; e em segundo lugar, que no sítio onde estávamos a conversar era Rio Tinto e não Fânzeres.
Seguiu-se uma breve conversa sobre os principais problemas da freguesia. Pedi-lhe que, se fosse eleita, tivesse sentidas preocupações com os peões e com a vergonha do estacionamento em cima das passadeiras e em cima dos passeios. Concordou comigo, claro, nem se esperava outra coisa. Pedi-lhe ainda que, se fosse eleita, fizesse melhor trabalho do que o PS nacional que está no Governo. Omito a sua resposta por não lhe ter pedido autorização para publicá-la.
E lá foi embora a candidata do PS à Junta de Fânzeres. E lá continuei eu a ler tranquilamente o meu jornal.