FUTAventar – F.C.Porto #1

Nisto de futebol não há grande discussão: são onze contra onze e no fim ganha o Futebol Clube do Porto. O resto são tretas.

Ao longo das várias jornadas vou procurar “representar” o F.C.Porto com a máxima isenção. Contudo, convém não esquecer que o Porto é, de longe, o melhor clube português de todos os tempos.

Saudações Portistas!

Biranta – Petição Para Valoração da Abstenção e redução, para 100, do número máximo de Deputados

Petição Para Valoração da Abstenção e redução, para 100, do número máximo de Deputados

A proposta para Valorar a Abstenção

Assine a petição AQUI ou AQUI. Assine apenas uma delas.

Iniciado que está um novo ciclo eleitoral, achamos que é altura de fazer ouvir a nossa voz também.

A “NOSSA VOZ” é a voz dos segregados, dos ignorados, dos ultrajados, dos que são constantemente “lixados” pelo sistema e pelas suas instituições; dos que são vítimas, permanentemente, do gangsterismo e criminalidade institucionalizados (que se exercem de dentro das instituições) com que nos defrontamos todos os dias, que nos molestam das mais diversas formas.
O regime político actual, a chamada Democracia Representativa, não tem nada de DEMOCRACIA e nem é representativa.
Não tem nada de Democracia, já lá vamos.
A provar que não é representativa está o elevado número de abstenções. Nas recentes Eleições Europeias (Europeias 2009) os deputados eleitos representam (receberam os votos de), APENAS, 32,62% dos eleitores. Ficaram de fora, sem serem representados, 67,38% dos Eleitores. E, no entanto, TODOS os lugares para o Parlamento Europeu foram preenchidos, como se todos tivéssemos votado…
Note-se que, se fosse um referendo, o resultado não era vinculativo; não tinha mérito. Porquê esta dualidade de critérios?
Os políticos têm uma série de desculpas e “explicações”, invariavelmente cínicas, para esta anormalidade, mas “explicações” e argumentos cínicos qualquer malandrim tem para “justificar” (e manter) as suas patifarias…
Quero dizer com isto que a culpa é dos políticos e só deles. É a forma de fazer política que está na origem desta situação e é isso que tem de mudar!

Não tenhamos ilusões! Este sistema político NAZI, manhosamente disfarçado de “democracia”, impropriamente alcunhado de democracia, não irá mudar, quero dizer: NÃO IRÁ MELHORAR, por iniciativa dos políticos. Porquê? Para quê? Eles não necessitam de mudar o sistema; PARA ELES funciona muito bem. E funciona SEMPRE por maior e mais generalizado que seja o descontentamento; traduzido em abstenção PORQUE ELES são TODOS iguais, não há por onde escolher…
Este sistema não tem nada de democracia: é um sistema político vigarista e NAZI. É nazi, desde logo ao eliminar do mapa dos cidadãos com direitos todos os que não votam “NOS ELEITOS”. É vigarista fazendo as contas dos resultados eleitorais como se NÓS não existíssemos, apropriando-se, ILEGITIMAMENTE, da nossa representatividade e dos votos que lhes recusámos. Isto é um procedimento tipicamente NAZI; de democracia não tem nada. É uma ditadura de malandros sem vergonha.
Para “legitimarem” esta sua patifaria de consequências desastrosas, esses salafrários: os políticos e seus apaniguados, usam e abusam da propaganda NAZI, insultando e injuriando quem ousa manifestar assim o seu descontentamento e não votar neles, não votar porque não se justifica o esforço, bem pelo contrário: dá náuseas participar de semelhantes palhaçadas depois das campanhas eleitorais vergonhosas, onde tudo é usado EXCEPTO A VERDADE, onde os eleitos assumem compromissos conscientemente mentirosos, que regenam após tomarem posse com as desculpas mais torpes, mas que voltam a usar quando de novo em campanha.

Este estado de coisas conduziu-nos a um descalabro sem precedentes que, todavia, ameaça agravar-se.

Já não há métodos da propaganda nazi que lhes valham, que permitam continuar “a tapar o Sol com a peneira”; está à vista de todos… mas ELES negam! Sobretudo negam as suas responsabilidades, mesmo que essa estratégia da propaganda nazi só sirva para aumentar o desespero dos cidadãos e o fosso entre estes e a política.
As responsabilidades são deles e só deles: assim como têm usurpado a nossa representatividade, usando-a para cometer toda a espécie de crimes e abusos, comprometendo o nosso futuro, também podiam tê-la usado para fazer o que é correcto, o que é necessário fazer. Mas issso é contra a sua natureza… de escroques.

A impunidade que este sistema garante a essa gente sem vergonha, aos políticos (e garante-lhes impunidade porque ELES não têm vergonha, nem dignidade e não são obrigados a ter) é perversa a ponto de já ser quase banal haver notícias sobre os crimes cometidos por políticos e políticos criminosos que se pavoneiam sem pudor. E, digo eu, isto só pode acontecer porque não há nenhum político que preste. Conclui-se que as pessoas que prestam não têm lugar na política…

Este estado de coisas conduziu-nos a um descalabro sem precedentes não só na política mas também na Justiça que se transformou num antro de perfídia, controlada por criminosos; que só serve para proteger criminosos e para perseguir e molestar os cidadãos honestos.
Na justiça portuguesa, quando se trata de proteger criminosos, invoca-se a DEMOcracia e os “Direitos Liberdades e Garantias”; mas, por outro lado, quando se trata de molestar e perseguir os cidadãos de bem, todos os pretextos servem: serve como pretexto o facto de o cidadão se indignar e dizer o que pensa e sente; como serve o facto de o cidadão ser vítima dum crime e denunciar o respectivo criminoso ou criminosos. Neste último caso, como NUNCA se prova nada, contra bandidos, na justiça portuguesa (e o cidadão também não pode fazê-lo porque lhe é proibido investigar) fica “provado” que o cidadão se queixou “e não provou” (porque está impedido, por lei, de o fazer e quem pode e deve NUNCA o faz), logo será molestado perseguido e condenado, espoliado dos seus bens até… porque ousou beliscar os “direitos liberdades e garantias” existentes para uso exclusivo de criminosos e bandidos…

Pior! Chegam-nos “notícias” de diversas proveniências dizendo que, TAL COMO A POLÍTICA, o sistema judicial TAMBÉM está minado de criminosos, está minado pela Alta Criminalidade que se “protege” “combatendo” a CORRUPÇÃO, conspirando, acusando inocentes, alimentando escândalos vergonhosos como o Processo Casa Pia, etc. Tudo isso para desviar atenções e manter o alarme social com essas notícias, para que os seus crimes e respectivas consequências não tenham espaço nas notícias…
Isto é democracia?
Os políticos, claro, DIZEM nada ter que ver com a “Crise da Justiça”, devido à “famigerada” separação de poderes. Tal como tudo o resto, também este princípio é distorcido e abusado para “legitimar” a actual tirania, QUE SE EXERCE COM A CUMPLICIDADE DOS POLÍTICOS. De quem mais? Os políticos é que são eleitos, os juízes não são; são nomeados e mantidos pelos políticos…

Este estado de coisas conduziu-nos a um descalabro sem precedentes no sistema de Segurança Social que ameaça ruir a todo o momento; no nível de vida que piora em vez de melhorar; na economia onde impera o “faz de conta”; no progresso social e económico que é, cada vez mais, retrocesso, deixando os jovens sem perspectivas profissionais e os desempregados desesperados por ausência de esperança de voltarem à vida activa.

Não tem de ser assim! TODOS os problemas têm solução desde que se coloquem as pessoas certas nos lugares certos, desde que HAJA vontade de os resolver.

A eterna desculpa é a de que não há meios. É FALSO! Os meios existem!
Existem e estão, actualmente, a ser delapidados para custear a chulice dos políticos e seus apaniguados (acessores, consultores, etc.);
Estão a ser delapidados para pagar ordenados esc
an
dalosos
, de gangsters, a administradores e gestores de empresas com participação do Estado, que fornecem bens essenciais (pagos por nós);
Estão a ser delapidados pagando vencimentos escandalosos aos que não são eleitos e, ainda assim, ocupam os cargos;
Estão a ser delapidados para pagar reformas escandalosas que, em alguns casos, até acumulam com vencimentos tambémde valores muito elevados…
OS MEIOS EXISTEM MAS ESTÃO A SER DELAPIDADOS, ROUBADOS por essa cambada de energúmenos, de inúteis, de salafrários, de INCOMPETENTES.
Neste texto demonstrei que a delapidação do Erário Público pelos meios que aqui se enumeram ascende a mais de 20% (VINTE POR CENTO) da Despesa Pública Corrente e há muitas outras formas de delapidação que não foram contabilizadas… Gerindo adequadamente esses meios, “geram-se” mais meios, e podem-se resolver muitos problemas, fazendo crescer a economia e subir o nível de vida dos cidadãos; até se pode reduzir a carga fiscal.

É por isso e para isso que APELO a que todos assinem esta petição EXIGINDO A VALORAÇÃO DA ABSTENÇÃO e a REDUÇÃO DO NÚMERO MÁXIMO DE DEPUTADOS PARA 100 (Cem Deputados); A Assembleia da República passará a ter cem deputados, se e quando TODOS os eleitores votarem.

Resumidamente, a Valoração da Abstenção significa que cada partido elege uma percentagem de deputados, ou vereadores (ou o que for) igual à percentagem REAL de votos que recebeu dos eleitores, tomando como base o total de eleitores inscritos. Significa que a percentagem de abstenção se reflete em lugares vazios (porque os respectivos titulares não foram eleitos).
Significa que a duração dos mandatos é reduzida em função da percentagem de votos obtidos nas urnas e depois disso esse executivo só se mantem se for referendado e obtiver mais de 50% dos votos.
A governação é um assunto muito sério, que diz respeito a todos, logo deve ter a concordância da maioria, pelo menos; não pode ser decidida, em definitivo, por meia dúzia de pessoas das quais uma grande parte é iludida com falsas promessas, ou com outras patranhas irrelevantes.

Estas alterações do sistema eleitoral (ou outras) bem como os vencimentos dos políticos devem passar a só poder ser decididas através de REFERENDOS.

Anedota do dia: Médicos de substituição

A Ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, foi ao dentista.
Chegada ao consultório, o médico abeirou-se dela e disse-lhe: «Minha senhora, abra as pernas!»
Atarantada, a pobre Ministra só teve tempo de dizer:
– Mas eu vim ao dentista!
– Eu sei. Mas o dentista está a faltar e eu sou o médico de substituição. Sou ginecologista. Abra lá as pernas.

Apontamentos & desapontamentos: O evangelho segundo Marx (subsídios para um novo marxismo)

Hoje trago-vos alguns apontamentos – pensamentos de Marx, frases sábias de um homem sábio e de princípios. Ora leiam:

– Sou um homem de princípios. Estes são os meus princípios. Mas se não concordarem, arranjo outros:

– No que prefere acreditar, em mim ou nos seus próprios olhos?

– O segredo do sucesso é a honestidade – se você conseguir evitá-la, terá sucesso garantido!

– O segredo da vida são a honestidade e a lealdade. Se você conseguir simular possuí-las, tem o problema resolvido.

– Só há uma forma de saber se um homem é honesto: perguntando-lhe. Se responder «sim», ficamos a saber que é corrupto.

– Partindo do zero, consegui atingir os mais altos cumes da miséria.

– «Inteligência militar» é uma contradição de termos.

– A política é arte de procurar problemas, de os encontrar, fazer um diagnóstico falso e aplicar depois os remédios errados.

– A política não faz com que estranhos durmam na mesma cama; o casamento, sim.

– Acho a televisão muito educativa. Logo que alguém a liga, vou para outra sala ler um livro.

– Nunca vou ver filmes em que o peito do herói seja maior do que o da heroína.

– Não sou vegetariano, mas como animais que o são.

– Andei dois anos atrás de uma rapariga até descobrir que os seus gostos coincidiam exactamente com os meus: ambos éramos loucos por raparigas.

– Nunca esqueço uma cara, mas para si vou abrir uma excepção.

– Você é a mulher mais bela que vi em toda a minha vida… o que não abona muito em meu favor.

– Não pense mal de mim, menina. O meu interesse por si é puramente sexual.

– Até logo, querida… Caramba, a conta do jantar é caríssima. Eu sendo a ti, não pagava.

– Pagar a conta? Que hábito mais absurdo!

– O quê? Por que estava eu com essa mulher? É que, sabes, ela faz-me lembrar de ti. De facto, lembra-me melhor com tu foste, do que tu própria.

– Por detrás de todo o homem bem sucedido, está uma mulher. E por detrás dessa, está a mulher dele.

– Peço desculpa de vos estar a tratar por cavalheiros, é que não vos conheço bem.

– É melhor ficar calado e passar por parvo, do que falar e acabar definitivamente com a dúvida.

– Lembre-se de que estamos a lutar pela honra dessa mulher, o que provavelmente foi coisa que ela nunca fez.

– Bebo para achar as outras pessoas interessantes.

– Fui casado por um juiz. Devia ter exigido um júri.

– O casamento é a principal causa de divórcio.

– O casamento é uma grande instituição. Se você gostar de viver numa instituição, claro.

– O verdadeiro amor só surge uma vez na vida… e depois não há quem nos livre dele!

– O mal do amor é que muitos o confundem com uma gastrite e quando se curam, descobrem que estão casados.

– Há tantas coisas na vida mais importantes do que o dinheiro! O problema é serem tão caras!

– Meu filho, a vida é feita de pequenas coisas: um pequeno iate, uma pequena mansão, uma pequena fortuna…

– Não posso dizer que não discordo de ti.

– Ele pode parecer um idiota e até comportar-se como um idiota. Mas não se deixe enganar – ele é mesmo um idiota!

– Por que me hei-de preocupar com a posteridade? O que fez ela por mim?

– Pretendo viver para sempre, ou morrer tentando.

– Ou você está morto ou o meu relógio parou.

– Quero ser cremado. Um décimo das minhas cinzas devem ser dadas ao meu agente, como estipula o contrato.

Claro, que não são frases de Karl Marx, mas sim de Groucho Marx (1890-1977), actor norte-americano, um dos famosos irmãos Marx. Este jogo com o apelido comum às duas personalidades, é uma graça que já foi repetida milhares de vezes. Mas o humor ácido e inteligente do Groucho aguenta diversas leituras. Costumava ele dizer que era tão velho, tão velho, que ainda se lembrava de Doris Day antes dela ser virgem. E também que nunca entraria para um clube que o aceitasse como sócio. Telefonou para a recepção do hotel e disse: «Serviço de quartos? Mandem-me um quarto maior!» Ah, mais uma coisa (diz o Groucho): «Podem citar-me desde que digam que me citaram mal». «Peço desculpa por não me levantar», está escrito no epitáfio do túmulo de Groucho Marx.

FutAventar – O fora-de-jogo explica-se como?

A mãe do meu filho nunca tinha entrado num campo de futebol. No outro dia, um amigo meu, benfiquista dos sete costados, arranjou uns bilhetes e fomos todos ver o Benfica/Braga.

Dois penalties a favor do Braga não marcados e o golo da vitória benfiquista em fora de jogo.

Estavamos mesmo “no enfiamento” da área bracarense quando aconteceu o golo, pelo que foi fácil ver que o David Luiz estava em fora de jogo. O pessoal que não percebe de bola pediu imediatamente explicações, o que era isso do fora de jogo. A Lurdes então, não atinava, passou a ver fora de jogo em todos os lances, e como eram os avançados do Benfica que jogavam para aquele lado, a malta fazia um escarcéu sempre que ela gritava fora de jogo.

Bem, vem a segunda parte, e mudam as equipas de campo, com o Braga a atacar para o lado onde nós estavamos. Foi o bom e o bonito. A Lurdes continuou a gritar que era fora de jogo, e o pessoal à volta, passou a aplaudi-la, os mesmos que na primeira parte a mandavam calar.

Eu ainda tentei explicar-lhe, mas como é que se explica que o fora-de-jogo é sempre a nosso favor?

FutAventar – Nacional – Sporting

Isto tem que ter regras. A única, no caso do Sporting, é que joga sempre fora de casa, tal é a ladroagem. Por isso, neste meu cantinho de justiça cega, o Leão vem sempre no lugar do roubado.
No próximo Sábado, e fazendo o lançamento do jogo, é preciso não esquecer que o menino, presidente do Nacional, é o gajo mais anti-Sporting existente à face da terra. Não é, pois de estranhar, que o árbitro seja a condizer. Este senhor desviou o Pepe da Academia de Alcochete e levou-o para as Antas. Desde a água do banho (não vai haver gás) até à aterragem naquela “memorável” pista, tudo vai ser mexido nos bastidores.
O Sporting, apesar de tudo estar contra e dos dois penalties que vão ficar por marcar, vai ganhar por 3 a 0, com dois golos antes do intervalo e um já ao cair da partida, que é para dar algumas esperanças ao Tio Alberto João.
O Caicedo (cai cedo mas levanta-se depressa) vai dar “poncha pelas barbas” aos nacionalistas e os dragões vão perceber que o HULK é um dragão sem fôlego quando comparado com esta força da natureza.
Já falei com os directores que me disseram que o Paulo Bento vai deixar o Losango e vai passar a um quadrilátero, isto apesar de eu os avisar que é melhor irem ao livro da quarta classe, não vá esta merda da geometria nos passar alguma rasteira.
E, caros amigos, como é timbre dos “lagartos”, sou o primeiro a contribuir para esta rúbrica de “ver futebol como um ceguinho”, isto é, com toda a objectividade, porque um gajo que não vê não pode ter nenhuma subjectividade, como é óbvio e só os andrades é que não vêm isto. E depois vêm para cá com aquela coisa dos “tretas” campeonatos, que o João Paulo (embora sendo do outro lado da circular) sempre vai vendo alguma coisa.
Então um abraço, cambada!

Luis “Rock em back”

FUTaventar

Se os relógios estiverem sincronizados, neste momento deverá estar a começar mais uma Liga de futebol.
O aventar arrancou nos últimos dias com uma cobertura mais próxima do que se for passando no campeonato nacional de futebol. Não vamos tornar o aventar um blog de futebol – vamos apenas procurar transmitir de forma absolutamente parcial e sempre facciosa o que cada um de nós pensa sobre o mundo da bola.
Antes de cada jornada procuraremos antecipar o que vai acontecer, para, logo de seguida vir ao ecrã comentar as ocorrências. O Porto, o Sporting e o Benfica já têm seguidores garantidos.
E o FUTaventar promete!

Na jornada de hoje, a primeira e por isso, simbólica Sporting e Benfica têm muito a perder, enquanto o Porto parte mais tranquilo.
A visita a Paços de Ferreira não tem, por tradição, um elevado grau de dificuldade e será natural que com maior ou menor dificuldade o Porto acabe por vencer o jogo.
Para os jogos dos Lisboetas com os madeirenses – um no continente (Benfica – Marítimo) e outro na Madeira (Nacional – Sporting) – as coisas serão muito diferentes. Nenhum dos grandes pode deixar de ganhar. O Sporting já está em crise e ainda nem começou a jogar a sério. Se acontecer um resultado negativo, pode estar em causa muito mais do que uma simples derrota.
Para o BENFICA, cada jogo vai significar uma batalha de vida ou de morte, tal a expectativa dos adeptos. Se ganhar o balão da euforia continua a encher. Se houver surpresa na luz podemos ver o optimismo cair a pique e aí o Benfica corre o risco ter mais uma época falhada.
Em termos de prognóstico, diria que Porto e Benfica vão ganhar por 2-0 e o Sporting vai perder por 2-1.
Siga a bola!

A ministra republicana

residencia-ministra-da-educacaoSegundo José Neto a ainda ministra da Educação remodelou o último andar deste prédio, onde habita ou vai habitar, utilizando nas janelas uma rubra cor, em contraste com o verde dos restantes andares. José Neto acha que é uma “atitude suburbana-pimba”, o Paulo Guinote, por via de quem cheguei à foto, fala em pimbice.

Permitam-me outra leitura. Deparando-se com um prédio onde domina o amarelo (um bocado gema de ovo) pincelado de verde, o casal pode ter visto aí uma oportunidade de homenagear a bandeira da República, ficando assim o mau gosto compensado pelo fervor patriótico.

Agora espero que não vão para lá espalhar azul e branco.

A Educação na lista de deputados

Eu sei que isto parece doentio e talvez tenha que ser internado. Talvez isso me possa ajudar a entrar numa lista… talvez a de espera.
A lista de candidatos a deputados do Partido Socialista tem duas presenças que queria destacar:

Valter Lemos é o candidato nº 4 em Castelo Branco, precisamente ao lado de Sócrates. Professores de Castelo Branco isto também é convosco!

E… imaginem só a Srª Drª Maria de Lurdes é a nº 2 na lista pela Europa!!!! A sério.
Eu até os entendo – ter tal presença numa lista nacional seria uma catástrofe. Mas, como há alguma coisa para o partido pagar a quem se prestou a tal serviço, então envia-se a senhora para a europa.

Pergunta retórica: como é que o Pedreira fica nesta história?

Palavras Cruzadas

jornal-campanha-ps

Sob a direcção de Ascenso Simões, o  secretário de Estado da Administração Interna que em tempos exigiu “que fosse retirada uma edição completa do “Jornal de Notícias de Vila Real”, ao qual terá concedido uma entrevista de três páginas, pouco tempo depois de a edição estar à venda nas bancas, preciosa indicação do Sexo e da Cidade, e segundo as mesmas meninas com a participação redactora do Dodot, vulgo Victor Hugo Salgado, saiu o jornal de campanha do PS, ou de Sócrates, o jornal que aos milhões vai circular entre nós sob o cabeçalho de Avançar Portugal.

Até tem passatempos, uma nobre atitude num país onde os desempregados precisam de passar tempo, antes de avançarem por Portugal, ou de fazerem pior do que isso.

Sucede que o primeiro problema tem um errozito nas soluções, o que em consideração pelo antigo presidente, e músico, da minha AAC, não posso deixar de assinalar: Novas Oportunidades pode ser muita coisa, mas um “sistema de formação profissional com certificação académica e profissional” não é de certeza absoluta, a menos que só contem com os cursos de Educação e Formação de Adultos, e similares, que não alcançaram 700 000 portugueses nem aqui nem na Lua.  Será talvez um programa, nunca um sistema.

Quanto ao uso da palavra profissional duas vezes numa definição tão curta parece-me bastante amador, e tê-lo-ia corrigido se me aparecesse num trabalho de RVCC como os que acompanhei durante 2 anos. Mas, verdade se diga, eu certificava o 12ºano, e estamos a tratar de coisas mais básicas.

Coerências

A crise está mesmo aí pertinho do fim. A responsabilidade é da espantosa actuação do governo e do seu primeiro que até deixa as férias para voltar ao palco mediático!
Por mim, tudo bem. Mas e os desempregados de hoje? São mais de meio milhão! São culpa de quem? Da crise, pois claro!
É certamente por tanta coerência que o PS, hoje, diz ser de esquerda e não é de uma esquerda qualquer. É da esquerda moderna!
Se assim é, eu por mim continuo de esquerda! Sem modernismos que atiram meio milhão de portugueses para o desemprego.

Máfias, mapinetes, e liberdade

O MAPINET – Movimento Cívico contra a Pirataria na Internet, não passa de uma fachada marketeira para as máfias da indústria de entretenimento se apresentarem sem os seus nomes, que nos soariam logo aos milhões que esta indústria tem metido aos bolsos à conta dos consumidores e artistas.

Deu-lhes agora para pedir o impensável: que a PT bloqueie o acesso a blogues que correm  na plataforma Blogger, pertencente ao Google, sob o pretexto de que teriam ligações para downloads piratas.

Fizeram queixinha à Inspecção-Geral das Actividades Culturais, a qual solicita e atenciosa notificou a maior (e pior) operadora portuguesa.

Embora os contornos exactos dessa notificação não estejam muito claros, a confirmarem-se tal seria só o maior atentado à liberdade de expressão em Portugal desde 1974.

Um assunto a seguir no excelente Remistures, até porque costuma ser no calor e ausências do Verão que estas coisas acontecem.

Entretanto deixo aqui a lista dos sites ameaçados…

Sites que a PT fica obrigada a remover dos seus servidores:
blogdownload.blogs.sapo.pt
downloadscompletos.blogs.sapo.pt
splegendas.no.sapo.pt/CCPMOD
cinema-em-casa.blogs.sapo.pt

Sites a que a PT fica obrigada a cortar o acesso (através do portal Sapo):
mcluckyy.blogspot.com
www.tvgente.com
www.tugapirata.org
www.tuga-filmes.com
www.tugadownloads.com
www.superpiratas.com
www.sapotuga.com
www.piratatuga.net
www.pedrofsn.net
videotecafilmes.blogspot.com
tuga-musicas.blogspot.com
soupirata.net
sacar24h.blogspot.com
pt-downs.blogspot.com
portugalseries.net
pdclinks.net/fórum
jambtuga.blogspot.com
downloadfilmesgratis.blogspot.com
downloads-heaven.blogspot.com
downsportugal.blogspot.com
cinematuga.com
totilmania.the-up.com
fanaticosdownload.blogspot.com


A Execução das Penas em regime simplificado

Sim, há as questões constitucionais. Mas no caso do novo Código de Execução das Penas há ainda a questão do bom senso. Depois do facilismo nas escolas, comprovada pelo facto de um aluno (?) com nove negativas poder transitar de ano, chegou o facilitismo às prisões.

O diploma que o Governo quer aprovar permite a colocação do recluso em regime aberto no exterior, mediante simples decisão administrativa do Director-Geral dos Serviços Prisionais.

Enfim, pergunto-me se não haveria maneira de simplificar mais as coisas. Tipo, deter o indivíduo, que é um criminoso por um qualquer motivo que lhe é certamente alheio, dar-lhe uma reprimenda das antigas, numa espécie de sermão, talvez um pequeno puxão de orelhas, sem exagerar por causa da Amnistia Internacional, e depois manda-lo à vida com duas palmadinhas no ombro.

Se o bandidola (encarar como um termo carinhoso) voltar a infringir as regras, sempre pode ficar uma tarde virado para a parede e uma semana sem tocar na consola de jogos.

Os castigos, claro, podem ir subindo de nível, mas nem pensar em enfiar o coitado numa cela pelo tempo a que foi condenado pelo tribunal. Não. Isso pode ser penalizador para a personalidade do ser reprimido. Pode mesmo afectar a sua reabilitação. É preciso dar muitas e muitas oportunidades. Novas oportunidades. As democracias modernas são assim.

Pão e Leite

pao leite formigas

“Depois, se lhes fosse permitido, iria por aí fora. Mais cedo ou mais tarde entrariam pelos supermercados a fixar o preço do pão e do leite”, escreveu Tomás Vasques, cuspindo sobre o programa do Bloco de Esquerda,  e que leio citado por Eduardo Pitta.

E antevê:  “Hoje, sabemos onde estes caminhos desembocaram: na miséria, no desemprego e na privação das liberdades.”

Não sei se é da juventude, ou da ignorância, ou provavelmente da sua natureza, mas TV esquece que existiu durante muitos governos desta República, presididos por Mário Soares  e não só, uma coisa chamada cabaz de compras onde se fixavam preços máximos para o pão, para o leite , e para outros bens essenciais.

E tenho de lhe dar razão, embora nunca tivesse encontrado aí a explicação para o tempo  e país em que vivo: esses caminhos desembocaram na miséria, no desemprego e na privação das liberdades, que é precisamente onde estamos.

A frota de carros da TAP

As notícias são como as pedras, depois de lançadas não há maneira de as parar. Claro que todos nós estamos mais que fartos das batotas e dos abusos destes senhores gestores públicos, que não apresentam resultados e que auferem vencimentos milionários. Para alé dos carros topo de gama, e mais prebendas.

Esta administração da TAP tem feito um serviço de grande nível ,com uma gestão profissional e profundamente conhecedora do Transporte Aéreo. Ainda todos nos lembramos da mais recente tentativa de lá meter um orgão de supervisão que nos custarai os olhos da cara e composta por gente dos aparelhos partidáros.

Durante décadas a TAP foi pasto de gente que não fazia ideia nenhuma do que era o Negócio do Transporte Aéreo. O país perdeu milhões de contos com má gestão e com a compra de aviões que, curiosamente, era o que todos faziam mal lá chegavam.

Foi Jorge Coelho (honra lhe seja) que foi buscar um profissional do Transporte Aéreo, e foi António Mexia que não deixou que fosse substituído.

A TAP hoje é uma transportadora aérea reputada, que não foge aos problemas derivados do preço do petróleo e da crise mas que se equilibrou financeiramente e que se juntou,estrategicamente, a um grupo de grandes empresas transportadoras aéreas.

Tem, pois, muita gente poderosa contra, que quer o lugar, que o “fartar vilanagem” de então, onde todos julgavam que se podia ter tudo,volte.

E é assim que nascem estas notícias. O que se passa na verdade?

Há uma frota de viaturas que fazem parte dos contratos individuais de Directores, que está em regime de “leasing” e que paga uma determinada mensalidade. Essa frota chega áo fim da sua vida útil e é substituída por outra frota de viaturas novas, no mesmo regime, e com a mesma mensalidade,

Ao contrário do que nos querem fazer crer, a TAP não gastou milhões com novas viaturas, ficou a pagar o mesmo. Não discuto agora se merecem ou não, no contexto mais amplo do país e da crise, mas não nos podemos deixar embalar por notícias que têm interessados na origem e no destino!

Outra vez…

o fim da crise. Tal como antes tinha havido uma outra retoma!

Que comece a festa

Começa daqui a umas horas mais um campeonato de futebol. Nos últimos anos o Porto tem sido o campeão e os números falam por si.

Os números do nosso campeonato

Em traços gerais, podemos perceber que o Porto tem sido campeão conseguindo fazer 70 pontos, marcando à volta de 60 golos e sofrendo menos de 20. Em nenhum dos quatro anos que levaram o Porto ao tetra o Benfica ou o Sporting se aproximaram destes números.
Jesus e Bento, deixo-vos aqui a receita para conseguirem destronar o Jesualdo: façam 70 pontos, marquem mais de 60 golos e sofram menos de 20.

Boa sorte para todos e joguem bom futebol!