Alberto João, taxista madeirense

Manuela Ferreira Leite usou hoje um carro do Governo Regional da Madeira, pertença do Estado Português, para fazer campanha eleitoral no Funchal. A líder do PSD fez várias deslocações na viatura oficial, ao lado de Alberto João Jardim, numa visita à ilha que foi sempre apresentada com uma acção da campanha eleitoral do PSD.

E ainda diz que a asfixia democrática é só no continente. Eu gosto da expressão asfixia democrática. Não sei porquê recorda-me o falecimento de David Carradine, deve ser por causa da corda no pescoço, e abre caminho para outras expressões: cólica democrática, eructação democrática, fobia democrática, é todo um mundo de figuras de estilo que se abre perante nós, que não andamos no mesmo táxi, nem temos pena.

Actualização:

Este comentário à notícia é fantástico:

Só se esquecem que a maioria dos portugueses não são burros. Percebem bem que a Dra. Manuela Ferreira Leite não procura qualquer proveito a partir daí. Percebem bem, que quase todos os seus governantes, fazem deslocações privadas no seu automóvel de estado. Mais, não é raro ver membros do governo chegarem a “convenções partidárias” nas viaturas oficiais.
A quem aproveita esta tempestade num copo d’água?
Mesquinhez… Pequenez.

Um bom exemplo de eructação democrática, onde ainda se acrescenta que foram só 500 m, com o taxímetro desligado. O que esta gente não conhece é a palavra princípios. Quando olham para ela, a 1 cm, 500 m ou 300 km, ficam com a vista enublada e acham-na de uma pequenez microscópica.

Deixar uma resposta