Declaração de voto, II parte

cidade-imaginaria-1

A primeira parte está na dificuldade de governar, emprestada pelo B.  Brecht libertário, emprestadada, que não lha vou devolver.

cidade-imaginaria_eleicoes

Contudo não deixo de ser sensível à ideia de que mudar os governantes é preferível a mantê-los até à eternidade, como eles gostariam.

Se a experiência me demonstrou uma razoável incompatibilidade com as organizações, em particular as partidárias, por defeito meu, admito, que de virtudes sou parco, tenho de viver com as que tenho.

Razoavelmente resignado com a ideia de que Sócrates vai vencer por falta de comparência do adversário directo, contudo sem absolutismo que lhe valha, pouco dado à ideia de demitir o meu povo e eleger outro, para citar o mesmo BB, existem males menores a outros bem maiores. Essa resignação nem é definitiva, que antes de contados os votos há sondagens mas também há esperança, uma senhora que é sempre a última a falecer.

campanha

E também há factos. Pelos vistos um novo espectro paira sobre a nação, e boa parte da Europa, no nosso caso chama-se Bloco de Esquerda. Podia ter divergências bem maiores do que as que tenho com um partido que ajudei a fundar. Podia ter de Francisco Louçã a repetidíssima ideia de ser um moralista, que por acaso nem é, embora lhe conheça outros defeitos bem mais graves. Podia encontrar mais discordâncias com o seu programa do que as (poucas) que tenho. Podia irritar-me ainda mais com a sua lógica interna de centralismo cooptativo. Podia achar que é cada vez menos esquerda e cada vez mais bloco, o que ate acho.

Podia isso tudo, e outras coisas ainda piores, mas só pelo pânico que vai nos Belmiros e Amorins, nos comentadores encartados, nos fazedores da opinião oficial que manipulam a pública, iria na mesma votar no Bloco de Esquerda. E esperar que este e o PCP subam a sua representação parlamentar, que o PS com ou sem D desçam as suas, e baralhadas as cartas comece outro jogo, menos viciado do que este em que as cartas jogadas somos todos nós.

Imagens Denúncia Coimbrã

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Em grande, João, é isso mesmo, este país está a empobrecer pelas mãos destes incompetentes, não deixar aquecer os lugares e tirar-lhes a maioria absoluta é muito importante.

  2. Carlos Ruão says:

    !


  3. Gratos pelo “furto”, e pelo texto do JJ.Entretanto há mais: http://denunciacoimbra2.wordpress.com/2009/09/25/o-tal-voto-util/

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.