A extrema-direita é muito gay

A acusação de que Eugène Terre’Blanche, o líder da extrema-direita sul-africana, terá sido assassinado por ter tentado violar dois jovens trabalhadores negros não espanta muito. Lembremo-nos do que há pouco tempo se revelou na Aústria, e vai-se constatando que os piores homófobos são por regra homossexuais pouco assumidos.

Mais difícil será acreditar que um racista branco queria manter relações sexuais com dois negros, mesmo dando um desconto a que estaria a tentar sodomizar uma raça para ele inferior. Mas das públicas virtudes fartos estamos de conhecer os vícios privados. E Eugène foi encontrado com as calças arreadas. Pelos vistos não estava a fazer xixi.

Trackbacks


  1. […] This post was mentioned on Twitter by Blogue Aventar, joao j cardoso. joao j cardoso said: A extrema-direita é muito gay: A acusação de que Eugène Terre’Blanche, o líder da extrema-direita sul-africana, te… http://bit.ly/bK1huu […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.