Sou a Favor do Pagamento de Portagens (1)


scut

Sou a Favor do Pagamento de Portagens nas auto-estradas “grátis”, só temos aquilo que temos andando mesmo-mesmo a pedir.
As razões do meu apoio ao pagamento de portagens em todas as auto-estradas já a seguir.

Na foto, scut Gafanha da Nazaré-Vilar Formoso, vulgo A25, Agosto 2009 e o Intercidades Guarda-Lisboa na Linha da Beira Alta e o rio Mondego.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Tambem eu sou a favor, talvez as pessoas percebam que as autoestradas em duplicado custam dinheiro.

  2. Eu gostava era de ser dono de uma portagem. bastava-me uma.

  3. maria monteiro says:

    Guarda, mais um lugar a visitar de combóio

  4. Eu também sou a favor. Não aceito é discriminações entre, por exemplo, minhotos que vão pagar e algarvios que continuarão sem pagar.

  5. Assino por baixo Dario.

  6. concordo com o antónio alves, se é para manter injustiças deixem as portagens como estão.

  7. Milan Kem-Dera says:

    Mas que azar do caraças! E vais logo dar como exemplo a A25, duplicada da IP5 e sem quais outras alternativas para a circulação.
    Boa, rapaz, continua assim que estás no bom caminho… para dizer ASNEIRAS do tamanho da tua ignorância sobre o país geográfico!!!…

  8. Milan Kem-Dera :
    Mas que azar do caraças! E vais logo dar como exemplo a A25, duplicada da IP5 e sem quais outras alternativas para a circulação.
    Boa, rapaz, continua assim que estás no bom caminho… para dizer ASNEIRAS do tamanho da tua ignorância sobre o país geográfico!!!…

    Oh Milam, se eu pusesse uma foto da AE do Algarve, piavas diferente, não era? ou da A7?
    Espera pelo texto e depois falamos.
    Quanto ao país geográfico… não comento!

  9. joão Nunes says:

    Mas ó Dário, pode-se perguntar a quem se paga?
    Para onde/quem vai guito? Gostava de saber.
    Se é para dar em prémios de gestão não concordo.

  10. joão Nunes :
    Mas ó Dário, pode-se perguntar a quem se paga?
    Para onde/quem vai guito? Gostava de saber.
    Se é para dar em prémios de gestão não concordo.

    Falamos já, ok?
    Mas não te assustes.

  11. Talvez... says:

    Uns pagam pelas autoestradas e outros não? Eu pessoalmente dispenso autoestradas (temo-las em demasia), mas haja justiça! Ou pagam todos, ou não paga ninguém.

  12. Talvez... says:

    Milan Kem-Dera :
    Mas que azar do caraças! E vais logo dar como exemplo a A25, duplicada da IP5 e sem quais outras alternativas para a circulação.

    Engraçado… a alternativa de circulação está também na imagem: o Intercidades.

  13. Milan Kem-Dera says:

    Dario Silva :

    Oh Milam, se eu pusesse uma foto da AE do Algarve, piavas diferente, não era? ou da A7?Espera pelo texto e depois falamos.Quanto ao país geográfico… não comento!

    Estás enganado, meu caro. Além da Via do Infante também podes pôr a A23 e a A24 que têm alternativas. Só que estas ao Sócrates não interessa taxar porque não passa lá quase ninguém, percebes? Não dão cheta… Mas já lhe interessa taxar as A28 e A29 porque essas têm um trânsito intenso; é só ensacar!!!

    Mas nunca, NUNCA, a A25, já que foi feita sobre (e ao lado) da IP5, única via sem alternativa.

  14. O problema é simples: as excepções. Eu aceito que se pague portagens na A41/A42/A28/A25/A25 mesmo sem alternativas? Talvez, se não existir nenhuma, repito, NENHUMA excepção.

    Mais, por falar em portagens, qual a razão para os veículos 4×4 pagarem classe 2? E dentro destes, um Porsche Cayenne pagar classe 1 e um Jeep Wrangler comercial pagar classe 2?

    Depois de tudo isto muito bem explicadinho, eu volto…

  15. Milan Kem-Dera says:

    Talvez… :

    Milan Kem-Dera :Mas que azar do caraças! E vais logo dar como exemplo a A25, duplicada da IP5 e sem quais outras alternativas para a circulação.

    Engraçado… a alternativa de circulação está também na imagem: o Intercidades.

    Para parir uma destas, mais valia estares calado. Perdeste uma bela ocasião de não abrir a boca. A menos que o tenhas dito em tom de gozo…

  16. ” NUNCA, a A25, já que foi feita sobre (e ao lado) da IP5, única via sem alternativa.”

    Quanto à rede de estradas, parece-me que tens viajado pouquito: o IP5 deixou de existir enquanto estrada contínua; o IP5 agora é uns acessos locais, uns caminhos agrícolas… o IP5 morreu. Quanto à alternativa, houve um iluminado que veio defender que os camiões deviam ser probidos de circular ali (no antigo IP5) e passarem a ir pela N16…

    É de todas estas pequenas coisas que vou falar entretanto.

  17. Milan Kem-Dera says:

    Dario Silva :” NUNCA, a A25, já que foi feita sobre (e ao lado) da IP5, única via sem alternativa.”
    Quanto à rede de estradas, parece-me que tens viajado pouquito: o IP5 deixou de existir enquanto estrada contínua; o IP5 agora é uns acessos locais, uns caminhos agrícolas… o IP5 morreu. Quanto à alternativa, houve um iluminado que veio defender que os camiões deviam ser probidos de circular ali (no antigo IP5) e passarem a ir pela N16…
    É de todas estas pequenas coisas que vou falar entretanto.

    O IP5 morreu porque o transformaram em estrada dupla. Mas morreu apenas no nome, passando a A25, APENAS! Mas esta duplicação foi quase integralmente feita sobre o IP5 (SEM PAGAR como todos os IPs). E, quer se chame de IP5 ou A25, este caminho continua a ser ÚNICO, sem alternativas.

    Quanto ao conhecimento do país, no seu TODO, meu caro, será que conheces 10% do que dele eu conheço?… duvido!

  18. “Mas morreu apenas no nome, passando a A25, APENAS! Mas esta duplicação”

    Equívoco meu, interpretei que o IP5 seria a alternativa à A25. Mea culpa.

    “Quanto ao conhecimento do país, no seu TODO, meu caro, será que conheces 10% do que dele eu conheço?… duvido!”

    Não sei o que tu conheces. Tenho um estorial de 600.000 km de condução rodoviária em Portugal nos últimos 16 anos de vida; a minha média actual é de, a juntar, 35.000 km de viagens em transportes públicos (excepto avião).
    Mas isto não quer dizer nada. Nem nada quer dizer os 3 a 4 mil km mensais de agora.
    Tens razão: nunca fui à Madeira nem Açores, de comboio é difícil e o não há scuts para lá!

  19. Milan Kem-Dera says:

    Só para tua informação, meu caro Dário, devo dizer-te que sou motard desde há mais de 25 anos. E desde todo o tempo que é rara a semana em que cruze este país em todas as direcções, de norte a sul, de leste a oeste.
    Conheço este país “a palmo” e “a centímetro”! Percebes agora que a gente só deve FALAR do que percebe e do que conhece? EM VEZ DE SE PÔR A MANDAR “POSTAS DE PESCADA” !

  20. Milan Kem-Dera says:

    O que tu tens (dize-lo tu…) são 600.000 km de carro e de comboio… o que eu contabilizo, SÓ NAS 16 MOTAS que tive, anda na ordem de 900.000 a 1 milhão de km. E isto não contando com cerca de 500.000 de carro (mas estes eu já nem conto…)

    Como vês…

  21. “Só para tua informação, meu caro Dário, devo dizer-te que sou motard desde há mais de 25 anos.”

    Haja saúde e Portugal, e lá chegarei!
    E só escreverei do que conheço enquanto viajante, ou passageiro ou, no caso, também enquanto pagador de impostos. Relax…

  22. Milan Kem-Dera :
    O que tu tens (dize-lo tu…) são 600.000 km de carro e de comboio… o que eu contabilizo, SÓ NAS 16 MOTAS que tive, anda na ordem de 900.000 a 1 milhão de km. E isto não contando com cerca de 500.000 de carro (mas estes eu já nem conto…)
    Como vês…

    Oh Milan,
    eu não estou a fazer corridas-quantos-km-não-sei-quê…
    E fazer muita estrada significa apenas isso.
    Mas estávamos a falar de?

  23. Milan Kem-Dera says:

    Estávamos a falar de colocar TODAS a s autoestradas a pagar, INCLUSIVÉ a A25, do que discordo.
    Estávamos a falar de que nem todas as autoestradas têm alternativas; se as fizeram neste formato, o público que as utiliza não tem culpa de que não tenham feito IPs; ninguém exigiu, na maioria dos casos, UMA AUTOESTRADA. Nem tal se justificava, em alguns casos.
    E muito menos taxar as SCUTS que têm transito intenso diário, deixando as outras (desnecessárias naquele formato), como A23 e A24, por taxar. E também por outros motivos: -a A24, porque passa em Vila Real (portanto perto de Vilar de Maçada…), e a A24 porque atravessa a Beira Interior (onde o “tal” tem muitos dos seus maiores “amiguinhos”…

    Falar… só falar…

  24. “Estávamos a falar de que nem todas as autoestradas têm alternativas;”

    É disso que falaremos.

    Mas é falar, só falar…

  25. Milan Kem-Dera says:

    Tal como a futura autoestrada de Bragança. Está a ser feita agora; desconheço se a vão fazer no género da A25, duplicando o IP4.
    Se assim fôr, a que propósito a irão colocar a pagar? A A4 é, e sempre foi, paga entre o Porto e Amarante. A partir daí e até Bragança, é o IP4, que, se for transformado em continuação da A4, passará a ser paga? com que direito? se não há alternativas!

  26. joão Nunes says:

    Então Dário, aminha resposta?
    Pagar para quê, a quem, para onde vai o guito?
    Bolsos, entendes? porque pagar, paga-se tudo e mais alguma coisa, a não ser que se seja cigano, vadio, toxicoindependente, sidoso ou assim.
    Esses é que não pagam, são como os das fundações, só recebem.
    Diz lá.

  27. joão Nunes :
    Então Dário, aminha resposta?
    Pagar para quê, a quem, para onde vai o guito?
    Bolsos, entendes? porque pagar, paga-se tudo e mais alguma coisa, a não ser que se seja cigano, vadio, toxicoindependente, sidoso ou assim.
    Esses é que não pagam, são como os das fundações, só recebem.
    Diz lá.

    Para onde vai (irá) o guito das futuras ex-scuts será uma das perguntas. Se tiveres alguma ideia…

  28. Talvez... says:

    Milan Kem-Dera :
    Tal como a futura autoestrada de Bragança. Está a ser feita agora; desconheço se a vão fazer no género da A25, duplicando o IP4.
    Se assim fôr, a que propósito a irão colocar a pagar? A A4 é, e sempre foi, paga entre o Porto e Amarante. A partir daí e até Bragança, é o IP4, que, se for transformado em continuação da A4, passará a ser paga? com que direito? se não há alternativas!

    Pelo que me constou, vai ser construída sobre o IP4 até ao futuro túnel. A partir daí, dividem-se, pagando quem passa no túnel portagem, e quem segue pelo IP não pagando.
    Na minha opinião, esta é autoestrada que não se justifica – bastava acrescentarem-lhe uma faixa de rodagem. E nem comboio há por estas bandas.

  29. Milan Kem-Dera says:

    Claro. Aí está outra cavalice de todo o tamanho da parte de quem só faz asneiras neste país – o lobby das construtoras e o governo.
    Está bem de ver que, a seguir à abertura desta nova autoestrada, só por lá vão passar os mais apressados, que, repartindo-se o trânsito, já é possível circular com mais segurança pelo IP4, e as pessoas evitarão a autoestrada, que é cara.
    Aquilo que as gentes de Trás-os-Montes tem pedido é uma autoestrada duplicada do IP4 (para pôr fim aos acidentes) e não uma via a pagar.
    E lá vai surgir mais uma autoestrada idêntica ao troço da A17 (taxada), entre Figueira da Foz e Leiria – um carro de vez em quando… e o nosso dinheiro a arder (para os dois lados: na autoestrada e nos impostos).

  30. maria monteiro says:

    quando vou até Estremoz pela auto-estrada passo eu e só eu… só falta a passadeira vermelha

  31. joão Nunes says:

    Para onde vai (irá) o guito das futuras ex-scuts será uma das perguntas. Se tiveres alguma ideia…

    Tu é que dizes que se deve pagar, entregar dinheiro.
    Como dizes isso e não me respondes, presumo que possas vir, ou estejas a pensar nisso, a receber algum. Como não vais ser portageiro, que já acabaram com eles, deve ser através do cartão de algum partido, de algum padrinho que te ponha no sítio certo.
    Quando se manda bitaites, deve-se ter uma resposta ou uma solução melhor que a anterior.
    Como não tens, vai dar uma curva.
    Como tu está isto cheio deles.

    • Luís Moreira says:

      Ó João, o guito vai para os privados das parcerias público/privadas, que segundo o nosso primeira não trariam nenhum acréscimo de despesa ao contribuinte.

  32. Talvez... says:

    Milan Kem-Dera :
    Está bem de ver que, a seguir à abertura desta nova autoestrada, só por lá vão passar os mais apressados, que, repartindo-se o trânsito, já é possível circular com mais segurança pelo IP4, e as pessoas evitarão a autoestrada, que é cara.
    Aquilo que as gentes de Trás-os-Montes tem pedido é uma autoestrada duplicada do IP4 (para pôr fim aos acidentes) e não uma via a pagar.

    As gentes de Trás-os-Montes não pedem tanto. Basta que rectifiquem uma curvas mais perigosas e que adicionem uma faixa. Tão somente. E, se a autoestrada for a pagar, a minha solução já a antevejo: EN15 (para o meu percurso é suficiente).
    Aquilo que fala da repartição do trânsito já acontece com a A24, que veio tirar muito trânsito ao IP4.

  33. Pimpas says:

    Esta gente que se farta em falar em pagar, de certeza absoluta que não conhecem o nordeste. Simplesmente a zona mais pobre da europa. Uma vergonha. Portagens numa zona em que não há alternativas nenhumas.

Trackbacks

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Blogue Aventar. Blogue Aventar said: Sou a Favor do Pagamento de Portagens (1): Sou a Favor do Pagamento de Portagens nas auto-estradas “grátis”, só t… http://bit.ly/cKnHy2 […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s