Não há festa como esta:

As francesas e as fransuguesas aperaltadas nos seus melhores vestidinhos e dotadas de generosos tacões e atrevidos decotes – nalgumas o umbigo espreitava e os seios gritavam como que a querer sair de semelhante aperto para deleite da rapaziada e espanto das senhoras prendadas da terra” – Ler o resto AQUI.

Comments

  1. carlos fonseca says:

    Que bela posta de alcatra comi em Penela, mesmo sem festa. Vou voltar, mesmo sem francesas e fransuguesas.

  2. julia says:

    Caro Amigo:
    Estou em pleno nordeste transmontano, onde o
    filme que descreve existe neste momento em pleno.Nesta altura, a maioria das aldeias festeja o seu padroeiro, onde peregrinam todos os que passam férias.Aí, se aprecia a babilónia de línguas e pessoas. Para mim é um “festival”.
    Acreditem, apesar de algum “rídiculo” é muito interessante o convívio, mas nesta altura, já mais descontraído e autêntico.
    Aproveito, no entanto para homenagear todos os emigrantes que eu vi partir, desde os anos 60.
    Até amanhã! Até sempre!
    Júlia Príncipe

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.