Não há festa como esta:

As francesas e as fransuguesas aperaltadas nos seus melhores vestidinhos e dotadas de generosos tacões e atrevidos decotes – nalgumas o umbigo espreitava e os seios gritavam como que a querer sair de semelhante aperto para deleite da rapaziada e espanto das senhoras prendadas da terra” – Ler o resto AQUI.

Comments

  1. carlos fonseca says:

    Que bela posta de alcatra comi em Penela, mesmo sem festa. Vou voltar, mesmo sem francesas e fransuguesas.

  2. julia says:

    Caro Amigo:
    Estou em pleno nordeste transmontano, onde o
    filme que descreve existe neste momento em pleno.Nesta altura, a maioria das aldeias festeja o seu padroeiro, onde peregrinam todos os que passam férias.Aí, se aprecia a babilónia de línguas e pessoas. Para mim é um “festival”.
    Acreditem, apesar de algum “rídiculo” é muito interessante o convívio, mas nesta altura, já mais descontraído e autêntico.
    Aproveito, no entanto para homenagear todos os emigrantes que eu vi partir, desde os anos 60.
    Até amanhã! Até sempre!
    Júlia Príncipe

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.