Pena de morte por enforcamento e injecção letal pode ser – por lapidação é que não!


Há neste momento 19 americanos com execução marcada para o que falta de 2010, fora todos os outros que se mantêm há anos no corredor da morte. Nos Estados Unidos, a injecção letal é o método mais comum, mas a electrocussão, a câmaras de gás, o enforcamento e o fuzilamento também são permitidos.
A morte por lapidação é abjecta… como são todas as outras formas de matar. Um Estado não tem o direito de tirar a vida, seja a quem for. A manifestação de hoje é muito, mas muito redutora.

Comments

  1. XicoAmora says:

    Um estado não tem o direito de tirar a vida seja a quem for.
    Protestar bem alto contra uma forma de tortura seguida de morte, parece-me tudo menos redutor.
    E estarmos todos a discutir isto como se fosse a proibição ou não do fim das touradas, parece-me pornográfico.

  2. Renato Teixeira says:

    A atenção do costume. Muito bem lembrado.

  3. Ana Maria Albuquerque says:

    Nunca são redutoras manifesta~~oes contra a pena de morte. Ou será que se está desvalorizar esta sentença? Espero bem que não

  4. Ana Maria Albuquerque says:

    Estou a fazer uma pergunta, uma vez que me parece que se está a desfocar este assunto que na minha opinião neste momento é mais permente-


  5. Irracionais? Somos nós(humanos)… Racionais? Todos os outros animais…
    Nós matamos por leis, ideologias, convicções, etc,…ou simplesmente por prazer… digam um animal que faça tudo isto …

Trackbacks


  1. […] Versão americana e melhorada. Não se exalta, não perde as estribeiras e explica tudo com ternura, sem recorrer à censura típica dos regimes… Esses. Os que fazem mal às pessoas. Os maus portanto. Como bem nos lembrou Ricardo Santos Pinto. […]


  2. […] Pena de morte por enforcamento e injecção letal pode ser – por lapidação é que não! […]


  3. […] vozes de protesto, que deviam corar de vergonha de cada vez que abrissem a boca para falar de Sakineh (cale-se de vez, pode ser?) Entretanto, nos Estados Unidos, estão marcadas mais 10 execuções até […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.