Um país de políticos filhos da puta

As grandes empresas decidiram antecipar para 2010 a atribuição de dividendos devidos apenas em 2011, com o objectivo de fugirem aos impostos que há muitos anos já deviam estar a pagar.
José Sócrates fez o papel que dele sempre se espera: protegeu os poderosos e deu instruções ao Grupo Parlamentar do PS para rejeitar a proposta do PCP de taxar esses dividendos já a partir de 2010. Claro que há contrapartidas: o fundo de Pensões da PT, em dinheiro, vai chegar no fim do ano, mesmo a tempo de contar para o défice de 2010. As paredes de S. Bento, se falassem, descreveriam em pormenor as chantagens e as ameaças da PT para que a lei não fosse avante.
O problema é que José Sócrates gosta de se pôr de cócoras, de perninhas abertas, para o grande capital. Sabe-lhe bem porque faz parte da sua matriz ideológica. Que é.. não ter ideologia e vogar, a cada momento, ao sabor dos seus próprios interesses. E não é que quase sempre os interesses do grande capital coincidem com os seus próprios interesses!
Francisco Assis, por seu lado, já percebeu que só é respeitado dentro do seu Grupo Parlamentar com ameças e chantagens. O pequeno serventuário de Sócrates esteve desde sempre ao lado dos poderosos e chega a pôr o seu futuro político em causa para defendê-los. Não sei quantos dos seus amigos ficariam prejudicados com a taxação de dividendos, mas também não interessa. A cara de songamonga e o nome de santo já não conseguem disfarçar a sua verdadeira personalidade. Já o miquei há muito, mas o povo de Felgueiras micou-o antes de todos.
E depois temos Pedro Passos Coelho, outro artista.

O paladino da transparência e da verdade nas contas públicas sonha com a redução da despesa, mas sempre à custa dos mesmos. Nem uma palavra contra os benefícios fiscais à Banca, nem uma palavra contra a isenção de mais-valias, nem um voto que obrigue as grandes empresas a pagar os dividendos já neste ano. O défice público pode esperar.
Tal como José Sócrates, Pedro Passos Coelho está refém do grande capital. Está refém dos poderosos. Os que lhe pagaram as sondagens, os que lhe pagaram a campanha interna. E os que vão levá-lo ao poder, mais cedo ou mais tarde, vão querer o pagamento. A cobrança já começou.
Tal como José Sócrates, Pedro Passos Coelho põe-se de cócaras perante o grande capital. Só que, ao contrário daquele, a sua matriz ideológica é exactamente essa: a submissão do Estado aos poderosos. Aos mesmos de sempre.
O problema? O problema é que os políticos portugueses, na sua generalidade, são corruptos. Corruptos na verdadeira acepção da palavra e moralmente corruptos. Uns ladrões de colarinho branco, que ao contrário dos heróis da literatura, roubam aos pobres para dar aos ricos. No fundo, uns filhos da puta.

É por isso que Portugal é um dos países da Europa em que a diferença entre ricos e pobres é maior. É por isso que as desigualdades aumentam a cada passo. É por isso que o Governo, no mesmo dia em que impede a taxação de dividendos às grandes empresas, tem a suprema lata de quebrar o acordo para o aumento do salário mínimo para 500 euros em 2011. 25 euros por mês é muito, a gentalha do capital não pode suportar. Tem de continuar a enriquecer.
Aos meus amigos e conhecidos: Depois disto, venham com as costumeiras estórias do Rendimento Mínimo, essas migalhas que os nossos políticos dão aos miseráveis, como se estivessem a dar uma grande coisa, e venham com as estórias de quem não quer trabalhar (sim, também tenho amigos facholas). Insulto-vos de tudo no mesmo segundo.

Comments

  1. Tuga Revoltado says:

    100% de acordo. Aproveito também para chamar cabrões, além de filhos da grande puta claro, a todos esses cabrões filhos da grande puta que andam a coçar a peida nas cadeiras dessa corja de asnos que dá pelo nome de Assembleia da Républica, e que mais não faz que albergar um bando de ladrões PS PSD CDS.

  2. Luis says:

    O songamonga já pode deixar a política e seguir o caminho do Coelho da Mota Engil e do Amaral da Lusoponte!


  3. Muito mais filhos da puta que estes políticos, são todos os filhos deste nobre povo, que de tão valente, se deixa sodomizar ano após ano sem uma reacção clara e inequívoca de revolta!

  4. carlos fonseca says:

    Ricardo, não posso deixar de expressar o meu acordo com o texto que publicaste. E não é uma questão de amizade ou contextualizadas no foro de relações do compromisso político e muito menos partidário. É um problema colectivo, de todo um povo, que infelizmente se deixa manipular e vai votar, de novo, mais do mesmo. Só a ‘RUA’ pode provocar mudança. Radicalismo? Certamente. À semelhança do radicalismo ‘capitalista’ que permite a milionários benefícios fiscais com que os trabalhadores, reformados, jovens em empregos precários e desempregados são compensados com a penúria. Junto o meu grito de revolta: 10000000000 de vezes FDPuta…!


  5. A revolta e a indignação são tão grandes que chamá-los de filhos da puta, cabrões, corja de asnos, como diz o Tuga, é muito pouco. E o pior de tudo é que eles ainda se riem maseraticamente e ferraricamente, limpando desta forma o cu às notas que roubam ao povo. E o estupor do cancro só limpa os inocentes! Se deus fosse justo chamava-os rapidamente à sua divina presença, a fim de não roubarem mais. Mas o cheiro a merda devia tornar-se tão grande no reino dos céus que deus nem se atreve.


  6. Muito bem!


  7. Enquanto não encontrar políticos que se preocupem com o País, com o povo, não com o poleiro e a conversa da treta, filhos da puta e cabrões é muito pouco.


  8. com 80 anos ainda andam agarrados ao tacho ,almeidas e companhia os maiores ladrôes em angola, depois vieram para o continente rapinar ainda mais. Onde eles teem o guite BPN – BPP etc etc .. Viva a ladroagem o povo gosta —

  9. carlos says:

    Concordo com todos os comentários aqui escritos. Mas temos que passar à acção,já é tempo de mostra-mos que todos os” apolíticos”, são o maior partido de Portugal.
    Este País está a arrebentar pelas costuras.Os nossos políticos são uma cambada de incompetentes. Não temos a obrigação de diáriamente pagar-mos a factura da incompetência,da currupção,da desenostidade desses vermes da sociedade.
    Vamos nos unir e mostrar a esses vermes que somos mais altos de valores do que esses escroques.

  10. antonio says:

    FILHOS DA PUTA, FILHOS DA PUTA,FILHOS DA PUTA FILHOS DA PUTA FILHOS DA PUTA

  11. Luis Ferraz says:

    Só uma maneira de resolver estes assuntos neste pais de corruptos, eu não tenho hipótese estou desempregado, nem subsidio de desemprego nem social ou la como se chama, mas se houver uma alma caridosa que me financie resolvo muitos problemas neste pais.Preciso de uma arma boa e bastantes munições, algum dinheiro para a viagem e estadia junto a AR e os nomes dos primeiros a marchar.Garanto que o faço.

  12. rebenta cus says:

    apenas para dizer quem se diz portugues e porque tambem rouba no meio desta merda toda onde ficam os mais pobres na merda claro
    quando desaparece algo foi um desvio nao roubo que graça do caralho
    se forem apanhados com droga e para consumo escutas nao servem
    entao como ficamos
    num pais de merda como este so da para eles
    milhoes que desaparecem para onde cu deles e restantes familiares e amigos
    entao digo puta k os pariu
    politicos policias e apoiantes tudo mesma merda ou seja cambada de gays mesmo
    viva o povo caralho
    mas como se nao bastasse ainda faltam os merdas que votam que por gentileza se foderam ao baixarem mais a merda dos ordenados
    a quem vota devia de nao cagar ate rebentar de tanta merda que tem na cabeça


  13. Pssst Pssst Ricardo…. E qual a solução 💡 ?


  14. Bem… já vi qual é… 😎

  15. Cabrão d'um Cona says:

    Ouçam lá caralho era meter uma dinamite pelo cu acima de cada ladrão, cabrão e filho da grande puta que anda a roubar aos pobres e fodidos em geral, explodindo-os assim pela peida. Já agora vê se aprendes a escrever que não se perdia nada.

  16. João Domingues says:

    Os políticos de um país são o reflexo do seu povo. Se os políticos não prestam então é porque a maiorio do povo não presta. Einstein dizia que os fracassos da maioria tendem a fazer bodes expiatórios sobre as minorias que nada de mal fizeram. Eu posso constatar isso porque ando todos os dias de moto e apesar de haver também motociclistas estupidos no que toca à estupidez e claro sem generalizar porque há muita boa gente consciente que anda no seu automóvel, mas a percentagem de estupidez e de arrogância em quatro rodas bate categoricamente a estupidez de quem anda em duas. Já para não falar nos ciclistas que são deliberadamente sodomizados. A prova disso é que eu como perito averiguador vi muita coisa mas percebi que afinal se o seguro de uma moto é bem mais barato que o de 1 carro então é porque há estupidos de moto sim, mas a percentagem é bem mais pequena. Onde quero chegar é aqui. A maior parte do povo é que é uma merda e por isso elege políticos à sua medida. Fim de cita

Trackbacks


  1. […] by Setrok Layl on Dec 3, 2010 in echoes & signs | 0 comments [Translate] Um país de políticos filhos da puta […]


  2. […] Mais umas achegas para a História do capitalismo nacional: sempre encostado ao estado, mamando do estado, e roubando o estado. Ferreira do Amaral num país de leis já teria sido julgado. Em Portugal foi imitado e seguido. Mas claro que a culpa da crise é do “estado social” etc. etc. Filhosdaputa. […]

Deixar uma resposta