O português ideal é nómada

Esperar que este governo, tal como não fazia o anterior, apresente estudos para sustentar as decisões que toma seria ingenuidade. Tudo aqui é apenas ideológico. A direita limita-se ao reflexo pavloniano de atacar a Função Pública e de retirar direitos aos trabalhadores, preocupando-se, exclusivamente, com um défice transformado em bezerro de ouro.

Uma sociedade justa deveria ser feita de equilíbrios e um dos mais preciosos deveria ser aquele que, com a maior harmonia possível, pudesse ser estabelecido entre patrões e trabalhadores. As várias medidas que o governo tem vindo a tomar desequilibram a balança contra os trabalhadores e, até, contra a própria Economia. A ideia desumana de alterar a vida de pessoas – leiam outra vez: pessoas – movendo-as, como se fossem peças de xadrez, e alterando o equilíbrio de famílias e de comunidades, mais uma vez, como se isso não tivesse efeitos económicos, sociais e laborais, uma tal ideia, dizia, só pode sair de cabeças sem outra adjectivação possível que não seja justamente insultuosa.

Não há dúvida nenhuma de que foram os funcionários públicos ou os direitos dos trabalhadores que lançaram o país numa bancarrota permanentemente adiada. É castigá-los, com certeza. Talvez, um dia, nos deixemos de pieguices e fiquemos muito parecidos com a Grécia. E façam-me o favor de não confundir avisos com ameaças.

Comments


  1. é só gregos? ontem morreram 5 romenos congelados e há 40 amputados por congelamento…..mas a dívida não é em euros…

    que comam croissants como os húngaros e os búlgaros

    Portugal-Grécia…..a europa dos verdadeiramente miseráveis da união…calhou estar fora do berço civilizacional é pouco turística só dá pró turismo sexual…são coisas num eurro peias

  2. António Fernando Nabais says:

    #1
    Com certeza que os gregos e os portugueses não estão entre os povos mais desgraçados do mundo, mas será obrigatório deixar de falar deles porque outros são ainda mais desgraçados?


  3. não, tenho aqui uma vizinha de 16 anos ucraniana que foi carne para canhão de gregos a italianos e agora passa por cá uns tempos a expensas de funcionários bem fornecidos

    retirar direitos retira-os todos os dias ao executar dívidas fiscais e metendo pessoal na rua

    se atacou funcionários ( 30 e tal % das despesas) ou reformados (26% ) da despesa
    eu não vi…

    os 15 reformados da famelga ganharam no conjunto apenas 540.000 brutos o ano passado
    os não funcionários 5000 euros ao ano…375 ao mês
    os funcionários reformados entre os 55 e os 65…18.000 a 70.000

    a média familiar dá 30.000


  4. tirou direitos…..bolas o pessoal do comércio descontou 70 mil euros-equivalentes para a segurança social nos últimos 20 anos (60 mil entre 95 e 2005, 100 contos por mês e 600 euros em 2005) na mira de uma reforma de funcionário e…ganham 375

    os funcionários descontaram 10% (em 1972 ganhavam entre 1250 e 3500$ digamos que eram equivalentes a euros e descontavam 200 euros em média por mês x13
    durante 20 anos 80.000 euros reformaram-se entre os 220 e os 860 contos

    presentemente auferem entre 1500 e 6800 euros brutos de reformas
    (perderam direitos nestes últimos 15 a 20 anos de reformas?

    se calhar perderam menos do que o irmão deles e cunhado doutros que aos 75 continua a trabalhar…com 375 euros de reforma…calão…um fascista este meu tio…
    e é o mais novinho deles
    mimado…

  5. marai celeste ramos says:

    o senhor ex-ex funcionário salvosja dá muitos números e valores e não percebi nada – podi falar para pessoas, com o eu, mais burras e menos informadas – assim, ou só branca e não percebo 8a não ser que estaja a falar só para quem o conhece e entende) ou então anda a lançar a confusão de quem como eu, gosto de ler o que diz quem e porque diz se diz porque assim creio que não diz nada a não ser para iluminados – pena eu não ter capacidade de aproveirar a sua excelente informação

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.