Dia Internacional da Mulher

 

(Artemisia Gentileschi)

Não ficaria bem comigo mesma, se, no dia da Mulher, não escrevesse uma única linha aqui no Aventar!

Ao pensar neste post, lembrei-me das mulheres que foram «primeiras»…

Artemisia (séc. XVII), a primeira mulher pintora a tornar-se membro da Academia de Arte do Desenho em Florença, de Hildegard de Bingen (séc. XII) a primeira compositora que se conhece e Francesca Caccini (séc. XVII) que escreveu a primeira ópera no feminino, Aphra Behn (séc. XVII), a primeira a viver só da escrita e Concépcion Pardo Bazan (séc. XIX), a primeira espanhola a estudar numa universidade.

Não me esqueci das portuguesas. Recordo apenas duas nascidas, curiosamente, no mesmo ano e ambas médicas e feministas: Carolina B. Ângelo (1871-1911), que não morreu sem antes dizer-se a primeira portuguesa a votar (1911) e Domitila de Carvalho (1871-1966) que dá nome a uma rua da minha cidade (Santa Maria da Feira). Domitila, a primeira a frequentar a Universidade de Coimbra e uma das 3 primeiras deputadas eleitas em Portugal! O que terá dito Domitila e as outras duas mulheres em voz alta, perante tantos homens? Vou procurar saber!!

Mas há tantas outras, maravilhosas, como cada uma de nós, simples mortais!!

Acrescentem nomes a esta pequena lista!

Comments

  1. marai celeste ramos says:

    Mas também eu mesma continuando a ser ilustre cidadã desconhecida fuii a 1ª da europa a fazer investigaça para tese de livenciatura sobre o polen da palmeira do azeite para aumentar a produtividade e sou a 1ª paisagista do país a abrir caminho à mulher no gheto dos homens e a 7ª engª silvicultora – É e foi muito dificil invadir o feudo dos homens e dos brasões e ainda hoje não quero nada com eles pois que nada mudaram – Não é “nada” o que fiz mas só eu sei mas não foi nada fácil , e já no fim do sé XX – Sim a mulher é um ser em que por ela passa o divino quando traz ao mundo uma criança por amor – Por isso sou contra o aborto – sou conta a morte e a matança que ainda tenho de pagar com os meus impostos – e não me venham com dramas sociais para justificar abortos e dramas que despejam nas pias – A vida não se mete na pia, qual drama qual carapuça – uma mulher que aborta é pior do que uma cadela que come os filhos – E no entanto quanto mais conheço os homens mais gosto dos cães, e roubo esta frase a quem a inventou porque é ainda é minha também – há mulheres heroínas e heroína será que dá ao mundo um ser chamado criança e que é vida


  2. Cara Maria Celeste, tenho que a felicitar pela sua posição em relação ao aborto!

    A vida acima de tudo!

    Muitos parabéns!

  3. Céu Mota says:

    Parabéns às duas!!
    Pela vida! Pela vida que a mulher pode dar!!
    E parabéns a Maria Celeste, em particular, por ser a primeira arquitecta paisagista em Portugal e a 7ª engenheira em Silvicultura.


  4. São tantas as heroínas desconhecidas, mesmo na actualidade.
    http://umjardimnodeserto.wordpress.com/2012/03/08/iryna-khalip/

  5. antonio oliveira says:

    Mortais, mas sempe maravilhosas!

  6. xico says:

    Sendo grande apreciador de Hildegard, que também foi mulher de ciência, não posso deixar de referir Safo, que também era música e por isso anterior a Hildegard, e portanto “primeira”. Ambas muito parecidas no “gosto” e na sensualidade das letras, mesmo referindo-se à Virgem Maria no caso de Hildegard.


  7. – Maria de Lurdes Pintassilgo;
    – a Senhora da Limpeza que acabo de ver a trabalhar em Serralves;
    – a Empregada do Continente que há pouco me atendeu;
    – Maria José Ritta;
    – Maria José Morgado

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.