Todos contra a Barragem 0,1% – Depoimentos sobre o Douro e o Tua. 9 – Manuel Cardoso

 

«“Era um local recôndito mas havia pior. Fora comodamente de comboio até ao Tua pela linha do Douro. Mudara para um outro, de via estreita, que lhe pareceu penetrar num reino diferente de contos e histórias, de fragas antigas e medos terríveis, a subir por desfiladeiros a cujas paredes as carruagens se agarravam a custo.
Em Mirandela esta imagem tinha-se-lhe apaziguado, a terrinha parecia até com movimento. Simpatizou com ela e havia de lá voltar algumas vezes, teve mesmo de lá voltar bastantes vezes porque mais tarde veio a ser médico da Companhia Nacional, que explorava este ramal de caminho-de-ferro. Era o términus da linha, a estação era grande, tinha gente.
Deu uma volta pela beira-rio, entrou num ou noutro boteco, ensinaram-lhe o Zé Maria das Barbas, patriarca da boa mesa, descobriu o Totó onde se comia bem e se era servido pelas muchachas de Chaves e de Verin. Gastou meia hora nesta deambulação. Retornou à estação para acomodar as suas bagagens na diligência que partiria defronte. Carroças e carros de todo o tipo estacionavam pelas ruas, empedradas de calhaus do rio, malcheirosas e muito sujas.
Uma boa parte do distrito convergia para Mirandela para despejar coisas e gente para o comboio e receber coisas do comboio. Era, até, tudo muito animado. A terra ganhara foros de maior importância por ter tido visita real aquando da inauguração do caminho-de-ferro(1887). Que não passará daqui durante uma vintena de anos e que, por isso, era um lugar de convergência de e para o Trás-os-Montes profundo.»

Manuel Cardoso, Um Tiro na Bruma

Outros textos:
1 – Francisco José Viegas
2 – Guilherme Felgueiras
3 – Eça de Queirós
4 – Miguel Torga
5 – Pedro Homem de Mello
6 – Daniel Deusado
7 – Manuel Monteiro
8 – Sant’Anna Dionísio – I, II, III, IV, FIM

Sugestões para novos textos:
Formulário de contacto do Aventar ou caixa de comentários deste post.

Comments

  1. Velal says:

  2. olha um bideo…

    a água pra biber bai durar inté quando?

    quando os espanhóis reduzirem o caudal do rabaçal e do Tuela comé que vai ser pra irrigar as cotas acima dos 900? ou mesmo uns 30 metros acima do curso ribeirinho

    é verdade que o cachão tá semi-morto mas inda há lá vacalhame que bebe iágua

    vão os bombeiros levá-la?
    se o alentejo em 92 custou 3 milhões de contos em transporte de água

    quantos eurros vai custar este ano só no Tua?


  3. Os valores mais elevados no Nordeste registam-se, na Serra da Coroa e na Serra de
    Montesinho, com precipitações médias anuais entre os 1000 e os 1400 mm, contrastando
    com o vale encaixado do Douro que sofre o bloqueio de alinhamentos montanhosos….
    resumindo :Bai ser muy malo…


  4. por falar nisso há chuva para regar as escarpas em Abril
    Ou arde tudo antes disso?


  5. É forçoso submergir a Linha do Tua, e esquecer todos os crimes que lá ocorreram à luz do dia:
    http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=561820

    Afunde-se tudo, esqueça-se tudo. Ou então da próxima vez que virem roubar o que é de todos, abatam o ladrão a tiro pois os julgamentos demoram dez anos e dão muita despesa pública.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.