Dificultês

o texto que eu gostaria de ter escrito sobre o eduquês de Nuno Crato e as contas da Parque Escolar, por Rui Tavares.

Comments

  1. Tito Lívio Santos Mota says:

    Primeiro, devo dizer que se o Sócrates fosse julgado à moda da Islândia, teria certamente direito a atenuante com esta medida de passar a escolaridade para os 18 anos.
    E também a de ter lançado este plano para o Parque Escolar.

    Segundo, mesmo sendo algo conservador em matéria de ensino, prefiro um milhão de vezes o eduquês ao chicoespertês do Crato.

    Gato escaldado… etc.

    Perdi a conta aos “grandes revolucionários do sistema de ensino” que passaram pelos ministérios daqui e daí.

    Em geral, quem faz coisas não chega aos gritos a armar ao pingarelho.

    Começamos por aquela nódoa no tempo do Gonçalves que “para criar igualdade” acabou com o ensino técnico. Em vez de nivelar por alto, nivelou por baixo.
    Depois foi o estafermo do Oliveira Marques com o Propedêutico.
    E por aí fora.
    Alguém se lembra dos que fizeram coisas de jeito?

  2. jorge fliscorno says:

    Pela fonética do título, por momentos até pensei que se fosse falar de francês técnico.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.