Deixem o paneleiro em paz

Aquele pobre diabo que, sendo burro como um calhau (perdoem-me, asnídeos), escrevendo mal e porcamente, não lhe sendo reconhecida nenhuma habilidade especial que o habilite a ser mais que moço de elevador num hotel onde a sua pilosidade facial fosse apreciada, chegou à profissão de director de jornais por razões que permanecem na neblina onde por vezes adormece a capital, vamos fingir que o bom nome familiar não teve nada que ver com o assunto, debitou mais uma das suas recorrentes tentativas de sair discretamente do armário.

Como de costume meio mundo e o outro caiu-lhe em cima. Deixem o gajo em paz, não lhe aparem o joguinho, não citem, não lhe respondam. O défice de atenção não se trata com atenção, o homem precisa é de tratamento, e de sair de vez do armário, é claro.

Comments

  1. J.V. says:

    O JCC ofendeu asnideos, formações rochosas, opções sexuais, e funções hoteleiras, mas só pede desculpa aos primeiros. Indignante.

  2. Zuruspa says:
  3. palavrossavrvs says:

    Vou seguir o teu conselho. Vou deixar o espécimen em paz. LOOOOL

  4. J.V, tem toda a razão. Foi um deslize. Prometo para a próxima usar vaselina.
    Zuruspa, não vejo a relação entre a imagem e o conteúdo deste escrito.

  5. maria celeste ramos says:

    mas que paneleirices

  6. xico says:

    Quase sempre estou em desacordo com o autor deste post. Não é aqui o caso. As qualidades de pensamento e escrita da personagem citada aproximam-se perigosamente das da Fanny.

  7. Raios… estou a leste…

  8. Até eu Paulo. A leste, onde o sol nasce…

  9. Snif.
    Tenho uma lágrima no canto do olho.

  10. Reblogged this on Beto Bertagna a 24 quadros.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.