Dia do Planeta Terra

Algumas ideias avulsas que me ocorre dizer neste dia…

A população mundial chegou aos 7 mil milhões, mas está muito envelhecida e não sabe lidar bem com isso. 

Os idosos morrem sós…

O Homem ainda não aprendeu a aceitar as rugas no rosto e no resto do corpo por mais voltas que a Terra dê. Muito menos a natural morte por mais que assista à das plantas e dos animais e de tantos seres humanos ao seu redor.

A esperança média de vida aumentou, mas morremos por doenças diferentes às que matavam no passado. Doenças deste tempo: ansiedade, stress, depressão e outras bem nossas conhecidas.

Somos seres urbanos – beneficiamos com isso, mas também encontramos problemas.

Sem nos darmos conta, usamos cada vez menos a voz: enviamos, em média, 137 sms por mês e 3,5 milhões de portugueses estão no facebook (valores de 2011). Cada vez mais virtuais.

Estamos, portanto, a mudar o modo de nos relacionarmos. Involuntária e inconscientemente vamos reduzindo pouco a pouco o contacto físico com os outros. Resolvemos algumas questões com um simples e-mail ou sms. No local de trabalho, os colegas comunicam entre si por estes meios apesar de se encontrarem lado a lado ou em salas contíguas. Entre familiares, o contacto faz-se por sms e facebook… encontram-se mais deste modo do que presencialmente. Enviar cartas, nem pensar. Já não se usa. Escrevemos mal, com erros, com abreviaturas, sem preocupações em escolher as palavras mais interessantes, os sinónimos mais curiosos porque não há tempo, etc., etc.

Estamos, efectivamente, cada vez mais afastados da terra, da natureza e dos outros seres humanos. E de nós mesmos. Porque também não suportamos o silêncio e os sons da Terra. Não nos pensamos.

Não há capacidade para repor os recursos naturais e animais há em vias de extinção e em perigo. A nossa relação com a Natureza sofreu grandes mudanças. Crescemos mais que a Terra, escreveu Lester Brown. Teremos àgua e alimento até quando? Temos, com certeza, que mudar algo no actual estilo de vida num mundo que nos dá, como nunca, tantas possibilidades de nos tornarnos seres humanos completos, realizados, felizes!!

Apesar de tudo vai ser difícil deixar o planeta Terra, este lindo pontinho azul perdido no Universo. Esta vida boa (nem sempre) na Terra!

Comments

  1. Céu Mota says:

    Sem querer, apaguei o comentário de Magriço que me fez uma correção quanto ao número da população mundial. Obrigada MAGRIÇO pela correção e desculpe o que fiz.

  2. MAGRIÇO says:

    Não precisa pedir desculpa. Todos erramos. 🙂

  3. MAGRIÇO says:

    Céu, juro que não tirei o dia para embirrar consigo 🙂 mas em português de Portugal o termo “bilhão” não existe: dizemos mil milhões. A população mundial é, pois, de sete mil milhões. Desculpe a insistência…

  4. luiz dias says:

    onde escreveu « Sem nos dermos conta » creio q a ideia seria – sem nos darmos conta , mas bom artigo de opinião.

  5. Céu Mota says:

    Agradeço aos leitores MAGRIÇO e Luiz Dias pelas correções. Abraço

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.