Sobre a R.T.P.

Uma vez mais o governo português parece andar à deriva. Por um lado pretende mostrar serviço à troika, por outro tem medo da opinião pública interna e não quer efectivamente colocar em causa as vacas sagradas, neste caso a RTP, preferindo optar pela cosmética à efectiva mudança. Pela parte que me toca defendo há muito a total privatização de todos os elefantes brancos que muito dinheiro custam ao contribuinte, mas servem, tem sido assim ao longo de décadas, aos partidos políticos para colocar boys em jobs bem remunerados. A RTP é apenas mais um triste exemplo. Bem sei que na U.E. existe a tradição de manter um ou mais canais públicos de televisão, mas existe mundo desenvolvido para lá do espaço da U.E., onde as televisões e não só, mesmo privadas, são exemplos de isenção e independência face ao poder político. Nos E.U.A. por exemplo, já provocaram a demissão a um presidente e condicionaram a manutenção no poder ou eleição a inúmeros políticos. 

Não concordo com a proposta em cima da mesa, de concessionar o serviço público de televisão, menos ainda em submeter os portugueses a uma taxa destinada a um agente económico, pois tal significa doar a RTP com garantia de lucro, ou seja, capitalismo com lucro garantido pelo Estado, prefiro que a encerrem se economicamente a empresa não apresentar viabilidade e surgirem compradores. Os programas de interesse público, podem perfeitamente ser submetidos a concursos e contratualizados a operadores privados, quando e se estritamente necessários.

Comments

  1. nightwishpt says:

    Usar as televisões dos EUA como exemplo de isenção e independência é de uma patetice atroz.. Basta ver que uma delas teve sustentado em tribunal o seu direito a mentir.

  2. Rafael says:

    E a PBS não é um canal público sustentado pelo Estado Norte Americano?É! E é porventura uma demonstração da qualidade que pode ter o serviço público de televisão sendo o local onde floresceram por exemplo a mítica Rua Sésamo ou os excelentes documentários Frontline e onde regularmente são transmitidas peças de teatro. Texto de quem não sabe do que fala ou então mentiroso!

  3. Carlos de Sá says:

    Ah, a independência da FOX! Que maravilhoso exemplo de isenção! Ou exactamente o contrário, pelo que você devia falar apenas do que sabe… que não será com certeza sobre serviço público do que quer que seja.
    Em todo o caso, não percebeu que, desde o princípio, o que está em causa não é mais do que continuar a entregar o ouro ao bandido – coisa que este governo faz muito melhor do que o anterior.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.