Postcards from Romania (22)

Elisabete Figueiredo

Todo aquele que não souber falar latim, será afastado à paulada

A igreja na colina (de cujo interior não se podem tirar fotografias) tem vários frescos. Um deles, do século XV, retrata a santíssima trindade. Uma só figura, com três cabeças. A da esquerda é o espírito santo e este santo espírito é – pasme-se – uma mulher! Whatever that means, ganhei o dia.

No coro há outra inscrição e o papelinho que me deram à entrada explica-me que está escrito: «todo aquele que se quiser sentar aqui, mas que não souber falar latim deverá afastar-se ou, mesmo, ser afastado à paulada». Pelo sim, pelo não, afasto-me.

Cá fora, um cemitério enorme, onde não entro. Além, uma casinha na colina com um pátio delicioso, acho eu. Não sei o que acharão os senhores da UNESCO. Percebo a importância dos rótulos, mas ao mesmo tempo parece-me que não seriam precisos. Que são, até, perversos.

Falemos, outra vez, de folclore, se quiserem.

Desço a colina, devagarinho, não vá partir as pernas ou a cabeça (umas e outras fazem-me falta intactas, seja como for) nestas ruas completamente irregulares. Evito as escadas, vou em volta, rodeando a colina.

A velhota das flores foi-se embora. Se calhar decidiu partir para o Pólo Sul, seguindo, devagarinho, uma das suas mil rugas.

Onde quer que tenha ido, desejo que saiba latim.

(Sighisoara, 11 de Agosto de 2012)

Comments


  1. Aqui do Rio de Janeiro estou viajando pela Romania contigo.. Ainda sei um pouquinho de Latim – salvo nós duas (risos).
    Delicioso texto. Grata.
    Boa Sorte, Norma

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.