“Um terço é para morrer”

José V. Malheiros (não) foi duro! Escreveu hoje no Público O Sonho de Pedro Passos Coelho. Coloca aspas na primeira frase e fecha aspas após a última palavra de um longo e eventual sonho do PM ou, melhor, o grande pesadelo dos portugueses:

Um terço é para morrer. Não é que tenhamos gosto em matá-los. (…)não os vamos matar-matar (…). O Mota Soares (…) com aquela cara de anjo (…). O Paulo Macedo (…) não é genocídio, é estatística. (…) Estas tretas da democracia e da educação e da saúde para todos foram inventadas quando a sociedade precisava de milhões e milhões de pobres (…). O outro terço temos de os pôr com dono. (…) O outro terço são profissionais e técnicos (…) estes estão no papo. (…) Com um terço da população exterminada, um terço anestesiado [futebol, telenovelas e reality shows] e um terço comprado, o país pode voltar a ser estável e viável. (…) O Ângelo diz que, se continuarmos a portarmo-nos bem, um dia nós também vamos poder pertencer à elite.”

Estamos todos no papo, independentemente do terço a que pertencemos.

Mas pensando bem… Malheiros não fez bem as contas. A divisão em 3 partes não é rigorosa.  Infelizmente, é mais que “um terço para morrer” …

Comments

  1. Rui Miguel Duarte says:

    Obrigado pelo “feedback” em http://neaktisis.blogspot.fr/2012/09/o-sonho-de-pedro-passos-coelho.html.
    As previsões apontam para que até 2050 (parece) a população portuguesa se reduza em 1 000 000 de pessoas. Isto em termo de demografia natural, pelas tendências de envelhecimento, não renovação das gerações e ainda em virtude das massas de emigração. A fome, o falta de acesso a cuidados de saudade pode fazer piorar o panorama.
    O pior é que os Hítleres e Stalines não se extinguiram de todo. Este capitalismo financeira de jogo de monopólio, de que António Borges é um paradigma acabado, anda por essa linha.

  2. art.almeida says:

    Dizia-se que SALAZAR queria acabar com os pobres. Foi para Santa Comba.
    Passos Coelho também quer acabar com os Pobres. Irá conseguir?


  3. Não se tratará de um sonho colectivo?

    http://en.wikipedia.org/wiki/Georgia_Guidestones

    …. porque, afinal, “Há mais coisas no céu e na terra, Horácio, do que as sonhadas na tua filosofia.”

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.