José Sócrates está no Congresso Democrático das Alternativas?

A minha desilusão com os políticos é tal que me tenho limitado a votar em qualquer coisa que considere um mal menor, mantendo uma inclinação para a esquerda.

Depois de ter desistido do PS, já há uns anos, tenho deixado o meu voto no Bloco de Esquerda, o que tem contribuído para tranquilizar a minha consciência, porque não foi à custa do meu voto que os meus concidadãos foram prejudicados por uma série quase infindável de medidas cuja qualificação mereceria não adjectivos mas uma catadupa de palavrões.

Como já tive oportunidade de escrever, goste ou não do estilo, concordando mais que discordando, o saldo que faço das várias intervenções de deputados do Bloco e do PCP é amplamente positivo. Entre outras afirmações, basta lembrar que foi deste lado que partiram avisos acerca das várias consequências da austeridade cega, como o aumento do défice e do desemprego.

Não sei, sinceramente, se isso será suficiente para que a esquerda se una e se, depois de se unir, fará com que seja suficientemente competente para governar. O que sei é que o arco da governação é ocupado há anos pelos mesmos três partidos e os resultados estão à vista. É necessário mudar, nem que seja por exclusão de partes.

Está a decorrer o Congresso Democrático das Alternativas, mais uma tentativa de unir a esquerda portuguesa. É da minha vista ou andam por lá alguns membros do Partido Socialista que, há menos de dois anos, andavam a defender José Sócrates? Estarei enganado ou foi José Sócrates o responsável pelo aprofundamento do buraco financeiro e cívico, no mandato em que teve maioria absoluta? Será confusão minha ou foi José Sócrates que, diante do desastre que criou, escolheu dar início às políticas que hoje Passos Coelho se limita a prosseguir, tornando os pobres em miseráveis e os remediados em pobres?

Provavelmente, tenho de me conformar com a ideia de que a esquerda que eu gostaria de ver governar nunca chegará ao poder, porque, para isso, parece ser preciso o PS, um partido que já não é de esquerda há muito tempo e há muito tempo que se transformou numa agência de negócios e de emprego. É esta noção que me leva a concordar com o Palavrossavrvs, uma das muitas vítimas dos vários incompetentes que têm estado no governo, sendo que estar é diferente de governar.

Comments

  1. Nuno Castelo-Branco says:

    Já agora, “devia ser” óptimo enveredarmos por um castrismo semi-marroquino, voltarmos aos burros, arados de madeira e velas à guisa de electricidade, mas com muitos tanques, canhões e polícias para cada 3 populares…
    O programa dessa gente – até o gordérrimo comensal “Melena e Pá” lá estava! – é capaz de ser valido num mundo paralelo, onde a história não tenha passado. São uma data de pançudos que se alapardam em institutos, universidades, bibliotecas, fundações e outras despensas do poder instituído. Acreditas mesmo naquele parasitismo alvar e já aflito por voltar rapidamente ao tacho supremo? Pois é disso mesmo que se trata e nada mais.


  2. Pois é muito claro o que escreve Nuno Castelo-Branco e já agora, como símbolo, o meu coração que me parece mais que normal, fica no lado esquerdo e nunva votei na direita nem sei porquê – AntºJosé Teixeira responde à Ana da SIC e lá desliga de eleitores e de quem os representa e há “PASSOS” largos para os representantes não representam nada e andam de porta meio aberta e país divorciado e a fechar portas e não entende o país senão pedir dinheiro que nem pede – só TIRA para quê ?? e que nada explicam e ninguem percebe com os CONTABILISTAS de “deve e haver” – o objectivo é só retirar e nada percebem e esta coincidència de bandeira ao contrário – tudo sem rumo que les não percebem – políticos a fugir – Graça Franco os portugueses esperavam orientação do PR e nada disse – o persidente da CML fez discurso razoavelmente concreto e de cabeça erguida e de não admitir a saída dos nossos jovens (também acho pelo menos os anos em que paguei os estudos deles e dão à sola e fogem daqui – só os poliíticos não fogem) – e a bandeira ortuguesa está sem pre em qualquer lugar subalterna em quelquer bandeira dos outros pa~ises – Eanes a ética deve dirigir a política +++ etc – e falou muito bem e disse tudo muito certa – O jornalista convidado não diria o mesmo – etc – Henrique Monteiro o 3º convidado jornalista da plataforma não sei quê apagagaram a legenda pois é só pama ser lida por menores de 20 anos e eu já não tenho) diz ele que nem soda a simbologia pode ir abaixo e se a governança tem mêdo – isto anda tudo ligado e á floklore – Coata fala bem mas não tem substância no discurso (mas o que é que querem que seja dito por aqule monhé manhoso ??), discurso do PR foi catastrófico – tivemos duas manifestatações gigantescas e governo enquistado que não fala com ninguém e o PR fala em emigração e não lhe fica bem falar nos anos 60 – tinham fome nos campos e havia guerra e estamos a empobrecer mas não podemos voltar atrás – os PR não juntou as pontas e falar sobre o que se deve fazer e este discurso foi de secretário de Estado da Educação – e ser consensual também a lista telefónica é- se há alguém responsável por um rumo é o PR e não o governo como garante da responsabilidade (ai mas o PR quer é a acumulaão de reformas e passear-se) – Sarsfield Cabral hoe morreu Margarida Marante e foi jornalista importante – local fugir das pessoas o antº costa deu várias razão para o local e o sol e frio justificado masnada melhor para

    entusiasmar as TV que mudar o lugar da cerimónia e a europa ver – (está a metar a pata na poça com revolta das pessoas que se atiram aos carros – mas este gajo acha que são todos o quê como ele?) – AntCosta não disse nada de diferente de Seguro mas mais forte e Seguro é que deve estar preocupado – o PR estratégia + dar sentido aos sacrifícios mas se fizesse crítica aos impostos devia não quer querelas mas acho malf echar o Palácio de Belém – o jornalista diz que é discurso perigoso mas os sinais

    de políticos acossados que não dão explicações só há enumeração do que vão tirar e Nicolau Santos no Expresso elabora LISTA de perguntas sem resposta – mas a celebração sem pessoas não faz sentido – PR não tem de ser comentador político mas nada disse de Victor Gaspar e o governo falha – agora a falar das autárquicas como se a situação não fosse dramática e o PS tem tido sentido de Estado – se calhar o governo tem de ser remolado profundamente e para autárquicas falta um ano e tal – Sarsfield isto leva a recessão profunda e agora a ameaça do IMI com 2 mil/5 é notável – e isso nunguém diz como é e cria angústia e factor de recessão – juros baixaram de 4% mas ainda não é nada – IMI disse Capucho que os 35 euros a pagar de 2 vezes vão ser pagas em centenas de vezes (não percebi) – já falam todos ao mesmo tempo – Graça diz que o país se afunda e há sinais do afogado e e o sr do calçado diz que é precisa alguém que nos diga para não desistir – Pode ser PR e o PR e das Finanças e que portrugal vai renascer – dizer porque estamos exaustos sem chegar à margem – jornalista Anº José Teixeira há ausência de futuro o que compete ao PR que não é consequente e dar exemplo da sua própria palavra e ser coerente e se há um ano disse que a curto prazo era necessário dar sinais de crescimento e nada – perante sinais de desagreagação política que nem sequer é garantia deve chamar atenção do governo e perante as moções de censura houve RISOTA e para o cidadão isto é o pior – e só vão ao bolso e isto é a maioria e o PR tem de ter palavra publica e nós jornalistas sabemos isto dos bastidores – o PR tem de dizer mais que isto – Sarsfield diz que PR é Keynesiano e MFerreira Leite não anda longe do presidente – ANA Lourenco jornalista pode este PR deixar o governo continuar ?? – Mark Twain dizia que em caso de dúvida diga-se a verdade — a verdade é que toda a gente tem dúvidas – CDS + PSD p PS tem toas as dúvidas – que m«nem partilham – mas nunca partilham nada connosto mas isto está infectado por comentadores – eu não sei se eles estão a tentar com mais força – o Tribulal constitucional dise — e agora é esbulho fiscal – Cortar salários eternamente é absurdo – há centros de investigação que têm receitas próprias e produzem bens para vender e nada há melhor que isto e há um ministro de finanças que não retira esse dinheiro – só fica o deve e haver – descapitaliza-se o Esatado e o estado paga – não percebi – isto já áHoje Daniel Bessa deu váris exemplos de como arrecadar + receita fiscal e ter medidas e ninguém se preocupou com o tecido produtivo – Sarsfield o que me preocupa da carga fiscal para compensar a derrapagem orçamental e (A Ana Lourenço está cada vez mais bonita e magnífica peofissional) – Graça diz que Gaspar não é tontinho mas acredita em certa terapia que não dá resultado – Ana L – mas já falhou uma vez tal terapia . E então porque repete ?? A própria troika preocupada sem crescimente e não impºoe e só diz a meta e chrgar lá (mas não como) Colelho foi para Bratsla e nada disse e voltamos ao papel do PR e da transferância – Grécia está há 5 anos em recessão e a Troika permite – em 2013 retirar à cabeça é tirar salário real – nem mesmo antº Borges acha que pagaremos a dívida e a europa cai – o edifício europeu e nacional estão a ruir -23:55H-acabou

  3. abilio afonso says:

    O tempo vai passando, a incompetência vai reinando, nós vamos sofrendo, e mesmo com tanta austeridade, tudo vai piorando. E o Sócrates vai ser sempre o culpado de tudo. Francamente!… Odeiam mesmo o homem. Ele não fez nem mais nem menos que os outros. Fez mal, fez bem? Então e os outros? Os que antes dele tiveram a mesma responsabilidade e falharam redondamente, não têm nada a ver com o que se passa hoje? Começando exactamente pelo actual Presidente da Républica, que quanto a mim é dos principais culpados e foi premiado, sendo eleito exactamente para este cargo. Claro, o Sócrates foi o último, teve o azar de estar á frente do governo, quando a nível da europa e não só, se deu o descalabro financeiro que ainda hoje subsiste e irá continuar. Também foi o Sócrates o culpado da crise financeira na europa??? Para alguns até parece que foi. Para os fanáticos, na altura do governo Sócrates, a crise era só em Portugal que existia. Agora mudou, por conveniência já existe CRISE NA EUROPA. Que interessante!. Que descaramento! Provavelmente até foi o Sócrates que, com a sua grande “capacidade” demonstrada, despoletou esta mesma crise na dita Europa e se calhar até, para esses fanáticos é dono das Agências. Apontem o dedo sim, eu também aponto, mas a todos e nunca a um só. Todos têm culpa do que se está a passar no nosso país, até nós! Por isso senhor António Nabais, acho que o Sr. não está enganado, está muiiiito enganado. Veja o que está para trás e chegará ao mesmo que eu cheguei e assim é que deve ser visto. Sabe, eu hoje se não estou a passar mal (por enquanto), foi porque fui poupando do meu salário e da minha mulher, privando-me até de férias durante muitos anos, gastando só o necessário. Isto era o que os sucessivos Governos durante estes +/- 30 anos deviam ter feito. Desbarataram dinheiro á farta, satisfazendo clientelas e agora não há. Se fosse bem gerido, hoje não estavamos nesta miséria, com gente desempregada e a passar fome, que é uma tristeza.

  4. jorge fliscorno says:

    Se me permite meter a colherada…

    «Ele não fez nem mais nem menos que os outros.»

    Isto não é factual. Ele nacionalizou o problema BPN e passou a dívida pública dos 70% do PIB para mais de 100%. Acontece que isto aconteceu num período em que os juros do crédito dispararam. Claro que ele não sabia à priori que isso aconteceria mas arriscou. Arriscou e o risco tornou-se realidade.

    Sócrates não foi o culpado da crise financeira, apesar de a ter usado para desculpar a má governação dele. Mas ao aumentar a nossa dependência dos credores a um ponto onde nunca tínhamos chegado deixou-nos nas mãos daqueles a quem devemos dinheiro. Disso, do maior erro de todos, não se livra ele e de nada vale branquear o passado.

    Não pretendo branquear aqueles que vieram antes dele, muito pelo contrário. Todos contribuíram para que aqui tenhamos chegado. E acontece, também, que os que nos governaram não chegaram ao poder por artes mágicas. Foram eleitos, o que significa que os eleitores caucionaram o rumo político que os diversos governos tomaram.

    E termos políticos, eu já errei por três vezes. Numa votei em Guterres, por causa da sua paixão pela educação e foi o governo que instituiu as PPP. Votei uma vez em Sócrates devido ao plano tecnológico e foi o que se viu. E votei no Passos pela promessa de reduzir o estado paralelo e dele apenas tem vindo impostos. Para fazer o pleno dos erros, só me falta votar no BE e ver a banca (e o buraco que ela tem) nacionalizada e votar no PCP para que o que resta da indústria seja nacionalizado.

    • Eanito el estático says:

      olhe que não, olhe que não, ele até teve o menor déficit anual de que houve memória
      é verdade que foi feito com contas à Alberto João e com estimativas dignas de uma câmara do deserto, mas tirando isso e a reforma da segurança social muito mal reformada e o milhão de magalhães a ir para a sucata, mas apesar disso quase inquebráveis.

      O nosso sócrates alternativo vai-nos deixar memórias para décadas e nisso foi muito superior a Cavaco, a Sampaio e a Soares


  5. Faço minhas as palavras de nuno castelo branco. Palavras inspiradas. A maior parte das pessoas do congresso alternativo é gente que vive a conta do estado.
    Começa no Vasco Lourenço que tem reforma principesca.
    É aquela gente que tem soluções para portugal ficar mais rico ? Não acredito.
    A alternativa é dizer que não pagamos a divida ? Talvez , mas é caminho arriscado. De qualquer forma a Grecia já fez isso.
    No que se refere à gestão do país entre vitor gaspar e vasco lourenço, um militar, prefiro Vitor Gaspar.

    • António Fernando Nabais says:

      A maior parte das pessoas que está ou esteve no governo vive à conta do Estado (mesmo aqueles que passaram para empresas, usaram o Estado para chegar lá e, pelo caminho, fizeram favores que arruinaram o mesmo Estado). Não sei se o Vasco Lourenço tem uma reforma principesca, mas há muita gente que esteve no governo ou na Assembleia da República e conseguiu alcançar a categoria de jovem reformado. Finalmente, em princípio, também preferiria um economista a um militar para gerir o país: ora, Vítor Gaspar, o economista, já provou que não sabe gerir o país (veja-se o défice e o afundamento da economia) e está visto que não serve para ministro, porque um ministro é alguém que deveria lutar para melhorar a vida dos seus concidadãos.
      Já perdi a ingenuidade toda e não tenho fé inabalável em ninguém. Acredito, no entanto, que PSD, PS e CDS já tiveram oportunidades que chegassem e o resultado é evidente. O texto, no entanto, é sobre a falta de vergonha dos ditos socialistas que, depois de apoiarem Sócrates, que se disfarçou de esquerda e parasitou o Estado, apareçam, agora, a fazer de conta que são de esquerda.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.