Aqui está, direitinha como deve ser

Num escassamente concorrido comício convocado não muito longe da sua alcaidesca caverna de Ali Babá, o Sr. Costa procedeu ao lançamento da sua campanha eleitoral no interior do PS. Daquela boca saíram as habituais postas de “recuperações urbanas” que jamais fez na capital que comanda, alusões aos investimentos, dinheiros a pescar não se sabe bem como e onde, além da tirada final para todos os gostos do patriotismo, agradando aos republicanos com o agora extinto 5 de Outubro e aos omminosos monarchicos com o redentor 1º de Dezembro que a sua camarilha Espanha! Espanha! Espanha! hipotecou aos nossos vizinhos, donos e senhores de perto (?) de 40%do nosso comércio.

Do residente a Belém, nada há a destacar, tal como sempre ocorre em momentos de aperto. Se alguma coisa se passou de relevante, isso caberá à oportuna  responsabilidade de uma senhora, de seu nome Luísa Trindade. Tal como um povo inteiro condenado pela 3ª República às galés, disse  tudo o que havia para dizer no Pátio da Galé. Uma bandeira hasteada em perfeita correspondência com a situação, 40 “gatos pingados” que vieram assistir às solenes exéquias da coisa, e o fugidio  Pátio da Galé. Enfim, um dia prenhe de símbolos.

«Tu julgas que eu ignoro o perigo em que ando? No estado de excitação em que se acham os ânimos, qualquer dia matam-me à esquina de uma rua. Mas, que queres tu que eu faça? Se me metesse em casa, se não saísse, provocaria um grande descalabro. Seria a bancarrota. E que ideia fariam de mim os estrangeiros, se vissem o rei impedido de sair? Seria o descrédito. Eu, fazendo o que faço, mostro que há sossego no País e que têm respeito pela minha pessoa. Cumpro o meu dever. Os outros que cumpram o seu.»

Comments

  1. Pedro Sousa says:

    Atenção que de acordo com com os códigos militares a bandeira ao contrário significa que o local está tomado pelo inimigo. Se calhar estava ali alguém a pedir ajuda.

    • Azarado says:

      se a bandeira está direita então vemos um presidente às avessas a içar a bandeira para baixo.

      …é o verdadeiro retrato dos nossos governantes que tudo fazem para nos porem de rastos!

    • Nuno Castelo-Branco says:

      Aquele local está tomado pelo inimigo há muito tempo, mais precisamente desde a “primeira vereação republicana”.

      • Maquiavel says:

        Este ainda está azedo pelo facto do povo português preferir a república. Viu-se logo no grande apoio ao Paiva Couceiro! 😀

        Quem salvou a República foi o povo português! Porque nunca por nunca ser se quis voltar à amorfa monarquia!

        Ai o povo, que horror…

  2. John Silva says:

    «If your crew has to abandon a ship in distress to save their lifes, the last thing to do (if you have time to do so) is to turn the flag upside down.
    This means that you woud give up any right on the vessel or cargo and anybody who manages to rescue the ship afterwards could keep it»

  3. João Riqueto says:

    Sr Nuno, por bandeira de pernas para o ar, vou contar o que se passou comigo. No mês de Julho estive a trabalhar em San Sebastian, no País Basco.
    Não é que no dia 25 do mesmo mês, no balcão da recepção da pensão onde ficámos, estava uma bandeira portuguesa de pernas para o ar? Estava a corrigir a coisa e veio o funcionário e diz-me; deixa estar que isso é castigo, castigo porquê? Então és português e não sabes que a 25 de Julho de 1813 o Marechal Saldanha com o Batalhão de Caçadores 5, arrasou a cidade de San Sebastian? Não sabia mas fiquei a saber. Foi verdade e aconteceu, no decorrer da Guerra Peninsular.
    .


  4. Artigo 332.º – Ultraje de símbolos nacionais e regionais

    1 – Quem publicamente, por palavras, gestos ou divulgação de escrito, ou por outro meio de comunicação com o público, ultrajar a República, a Bandeira ou o Hino Nacionais, as armas ou emblemas da soberania portuguesa, ou faltar ao respeito que lhes é devido, é punido com pena de prisão até dois anos ou com pena de multa até 240 dias.

    http://bdjur.almedina.net/citem.php?field=node_id&value=1224930

    • John Silva says:

      todos o vimos, foi o PR e o régulo de Lixboa que hastearam a bandeira, os outros são cúmplices, e agora, quem é que os processa?

    • Nuno Castelo-Branco says:

      Ultraje? Essa é boa! A 1 de Dezembro de 1910, a chungaria do PRP queimou milhares de bandeiras nacionais na Praça dos restauradores e não houve quem mexesse um dedo para evitar o dislate. Outras foram transformadas em trapos de limpeza, etc. A bandeira consitucional, não essa coisa que se vê por aí.

      • John Silva says:

        Esse ‘crime’ prescreveu. Este ‘ultraje’ foi feito ontem.

        • Nuno Castelo-Branco says:

          Sim, mas “who cares”? Tente perguntar quantos castelos tem o escudo – ou a razão por que lá estão – e verá que 99% das respostas são erradas, ou na melhor das hipóteses, um sonoro sei lá!
          Naquele preciso momento, estava na bicicleta do ginásio e ia seguindo a cerimónia pela tv. Quando a coisa se tornou patente, sabe qual foi a reacção? Uma estrondosa gargalhada naquela sala. Qual ultraje, qual quê…

Trackbacks


  1. […] 06/10/2012 Por dariosilva Deixa um Comentário Às armas, às armas!  Sobre a terra, sobre o mar,  Às armas, às armas!  Pela Pátria lutar  Contra os canhões marchar, […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.