Ontem vi um grupo morto…

O texto foi escrito pela Maria João, uma guerreira como há poucas.

A Anabela já trouxe o texto para a blogosfera, mas não resisto a partilhar o que vai na alma da Professora Maria João:

“Na apresentação dos manuais da […], onde estavam cerca de 200 professores de EVT, respirava-se desespero, desânimo e pessimismo. Eu, nos meus 41 anos, deveria ser das mais novas, mas todos tínhamos o mesmo cheiro: a depressão, a stress psicológico, a Burnout (palavra tão na moda…).Colegas com cerca de 20 anos de serviço, que efectivaram logo a seguir a acabarem o curso, já vão para a 4ª (sim, quarta!) substituição! Porque tiveram o azar de ser DACLs. Colegas que, sendo DACLs, não trabalharam ainda este ano. Colegas que, sendo DACLs, concorreram a quase tudo e com isso ficaram a mais de 50 km de casa e da escola onde estão efectivos. Colegas que já foram várias vezes às urgências dos hospitais porque estavam com graves problemas, provocados pelo sistema nervoso. Colegas que fazem das tripas coração para continuarem a fazer o que sempre fizeram: serem excelentes profissionais e darem o seu máximo. Porquê, pergunto eu, porquê?? Todos estávamos perdidos, sem saber que porra são estas metas, sem saber que porra andamos nós a ensinar aos alunos.

Ontem vi um grupo morto, dizimado por meia dúzia de tipos atrás de uma secretária comandada por mentirosos, egoístas, gananciosos e pelas costas largas, justificadas ou não, da Troika.
Ontem tive a certeza que tínhamos morrido!
Venha outro governo ou não venha, o espírito que fazia EVT estar vivo está agora enterrado. O amor à camisola que fazia ir mais longe teve as pernas cortadas.
O que somos nós, no meio disto tudo?? Quem somos? Para que existimos??
Ontem doeu-me a alma, ao ver que tantos, como eu, sobrevivem à custa de ansiolíticos e antidepressivos. Tantos que, como eu, já respiraram felicidade, são agora uma sombra de si mesmos…
EVT morreu, e com ela a felicidade de amar aquilo porque se dá tanto de nós, o ensino, os alunos. Pode, como Fénix, ainda vir a levantar-se, até ainda poderemos sonhar com isso, mas os danos, as feridas, as cicatrizes ainda vivas estão todas lá, na nossa alma, no nosso corpo, no nosso ser.

A todos os que, como eu, lutaram com quanta garra tinham no corpo, um BEM-HAJA! Tenho orgulho de ter estado ao vosso lado!!! Tenho orgulho de dizer: SOU PROFESSORA DE EVT!!”

Comments


  1. Texto emotivo e carregado de revolta!
    A esperança que só será possivel correndo com os liberais que nos desgovernam!


  2. Ontem vi a tristeza nos olhares que já conheci apaixonados… A mágoa, o sofrimento, a dor, estampados na cara de quem deu uma vida por algo em que acreditou.
    Obrigada, JP, por levantares a voz a esta mágoa tão grande que vai no peito de quem será sempre professor de EVT.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.